SIC

Perfil

183º Episódio - 19 de janeiro (terça-feira)

Rosa conta a António que fugiu da sua família adotiva e que não pode ser identificada pela polícia!

Na quinta, Luísa cozinha para se libertar da tristeza de ter visto Dinis ir embora. Gonçalo aconselha a irmã a ir atrás dele mas Luísa pensa que é tarde demais para isso. Por sua vez, Gonçalo também está nervoso com o eminente resultado do teste de paternidade, tem noção de que será um murro no estomago saber que José Maria é realmente seu pai.

Amélia e Marina conversam sobre a empresa e Marina partilha com a sua assistente a história da mãe de Alexandre e do envolvimento de Emídio no acidente. Explica assim porque está a dar emprego ao rapaz.

Alexandre entra em casa e fica preocupado ao ver a mãe quase a cair da cadeira de rodas ao tentar agarrar o comando da televisão. Conta-lhe animado que arranjou um trabalho e que terão alguém para tratar dela enquanto ele estiver a trabalhar. Margarida prefere que seja o filho a tratar dela mas aceita se isso for o melhor para o filho.

Homero, arrasado, desabafa com Olga tudo o que aconteceu com Miguel. Estranha quando esta lhe conta que José Maria lá esteve e se mostrou preocupado consigo e não dá muita importância. Está magoado com Miguel e com as coisas horríveis que este lhe disse.

Miguel procura Violeta em sua casa. Precisa de desabafar e ela é a unica pessoa que o entende. Quando Miguel conta que Lídia é sua mãe, Violeta não acredita no que ouve mas aos poucos começa tudo a fazer sentido. Ao vê-lo tão abatido assente em ouvi-lo e em apoiá-lo.

Mónica entra, com um saco da loja de David na mão, e dirige-se a Vítor, sorridente. Provocante, mostra-lhe uma lingerie. Este fica muito atrapalhado e ainda fica pior quando Julião aparece. Este, por sua vez, fica animado ao ver que a mulher comprou aquela peça sedutora e tem esperança de que esta faça amor consigo nessa noite. Mónica arranja novamente uma desculpa para não fazer nada com o marido.

Na eminência da polícia voltar lá a casa para a interrogar, Rosa conta a António que não pode mostrar o seu cartão de cidadão porque não é quem ele pensa. Conta que é uma adolescente em fuga e toda a verdade, sobre ser adoptada e sobre a sua famlia a tratar muito mal e por isso ter fugido. António fica muito desiludido por perceber que lhe mentiram, uma vez mais. Fica preocupado porque pode ser acusado de ter metido em sua casa uma menor que anda fugida. Perante isso, Rosa decide fazer as malas e ir embora.

Salomão está a meditar quando Dinis entra em casa com sacos de compras. Tem de sair do estado meditativo para ajudar o companheiro de casa com os sacos. Dinis conta-lhe que se cruzou com Luísa, na quinta, e que isso o deixou abalado mas não se deixa ir na conversa pacifista de Salomão e revela que já tem uma entrevista marcada para outro emprego. Salomão fica feliz pelo amigo.

O cozinheiro Mário da cantina avisa Olga e Jacinta de que arranjou um emprego num restaurante que terá de aceitar porque precisa de um ordenado para viver. Ambas têm noção de que têm de começar a pagar ordenados às pessoas mais envolvidas no projeto. Lamentam que Mário se vá embora e entendem as suas razões.

Jacinta e Olga decidem então que têm de mudar algumas coisas na cantina e planeiam arranjar dinheiro, procurar apoios, subsídios na câmara ou na junta de freguesia ou mesmo em empresas.

António, pensativo, observa Rosa a arrumar as suas coisas para ir embora. Não percebe porque também esta lhe mentiu. Rosa explica que teve medo que ele a expulsasse e que o que encontrou ali foi uma família a sério e não queria perdê-los. Desculpa-se perante ele e garante que não volta a viver com a sua família adotiva. Quando se prepara para sair, a inspetora Joana bate à porta e António manda Rosa esconder-se no quarto.

A inspetora avança pela casa dentro e faz perguntas sobre Manuel. António nega saber alguma coisa sobre o filho e mente dizendo que Rosa não está em casa quando a inspetora pede para a chamar. Quando a polícia sai, Rosa abraça António em agradecimento.

Marina e Luísa comentam a vinda de Alexandre para trabalhar na quinta e não sabem se hão de confiar nele ou não. Tão depressa parece boa pessoa como logo a seguir parece oportunista.

nas redes

pesquisar