SIC

Perfil

Veja aqui o último episódio

41 episódio – 31 de outubro (sexta-feira)

Júlia foge de casa com a filha mas Xavier localiza-as

Amélia namora com Martim e está prestes a contar-lhe a verdade sobre Carlota, disposta a dividir o amor da filha com a mãe verdadeira. Martim está na expetativa de que a mulher lhe conte algo importante, mas são interrompidos pela chegada de Carlota e de Gonçalo, que os chamam para jantar. Amélia perde a coragem e, quando Martim quer retomar a conversa, disfarça e diz apenas que terá de lidar com os ciúmes que pode vir a ter da mãe biológica de Carlota, se ela alguma vez aparecer. Martim desconfia que não era aquilo que ela queria dizer.

Leonor entra no quarto do hospital e fica assustada por não encontrar Vanessa. Imediatamente chama a enfermeira e leva um balde de água fria quando Marília conta que a rapariga desapareceu. A enfermeira Marília não sabe que justificações dar a Leonor e aconselha-a a esperar pela polícia.

Diogo elogia as pataniscas que Daniel preparou para o jantar e ele justifica o jeito para a cozinha com o facto de ter vivido uma boa temporada sozinho. Hugo acha que as pataniscas do irmão são iguais às que a mãe fazia, quando era viva. Sílvia provoca Rute e dispara que não sobraram pataniscas porque Rute decidiu levar algumas para Messias. Daniel pergunta a Diogo se pode comer doces e ele finge que pode fazer uma vida normal, respondendo que pode comer de tudo. Provocadora, Rute avisa que pode dar-lhe um fanico e Diogo fica incomodado. É salvo por uma chamada de Leonor, que atende fora da mesa. Sílvia exige a Rute que não o perturbe e a irmã adivinha que ele ficou tão pressionado que quando desligar, vai inventar uma desculpa para se ir embora. Por coincidência, Diogo pede desculpa por ir embora assim, mas avisa Sílvia a baixa voz de que tem de ir ter com a irmã, porque ela teve um problema com a sobrinha. Depois de Diogo sair, Daniel lembra a Rute que é a sua vez de lavar a loiça e ela lamenta, pois pode estragar as unhas. Hugo aconselha-a a juntar dinheiro para comprar uma máquina de lavar e confessa a Sílvia que gostava que ela namorasse com Diogo para ter jogos de borla. Rute responde que a criatura que foi trocada na maternidade está a ficar esperta e a irmã concorda que ele sempre foi mais esperto do que Rute.

Martim surpreende Carlota a falar com Gonçalo sobre o detetive que ele contratou para localizar a mãe biológica da sobrinha, ficando muito irritado com a atitude do cunhado. Depois de Carlota se despedir para ir dormir, Martim repreende Gonçalo por continuar a dar esperanças à rapariga de que está a ajudá-la a descobrir o paradeiro da mãe, mas Gonçalo afiança que fez exatamente o contrário, ao dizer à sobrinha (que no fundo é sua filha) que não vai ser fácil que o detetive consiga descobrir a mulher que procuram. Martim exige a Gonçalo que pare de meter ideias na cabeça de Carlota.

      

Leonor entra em casa e fica muito deprimida por não encontrar Vanessa. Diogo aparece logo se seguida e tenta animar a irmã que se sente responsável pelo desaparecimento da filha. Leonor não acha normal que Vanessa tenha desaparecido no estado debilitado em que se encontrava e começa a pensar que Gonçalo pode ter-lhe pagado para desaparecer. Depois de dizer ao irmão que pretende denunciar na polícia o desaparecimento de Vanessa e que vai pedir a Tomás que a acompanhe, Leonor agarra na mala para ir procurá-la na rua. Diogo oferece-se para ir com ela mas Leonor prefere ir sozinha, não vá a filha regressar entretanto a casa.

André confessa a Nuno que não conseguiu resistir de novo aos encantos de Leonor e que voltaram a envolver-se. O amigo acha que não há razões para que estejam separados, apesar de ela e Gonçalo terem um passado. André argumenta que as coisas não são tão simples como ele pensa e reafirma as suas desconfianças sobre o facto de Vanessa ser a filha que Leonor procura.

