SIC

Perfil

Nuno Lopes premiado com um Globo de Ouro pela quarta vez

Pelo filme Posto Avançado do Progresso.

De sorriso no rosto, Nuno Lopes subiu ao palco do Coliseu dos Recreios para receber mais um Globo de Ouro, o quarto da sua carreira. Aos 39 anos, é um dos atores que mais se destaca no cinema português e a sua prestação no filme Posto Avançado do Progresso encantou o júri da SIC e da CARAS. “Queria primeiro que tudo partilhar este prémio com os outros nomeados e com toda a gente que faz cinema em Portugal. Dizer que espero que a Lei Seca acabe rapidamente e que se volte a fazer um cinema cujo júri seja idóneo e que lute pelos interesses do cinema nacional e não pelos próprios interesses financeiros. E, em último, gostava de dedicar este prémio a toda a equipa que fez o filme”, disse o ator que foi fortemente aplaudido pelo público.

Nuno Miguel Pereira Lopes nasceu a 6 de maio de 1978. Formou-se na Escola Superior de Teatro e Cinema e a sua vasta experiência no teatro foi construída com representações de textos de autores de renome como Bertold Brecht, William Shakespeare e August Strindberg. Entre as peças que fez destacam-se Um Homem é um Homem, Morte de Romeu e Julieta, Cimbelino, O Casamento de Fígaro, Um Sonho e O Lírio.
Em cinema participou no filme Alice, de Marco Martins, - tendo arrecadado o Globo de Ouro para Melhor Ator de Cinema, em 2006 -, Quaresma e Peixe Lua de José Álvaro Morais e António, Um Rapaz de Lisboa de Jorge Silva Melo.
O seu desempenho em Goodnight Irene, de Paolo Marinou-Blanco, valeu-lhe um novo Globo de Ouro em 2009.
Em televisão, participou em novelas, séries e programas, como Herman SIC, Fúria de Viver, Paraíso Filmes, Crianças S.O.S., Ajustes de Contas, Diário de Maria, entre outros. Trabalhou também no Brasil, tendo integrado o elenco da novela da TV Globo, Esperança.
Após uma interrupção de seis anos, regressou em 2008 à televisão com Os Contemporâneos e, dois anos depois, integrou o elenco de Noite Sangrenta e Pai à Força.
Em 2012 voltou a ser nomeado para os Globos de Ouro pela sua participação em Sangue do Meu Sangue, de João Canijo mas perdeu o galardão para Nuno Melo. Neste mesmo ano, filmou ainda Operação Outono, uma longa-metragem de Bruno de Almeida.
No ano seguinte, voltou a ser distinguido na Gala do Ano pelo filme Linhas de Wellington, de Valeria Sarmiento.
Em 2016, Nuno Lopes venceu o Prémio Orizzonti de Melhor Ator no Festival Internacional de Cinema de Veneza pela sua interpretação no filme São Jorge (realizado por Marco Martins), que mostra a realidade dos bairros da Belavista e Jamaica, em Lisboa, durante os anos da troika em Portugal.
Esta foi a sua sexta nomeação para os Globos de Ouro.
Na mesma categoria estavam nomeados Filipe Duarte (no filme Cinzento e Negro), Miguel Borges (no filme Cinzento e Negro) e Miguel Nunes (no filme Cartas da Guerra).

nas redes

pesquisar