SIC

Perfil

Todos os dias

Resumo: 66º Episódio - 16 de julho (domingo)

Sara fica em estado de choque quando recebe uma chamada de Nuno e este confirma que foi ele quem sabotou a Faina Norte

ana antonio bento

*OS RESUMOS DOS EPISÓDIOS ESTÃO SUJEITOS A MUDANÇAS EM FUNÇÃO DA EDIÇÃO DA NOVELA

Sara, Fernando e Tiago são obrigados a comunicar às trabalhadoras que têm de ir para casa até que tudo se resolva. Lucinda é quem mais protesta, antecipando que os patrões querem despedir toda a gente e encerrar a empresa. Tiago garante que nada disso vai acontecer, quando Sara recebe uma chamada anónima. Quando atende, fica estarrecida ao ouvir a voz de Nuno a perguntar-lhe se pensava que se ia safar e a garantir-lhe que chegou o seu fim.

Rita depara-se com Patrícia a chorar na Mercearia porque se sente culpada pelo facto de a Irmã Madalena ter sido afastada do Abrigo em que acolheu tantas crianças órfãs ao longo dos anos. Depois de reafirmar à amiga que foi irresponsável ao confiar numa organização que afinal se dedicava ao tráfico das crianças, Rita conta a Patrícia que Vasco está a entrevistar a Irmã para provar que ela foi também uma vítima da situação e diz que não a vai massacrar mais com aquele assunto. Eunice também reconhece que não a tem tratado bem e serve um chá como sinal de boa vontade.

Na fábrica, as trabalhadoras estão inquietas pela possibilidade de perderem o emprego e é Tiago que tem de enfrentar todas as perguntas porque Sara fica muito perturbada com a chamada que recebeu e Fernando tem de levá-la para o gabinete.

O descontrolo de Sara é tão grande que trata mal Odete quando a secretária lhe leva um copo de água para a acalmar. Fernando diz-lhe que os deixe a sós e Sara conta finalmente que foi Nuno quem lhe ligou, deixando claro que sabotou as câmaras frigoríficas da Faina Norte e lhes desferiu o golpe de misericórdia para os obrigar a encerrar a empresa. Fernando insiste em que matou Nuno mas Sara grita-lhe que ele falhou e culpa-o pela situação critica a que chegaram. O marido diz que ainda vão a tempo de resolver o problema se reivindicarem a morte de Nuno e acabarem com ele quando aparecer. Sara deseja que não seja tarde demais.

Isabel diz a Joaquim que não lhe apetece fazer sala a António e ao comandante do avião em que regressaram aos Açores e diz-lhe que receba ele os amigos. Quando vira as costas ao marido para ir até ao escritório, Isabel fica com os olhos marejados.

Afonso chega entretanto a casa e choca Joaquim quando pergunta por Isabel, referindo-se a ela como avó. Ao saber que ela está no escritório, Afonso não perde tempo a pedir-lhe que veja os esboços de Inês sobre a imagem dos Chás Goulart que ele pretende modernizar. A avó diz preferir um concurso com vários candidatos mas perante a insistência de Afonso acaba por sorrir e mostrar-se feliz pelo interesse que ele demonstra pela empresa.

Inês conta a Kiko que, afinal, a proposta de trabalho de Afonso não foi mais do que uma forma de se reaproximar dela e o namorado afirma que sempre desconfiou que o convite que ele fez tinha segundas intenções. Inês mostra-se desesperada por não ter trabalho nem dinheiro e Kiko sugere-lhe que peça ajuda aos pais. Ela acaba por revelar que se afastou deles por nunca a terem apoiado nas suas escolhas de vida e fica irritada quando ele insiste em saber mais de uma história que lhe parece mal contada. Kiko propõe que vivam juntos e trabalhem juntos na nova empresa mas Inês chama-o à razão e lembra que são apenas namorados, deixando-o desanimado.

Hélder conversa com Zé Paulo no Meia Desfeita e fica a saber que ele é treinador de futebol no desemprego. O irmão de Sofia fala com mágoa sobre o falecimento de Mário e mostra-se decidido em ajudar a família, começando por se entender com Matilde, uma grande cozinheira com mau feitio. Ela chega nesse instante ao restaurante, toda arranjada e a dizer que vai finalizar o seu prato de bacalhau para ganhar o concurso gastronómico tal como Mário desejava. Durante a conversa com Zé Paulo, Hélder repara que vários habitantes do bairro continuam a coçar-se e comenta que deve ser de uma alergia que apanharam. Sofia regressa da fábrica e conta que paira no ar o despedimento dos trabalhadores, depois de a câmara frigorífica onde o bacalhau estava armazenado ter avariado. Zé Paulo conforta a irmã que diz ter de se preparar com as filhas para o funeral do marido.

Em casa, Cláudia abraça Elsa que não para de chorar a morte do pai. André tenta confortá-las mas só consegue dizer inconveniências. As duas irmãs unem-se na dor e choram nos braços uma da outra.

Lucinda conta a Horácio que os patrões mandaram toda a gente para casa e duvida que lhes paguem os ordenados, apesar de Tiago ter garantido que não haveriam despedimentos. O marido fica alarmado e Lucinda instiga-o para que vá até à Faina Norte e retome o seu lugar na comissão de trabalhadores para lutar pelos seus direitos. Horácio fica indignado com o egoísmo que ela mais uma vez demonstra.

Tiago censura Sara por tê-lo deixado sozinho a dar explicações aos funcionários da fábrica. A mãe não esconde o seu desespero e Tiago culpa Rita por toda a situação.

Rita e Patrícia agradecem a Vasco pela entrevista que ele fez à Irmã Madalena mas o jornalista afirma que não está a fazer mais do que o seu trabalho, mostrando à opinião publica que a Irmã não sabia que estava a acolher crianças numa operação de adopções ilegais e que sempre quis proteger as suas crianças. Filipa entra na Mercearia e admirada, questiona Patrícia sobre a proximidade de Rita e Vasco.

Luísa vê-se forçada a contar a Isabel que em tempos teve uma filha que se viu obrigada a abandonar e que agora quer procurar em Aveiro. A patroa fica espantada com a história e sensibilizada com as lágrimas e angústia do seu braço direito, incentiva-a a fazer o que tem de fazer, afirmando com um nó na garganta que a vida é demasiado curta.

António acede ao convite de Joaquim e vai a sua casa. Quando se cruza com Luísa, ficam ambos com a sensação de que se conhecem. Depois das apresentações, decidem ir dar uma volta pela plantação onde Afonso acabou de dar indicações a alguns trabalhadores. Luísa aproxima-se de António e fica estarrecida quando ele se dá a conhecer melhor e revela que a família é dona da Faina Norte, a conhecida empresa de bacalhau. Joaquim fica muito irritado e pergunta ao piloto o que quer dali, percebendo as suas segundas intenções. António não se faz rogado e olhando Afonso, dispara que tem interesse em saber o que se passou há vinte anos e conhecer melhor o pai dele. O rapaz fica espantado e Luísa desaparece rapidamente e apavorada.

nas redes

pesquisar