SIC

Perfil

De segunda a sexta

Rafa (Rafael da Paz)

João Arrais

IDADE: 19 anos

MÚSICA DA MINHA VIDA: “Até Quando”, de Gabriel, O Pensador

FILME INESQUECÍVEL: “Birdman”

COMIDA PREFERIDA: Hambúrguer com batatas fritas

ODEIO: Peixe cozido

QUAL A PROBABILIDADE DE UM MIÚDO COMO EU, FRUTO DE UMA FAMÍLIA HUMILDE QUE TRABALHA NUMA ESTUFA DE FLORES, SE TORNAR NUM ARTISTA URBANO? Uma probabilidade ínfima, é certo. Mas é por esse objetivo que vou lutar ao longo da história. Não quero chocar, quero ousar. Se curtem os meus desenhos, fixe, se eles causam desconforto, fixe na mesma. É sinal que o pessoal sente alguma coisa com a minha arte. Apesar de confiar no meu talento, sou puto e ainda não tenho a confiança e o reconhecimento do Vhils. Por isso, vou sofrer com a rejeição ao meu trabalho. O meu pai vai ser um grande opositor do meu sonho e vou chegar a desesperar, pensar em desistir de tudo, incluindo a própria vida. Mas também vou contar com o apoio de várias pessoas que gostam das t-shirts e posters que faço… do Bruno, que será o meu grande amigo, da minha mãe, da professora Rute, que até vai grafitar comigo… e do marido dela, o doutor Fialho – com quem terei, aliás, conversas ricas e surpreendentes. A certa altura será ele a dizer-me que estou a ajudá-lo numa fase complicada que atravessa e só mais tarde vou perceber que ele está com uma doença terminal.

OBJETIVO: Ser artista urbano e ter o meu talento reconhecido

nas redes

pesquisar