SIC

Perfil

E vão dez Globos de Ouro para Cristiano Ronaldo

Internacional português novamente homenageado pela SIC e a CARAS.

E vão dez Globos de Ouro para Cristiano Ronaldo!

Nomeado ao lado de Fernando Pimenta (canoagem), Nelson Évora (atletismo) e Ricardinho (futsal), Cristiano Ronaldo voltou a vencer o Globo de Ouro de Melhor Desportista Masculino, na XXIII Gala dos Globos de Ouro. É a décima vez que o futebolista madeirense é distinguindo com este troféu, mas ainda não foi desta que subiu ao palco do Coliseu dos Recreios para receber o prémio.

Cristiano Ronaldo dos Santos Aveiro nasceu a 5 de fevereiro de 1985, no Funchal. Tinha o sonho de brilhar nos relvados quando ainda era uma criança e jogava no Andorinha, um pequeno clube madeirense. Mais tarde, foi transferido para o Nacional, seguindo depois para o Sporting, onde se estreou em 2002. A perseguição deste sonho levou-o a deixar a família e a aventurar-se sozinho em Lisboa. As saudades e as dificuldades nunca o fizeram duvidar de que um dia iria ser considerado o melhor jogador do mundo. E assim foi.

Em 2003, quando tinha apenas 18 anos, Cristiano Ronaldo teve a sua primeira contratação de estrela ao trocar o clube verde e branco pelo gigante inglês Manchester United. Durante cinco épocas, o internacional português ganhou diversos títulos, destacando-se a conquista da Premier Ligue, da Liga dos Campeões na temporada 2007/08 e da Taça de Inglaterra.

Em relação à Seleção Portuguesa, Cristiano Ronaldo fez a sua estreia apenas algumas semanas depois de ter assinado contrato com o Manchester United, num jogo contra o Cazaquistão, em agosto de 2003. O primeiro grande torneio de CR7 foi o Euro 2004, organizado por Portugal, durante o qual o futebolista ajudou a seleção a chegar à final, onde acabaria por ser derrotada pela Grécia.

2008 foi o ano que colocou Cristiano Ronaldo entre os melhores jogadores de futebol de sempre. Nessa mesma temporada, o atleta madeirense ganhou o prémio da FIFA para melhor jogador do mundo e a Bola de Ouro.

No ano seguinte (2009), foi novamente nomeado pela FIFA para melhor jogador mundial, mas desta vez não levou o troféu para casa. Mas foi precisamente nesse mesmo ano, Cristiano Ronaldo viveu outro grande momento na sua carreira – a transferência milionária para o Real Madrid – sonho que tinha, aliás, desde criança. Por 94 milhões de euros – a transferência mais cara na história do futebol – o jogador passou a ser um dos merengues, ao lado dos quais conquistou em 2011 a Taça do Rei, já sob o comando de José Mourinho.

Em 2012, Cristiano Ronaldo, melhor marcador do Real Madrid, festejou o 32.º título da equipa espanhola, depois de uma vitória frente ao Athletic Bilbau.

2013 voltou a ser um ano em grande para o internacional português. Em setembro, entre especulações de uma possível saída do Real Madrid, Ronaldo renovou com o clube, tendo contrato até 2018. Foi também pelo bom desempenho nesse ano que já no início de 2014 a FIFA lhe entregou a segunda Bola de Ouro da sua carreira, batendo os rivais Franck Ribéry e Lionel Messi. Na cerimónia, em que recebeu o prémio de melhor jogador do mundo das mãos de Pelé, o madeirense contou com a presença da então namorada, Irina Shayk, das irmãs, Katia e Elma, da mãe, Dolores Aveiro, e do filho, Cristiano, que inclusivamente subiu ao palco com o pai, que não conseguiu conter a emoção.

Além disso, foi condecorado pelo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, com o grau de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, numa cerimónia que decorreu no Palácio de Belém.