Patrícia procura Leonor no centro de mergulho pela manhã e finge-se surpreendida com o desaparecimento da rapariga. Leonor questiona-a se Gonçalo não terá responsabilidades no assunto, mas Patrícia acha que ela não está a dizer coisa com coisa. Leonor exalta-se e argumenta que se ele esteve no hospital antes de a filha desaparecer, pode ter-lhe pagado para isso. Patrícia faz-se de amiga e tenta abraçar Leonor, que se esquiva, intimando-a a falar com o marido para perceber se lhe fez desaparecer a filha.

André inteira-se junto de Diogo do estado emocional de Leonor e decide ir ter com ela ao saber que Vanessa desapareceu do hospital, deixando-a arrasada. Entretanto, conta que só o poderá fazer quando acabar de dar a entrevista ao “Correio de Setúbal”, agora que decidiu rebater as calúnias que Mateus anda a lançar sobre si e a empresa. Diogo aprova a iniciativa de André.

Patrícia telefona a Gonçalo para o avisar que Leonor está em estado de choque porque a filha desapareceu do hospital. O marido acha que a miúda percebeu o aviso que ele lhe fez e decidiu não voltar a aparecer, mostrando-se determinado em impedir que Vanessa volte a ter contacto com Leonor.

  

Cremilde fica furiosa com Bento quando ele conta que foi falar com Aurora, para que a médium a ponha em contacto com o falecido marido, pois só assim ela ficará convencida de que tem de seguir com a sua vira para a frente e dar oportunidade a outro homem, no caso, ele próprio. Cremilde responde que vai pedir a Aurora que lhe arranje um daqueles bonecos em que se espetam agulhas para o picar até ao fundo. Bento exclama que se ela lhe quer mal, pelo menos é sinal de que não lhe é indiferente.

Joni provoca Bento por ter apanhado mais uma tampa e segue ao encontro de Tina, dizendo que agora é a sua vez. Ela não acha piada às suas investidas e põe-lhe gelo dentro das calças, deixando-o aflito com o frio entre as pernas.

Depois da faina, João vai ao café de Vitória com Xavier e entrega à filha peixes frescos para fazer uns petiscos que lhe tinha pedido. Depois pede dois cafés e senta-se na mesa com Xavier, perguntando-lhe como está Júlia, pois Idalina confidenciou que ela foi com Elsa para a terra para resolver um problema familiar. Xavier mente e responde que a sogra teve um acidente e deslocou a bacia. João comenta que Elsa devia ter ficado para não perder as aulas e Xavier exalta-se, resmungando que quer a filha longe dos rapazes, saindo porta fora. Vitória confessa ao pai que aquele Xavier é esquisito e que tem algo que a incomoda.

Pedro, preocupado por não ter há muito notícias de Elsa, pede a Idalina para que ligue a Júlia mas a mãe deixa-o frustrado ao dizer que não quer incomodar.

Elsa comenta com Júlia que deviam ter fugido de casa enquanto o pai andou no mar, mas ficam em pânico quando ele entra em casa e pergunta se correu tudo bem na sua ausência. Elsa decide enfrentá-lo e é a primeira a apanhar. Júlia tenta defender a filha e também acaba espancada. Xavier exige ter o almoço pronto quando acabar de tomar banho. Júlia finge-se submissa e quando ele sai para a casa de banho, esmaga alguns comprimidos sob o olhar amedrontado de Elsa.

Leonor protesta na polícia por não sentir o empenho que desejava por parte dos agentes a quem pede para procurarem a filha. Tanto o agente que recebe a queixa como Tomás, que a acompanha, fazem ver que sem possuir provas de que Vanessa é sua filha será sempre mais complicado localizá-la. Apesar das dificuldades, Leonor faz questão de contar que Gonçalo já lhe fez desaparecer dois filhos há dezasseis anos e que pode querer fazer o mesmo agora.

No centro de mergulho, Leonor conta a Nuno a sua busca incessante na procura da filha, insistindo que está desconfiada que Gonçalo teve algo a ver com o desaparecimento de Vanessa, vincando que a rapariga está longe de ser bem-vinda na família Queiroz.

