SIC

Perfil

295º Episódio - 19 de maio (quinta-feira)

Dinis e Gonçalo conseguem libertar-se e atingem José Maria com um tiro na perna

Christian Gnad

Inês desabafa com Olga e Salomão, está muito preocupada com o rapto de Gonçalo. Decide ir para a cantina onde os agentes da polícia judiciária estão a trabalhar.

Rosa vai reagindo e apesar de estar dorida, está consciente. Gonçalo adverte José Maria que Rosa devia ser vista no hospital e este ignora o seu pedido.

Na cantina, os agentes da judiciária concluem que estão a remar contra a maré pois as pessoas envolvidas nos raptos não estão a colaborar e isso torna a situação ainda mais difícil. Umas horas mais tarde, um dos agentes, especialista em som, consegue identificar sons envolventes no vídeo de José Maria, o local onde este está situa-se perto do aeroporto, a norte.

Um dos homens de José Maria começa a ficar impaciente com o passar do tempo. Este está a arriscar demasiado e vai perder o barco. José Maria não dá ouvidos, só pensa na vingança contra Luísa, Amélia e Jacinta. Gonçalo toma consciência de que mesmo conseguindo o dinheiro, o padrasto irá matá-los.

Valquíria procura Julião que dorme na loja da filha e do genro. Vem fazer-lhe companhia e apesar do desconforto da situação, envolvem-se aos beijos.

No dia seguinte, José Maria pressiona as suas inimigas. Não tem muitos mais tempo e quer ir embora com o dinheiro. Na quinta, Luísa, desesperada, roga pragas à mãe por ser a responsável por ter trazido José Maria para dentro de casa. O gestor de conta chega à quinta e comunica a Luísa que conseguiu o dinheiro que esta pediu e entrega-lhe uma mala cheia de dinheiro.

José Maria telefona, em ultimato, para as três inimigas e é informado que já têm o dinheiro. Dá-lhes uma hora para chegarem ao ponto de encontro, a fábrica onde trabalhava o pai de Jacinta.

Os agentes da polícia judiciária têm os telefones de Luísa, Amélia e Jacinta sob escuta e apercebem-se das movimentações. Não sabem onde é a fábrica em questão é isso deixa-os em desvantagem.

José Maria manda os seus homens acordarem Gonçalo e Dinis, que fingem estar a dormir. Estes surpreendem os raptores, livres das cordas e tentam libertar-se. Gonçalo consegue tirar a arma a um dos homens e atinge José Maria, numa perna. Este fica cheio de dores, caído no chão, implorando aos seus homens que não matem os reféns. Dinis e Gonçalo são controlados e amarrados, novamente. De seguida, todos saem do barracão em direção ao ponto de encontro.

Amélia, Jacinta e Luísa preparam-se para sair e Amélia leva a caçadeira de Homero.

Violeta e Miguel decidem adiar a sua partida, pelo menos até que fique tudo bem com os seus amigos desaparecidos.

nas redes

pesquisar