No dia 12 de janeiro de 2015, o craque madeirense foi novamente agraciado com uma Bola de Ouro, a terceira da sua carreira, pelo trabalho ao longo do ano passado. E para receber o prémio da FIFA, entregue por Thierry Henry desta vez, Ronaldo contou novamente com a presença do filho, da mãe e do irmão, Hugo. Nesta cerimónia, a modelo russa Irina Shayk já não esteve ao lado do futebolista e dias depois confirmou-se que a relação de cinco anos tinha chegado ao fim.
No início de outubro, o madeirense fez história no Real Madrid, ao tornar-se no melhor marcador do clube na sua sétima temporada em Espanha e no 308.º jogo oficial. Menos de duas semanas depois, o talento de CR7 volta a ser premiado, desta feita com uma Bota de Ouro, troféu que já tinha vencido três vezes. Voltou a fazer história pois foi o primeiro futebolista a alcançar a conquistar o galardão que distingue o melhor marcador da época nos campeonatos europeus quatro vezes. “Um momento muito bonito da minha vida desportiva. Receber a quarta Bota de Ouro é uma honra muito grande É um troféu muito importante para mim”, afirmou na altura Ronaldo antes de agradecer ao Real Madrid, aos colegas de equipa e aos técnicos com quem tem trabalhado, antes de deixar claro que quer sempre mais e está constantemente a pensar nos próximos prémios. Na plateia, o jogador voltou a ter a mãe e o filho.

2016 foi um ano de muitas emoções para o futebolista: contribuiu de forma decisiva para a vitória do Real Madrid na 11.ª Liga dos Campeões, tornou-se Campeão da Europa por Portugal (numa competição que decorreu em França), recebeu a quarta Bola de Ouro atribuída pela revista France Football e renovou o contrato com o Real Madrid até 2021.

Foi também nesse ano que Ronaldo reencontrou o amor, ao lado da espanhola Georgina Rodríguez. O casal foi visto junto pela primeira vez em outubro de 2016, durante um fim de semana romântico na Disneyland Paris, mas a relação só foi publicamente assumida da Gala da FIFA, três meses depois.

Refira-se que, além de brilhar nos relvados, o jogador também é um homem de negócios de sucesso. Em julho de 2016 inaugurou o hotel Pestana CR7 no Funchal e passados três meses apresentou ao mundo a sua segunda unidade hoteleira, situada na Rua do Comércio, em Lisboa.

2017 foi novamente um ano de consagração para o internacional português, eleito Melhor Jogador do Mundo pela FIFA, um prémio disputado pelo francês Antoine Griezmann e pelo argentino Lionel Messi e que, contrariamente a edições anteriores, tão contou com a votação do público. “Este prémio ainda não tenho. Tinha muitas coisas para dizer, mas agora bloqueei um bocadinho. Estou muito feliz, quero agradecer em primeiro lugar aos meus companheiros de seleção, e Real Madrid também. Ao treinador, gostaria que tivesse ganho, fica para a próxima, mister. À minha família, Ricardo, Gil, meu filho, minha mãe, irmãos, todo o meu staff que está sempre presente nos bons e maus momentos. E dizer que o ano de 2016 foi o melhor ano da minha carreira. Havia muitas dúvidas, mas um troféu que mostrou que as pessoas não são cegas. As pessoas veem os jogos, as competições. Depois do que eu ganhei com a seleção e com meu clube eu não tinha dúvidas que deveria ter ganho este troféu. Foi um ano magnífico a nível pessoal, a nível coletivo, jamais posso esquecer desse ano maravilhoso. Todos aqueles que votaram em mim muito obrigado, treinadores, capitães, jornalistas também, não tenho mais nada a dizer. Os prémios falam por si”, disse Ronaldo no seu discurso de agradecimento.

Em abril alcançou os 100 golos marcados em competições europeias, tornando-se no primeiro jogador da história do futebol a fazê-lo. Foi, também, decisivo para a conquista da Liga dos Campeões pelo Real Madrid, com uma vitória por 4-1 frente aos italianos da Juventus. Na terceira Liga conquistada pela equipa merengue e a quarta da sua carreira, CR7 também fez história por se tornar no primeiro jogador a marcar golos em três finais desta competição. E foi também nesta partida que marcou o 600.º golo enquanto jogador profissional.

E, se a nível profissional, Ronaldo continuou ao seu melhor nível aos 32 anos, a vida familiar também lhe corre de feição. No espaço de poucos meses foi pai de três crianças: os gémeos Eva e Mateo, concebidos através de uma barriga de aluguer nasceram em junho de 2017, Alana Martina, fruto da relação com Georgina Rodríguez, nasceu cinco meses depois, a 12 de novembro.

Cristiano Ronaldo já tinha vencido o Globo de Ouro de Melhor Desportista Masculino em 2007, 2008, 2009, 2011, 2012, 2014, 2015, 2016 e 2017.

nas redes

pesquisar