SIC

Perfil

De segunda a sábado

Resumo: 288º Episódio - 25 de abril (terça-feira)

Tó é encontrado morto nas estufas da Floriz!

ana antonio bento

Helena agradece a Marcelo o esforço dele e de toda a equipa pela noite difícil que tiveram nas urgências do hospital mas o médico não se deixa levar e apresenta-lhe um caderno de reivindicações assinado por todos. Garante-lhe que não vai ficar parado e que se for preciso lidera um movimento contra ela. Helena fica preocupada.

Em casa de Rosa ninguém consegue entender porque é que Narcisa não ficou presa mas a surpresa maior ainda está para vir.

O inspector vai a casa de Rosa e comunica a todos que encontraram Tó assassinado nas estufas da Floriz. Cármen fica em pânico e cruza um olhar com Rosa. Com efeito, a polícia encontrou Tó com um golpe de uma tesoura no pescoço, cheio de sangue. A tesoura da poda estava no local cheia de sangue e foi levada para análise.

Cármen fica em pânico com a descoberta pela polícia do corpo de Tó assassinado nas estufas e quer ir contar à polícia que foi ela que o matou mas Rosa pede-lhe para ter calma e para esperar que se averigúe o que se passou e como é que ele morreu.

Rosa vai à Floriz com Bruno e com o inspector e fica a saber que o que matou Tó não foi a pancada na cabeça mas sim um corte da veia do pescoço com uma tesoura de poda.

O polícia pede ainda a Rosa para verificar se não lhe falta nada no escritório. Bruno pergunta se desconfiam da mãe e o polícia limita-se a dizer que até prova em contrário todos são suspeitos. De resto, adianta que na esquadra Narcisa negou toda a história do rapto contada por Rosa e qualquer ligação a Tó. Contudo a polícia promete ficar atenta.

Como era previsível, nas estufas, Rosa encontra Narcisa, que se tenta mostrar arrependida e confessa que nunca foi sua intenção raptar Júlia e muito menos matá-la a ela e à filha. Rosa sugere-lhe que se está tão arrependida, conte a verdade á polícia mas isso Narcisa não faz com receio de ser presa. Rosa pergunta-lhe ainda se matou Tó mas a irmã rejeita essa suspeita e assegura-lhe que só viu Tó no barco.

Depois de ter passado a noite com Tomás, Inês prefere não falar do que aconteceu e garante-lhe que está tudo bem e a vida continua, sem compromissos. Barbara vai a casa de Tomas e ainda encontra Inês de saída. Tentando evitar o ciúme, pergunta se estão juntos mas Tomás assegura que não há nada de sério mas sente-se incomodado com a presença de Barbara.

Com Daniel ainda em coma, Mara decide ir embora mas promete a Júlia que assim que ele acordar volta num instante.

Anita recusa um convite de César para estarem Juntos alegando que marcou encontro com uns amigos em Sintra. No café da Floriz quando vai para pagar não tem dinheiro que chegue e quando lhe dizem que pode pagar com multibanco alega que a banda magnética está estragada. Celeste deixa-a ir embora.

Rui vai fazer um arroz doce com Áurea para dar a Rute. Ao vê-la trabalhar lembra-se da mulher e envolto nessas recordações acaba por beijar a cunhada. Áurea afasta-o e Rui pede desculpa.

Marcelo liga a Rosa para saber como ela está. Sente dificuldade em encarar a antiga namorada e quando desliga a chamada começa a desfazer-se de alguns bens que fazem lembrar-se dela: o relógio de pulso e as fotografias no computador.

Rosa conta a Cármen que Tó foi assassinado com uma tesoura de poda. Para espanto de Rosa, Cármen conta lhe que pegou na tesoura para se defender depois de dar com a pá em Tó mas nunca a utilizou. Assegura no entanto que limpou as impressões digitais e que não está a mentir. Rosa insiste para que não conte nada a ninguém.

nas redes

pesquisar