Xavier acaba de almoçar e sente-se sonolento. Júlia sugere-lhe que vá dormir uma sesta e ele recosta-se no sofá, a resmungar que o querem apanhar desprevenido. Quando Xavier quebra e mergulha profundamente no sono, Júlia apressa-se a tirar-lhe as chaves do bolso e conta à filha que apenas lhe deu comprimidos para dormir. De seguida, liga para Leonor através do telemóvel do marido, a dizer que precisa da sua ajuda. A amiga diz que tem de sair para resolver um assunto, mas sugere que esperem por ela no centro de mergulho. Sem ter mais ninguém a quem recorrer, é isso que Júlia decide fazer, pedindo à filha que não tenha medo.

    

Eva continua desfeita com o fim da relação com Ricardo e culpabiliza-se por ele a ter traído, ainda por cima com um homem. Daniel queixa-se de que sem ela não consegue dar conta do trabalho policial, recusando assumir a liderança da equipa por não estar preparado para tal. Decidido, Daniel faz a parceira descer à terra e diz que vai com ela à casa onde vivia com o namorado buscar as suas coisas e que depois disso vão os dois beber um copo para ela animar.

Mateus resmunga porque o advogado que consultou lhe disse que o processo contra André não tem pernas para andar. Henrique troça e diz que outra coisa não seria de esperar e que ele ainda teve muita sorte por ter recebido uma indemnização quando foi despedido. O filho fica amuado e diz que o advogado foi cobardolas e que vai contratar outro, ainda que seja mais caro. Henrique deixa bem claro que não será com o seu dinheiro. Bento deixa escapar que se calhar também podia processar Joni, por causa dos pregões que inventou para o mercado e começa a apregoar. Henrique diz que eles não têm juízo.

Xavier acorda ainda meio atordoado pelos comprimidos que Júlia lhe deu e percebe que ela fugiu de casa com a filha. Enraivecido, liga a um amigo e pede que lhe localize o telemóvel, argumentando que lho roubaram.

Júlia chega ao centro de mergulho com Elsa e tenta disfarçar o nervosismo enquanto fala com Nuno, dando-lhe conta de que combinou encontrar-se ali com Leonor. Nuno informa que Leonor teve de sair, mas deixa-as à vontade para esperarem por ela, saindo para a marina logo a seguir. Elsa insiste com a mãe para irem embora, dando a ideia de que podem queixar-se do pai na polícia. Júlia assume que não tem coragem de o denunciar, mostrando-se esperançada em que Leonor as ajude. Xavier irrompe nessa altura pelo centro de mergulho e começa a agredir a mulher e a filha, tentando arrastá-las consigo. André depara-se com aquela cena de violência e decide intervir. Quando Júlia confirma que não quer ir com o marido, André enfrenta Xavier e em tom ameaçador avisa que é a última vez que o avisa para que deixe Júlia e Elsa em paz.

Leonor força a entrada no gabinete de Gonçalo e pergunta-lhe sem rodeios se fez desaparecer Vanessa. Ele trata a questão com cinismo e ri na cara de Leonor, afirmando que a rapariga se deve ter cansado de uma mãe possessiva e controladora como ela. Leonor reconhece que não esperava que ele reconhecesse ter feito algo, mas avisa que deu o seu nome à polícia quando participou o desaparecimento da filha, convicta de que ele será apanhado se tiver tido algum envolvimento no caso. Gonçalo não consegue disfarçar a tensão. Leonor esforça-se para que Gonçalo acredite que o comprometeu junto da polícia, ao apontá-lo como possível responsável pelo desaparecimento de Vanessa, mas ele não cai na armadilha e com desdém, garante estar de consciência tranquila.

Xavier insiste em levar a mulher e a filha consigo mas André impõe-se e exige-lhe que se acalme e vá embora. Júlia sangra do nariz, depois de ter levado mais um murro do marido, enquanto Elsa está aterrorizada com as ameaças que o pai faz. Xavier tenta alcançar a filha mas André surpreende-o desferindo-lhe um murro. O pescador parte para a briga mas Nuno evita o pior, disposto a chamar a segurança. Xavier lança um último olhar ameaçador e acaba por ir embora, movido pela sua incontrolável raiva. André leva Elsa para ver um livro de vela e assim acalmar a rapariga, enquanto Nuno vai fazer o curativo ao nariz de Júlia. Ela percebe finalmente que Xavier as localizou através do telemóvel que tinha trazido consigo.

nas redes

pesquisar