SIC

Perfil

De segunda a sábado

Resumo: 32º Episódio - 06 de junho (terça-feira)

Luísa atropela Fernando; Carmo tenta explicar-se a Afonso mas o filho responde-lhe com frieza

*OS RESUMOS DOS EPISÓDIOS ESTÃO SUJEITOS A MUDANÇAS EM FUNÇÃO DA EDIÇÃO DA NOVELA

Tiago volta a tratar António com azedume mas desta vez o irmão também lhe fala com dureza e diz-lhe para que não continue a ter pena de si próprio.

Lucinda protesta com Sofia por ter de fazer o seu trabalho e o de outra colega que teve de se ausentar. Odete apresenta Rita como nova sócia da empresa e Lucinda agarra-se a ela para a levar a conhecer o resto dos funcionários. Rita fica contrariada mas acaba por se deixar levar.

Sara fala ao telefone com Fernando e coloca-o a par das últimas novidades, contando que Rita já assumiu a sua parte da empresa e que Nuno voltou a ligar-lhe com mais ameaças. Fernando continua a garantir que Nuno está morto e promete regressar assim que voltar a falar com Afonso. Quando sai do táxi, Fernando é avistado por Luísa mas não a vê. Ela relembra o dia em que ele a tentou matar e investe com o seu carro sobre ele, atropelando-o. Fernando cai por terra e o telefone desliga-se, deixando Sara sem perceber o que aconteceu com o marido. Luísa foge a toda a velocidade. Carmo precipita-se para Fernando que está tombado e atordoado com o embate. Sara fica aflita sem saber o que se passou com o marido e liga-lhe novamente. Carmo atende a chamada e começa a dizer que houve um acidente mas Fernando tira-lhe o telefone da mãe e tranquiliza Sara dizendo que está bem e que falará com ela mais tarde. Depois, pergunta a Carmo se viu quem o atropelou mas ela nega. Joaquim interrompe a conversa com rispidez e manda Fernando desaparecer dali, garantindo que da próxima vez que o vir à porta da sua casa, corre com ele a tiros de caçadeira. O empresário insinua que ele e a família foram os responsáveis pelo atropelamento mas Joaquim enfrenta-o e diz-lhe que faça queixa se quiser.

Depois de atropelar Fernando, Luísa entra em casa muito perturbada e ordena a Kiko que se alguém a procurar diga que ela não está para ninguém. O filho fica mais uma vez preocupado e dispõe-se a chamar o psicólogo mas ela não quer e deixa Kiko a falar sozinho, confuso sem perceber o que se está a passar.

Isabel e Joaquim mostram-se insensíveis para com Fernando depois de alguém ter tentado atropelá-lo. Para Carmo, o mais importante é falar com Afonso e explicar ao filho porque é que escondeu ser sua mãe. Isabel censura a filha por querer virar o neto contra ela e o avô mas quando se preparam para mais uma discussão, Joaquim intervém e impõe que se mantenham unidos.

Lucinda quer antecipar a hora e almoço mas Sofia obriga-a a esperar, expondo-a ao ridículo perante as colegas, que riem dela.

Horácio contempla com nostalgia as manobras dos barcos. Rita promete ajudá-lo a voltar a fazer o que mais gosta que é estar a bordo. Mas também precisa de ajuda e pede-lhe que encontre alguém que trabalhe na faina e com quem possam contar. Horácio sugere Pedro e aceita pôr Rita em contacto com o rapaz.

André dá a provar a Cláudia um prato que confeccionou no robot de cozinha da mãe e acha que podem vender comida no arraial, fazendo mais dinheiro para que ela possa ir estudar para Berlim. No entanto, a namorada duvida da qualidade da comida e não se mostra muito entusiasmada com a insistência dele para a acompanhar. Elsa interrompe a conversa e Cláudia fica espantada por ela não estar na escola. A irmã mente e justifica que apenas foi a casa para almoçar.

Vítor vai à Mercearia para tirar fotografias para preparar o assalto a fingir, para ajudar Bruno a fazer de herói aos olhos de Eunice para a reconquistar. Para ficar sozinho, convence Patrícia a ir procurar um chá afrodisíaco, mas acaba por ser apanhado na mentira por Eunice, que desconfia que ele está ali mandado por Bruno e que o chá é para o marido, que continua atrás de outras mulheres. Vítor apressa-se a ir embora, muito atrapalhado e com medo que ela lhe atire com o frasco à cabeça.

Renata vai comprar comida ao Meia Desfeita e é mal tratada por Matilde que a acusa de ter destruído o casamento da filha, ao mesmo tempo que discute com Mário por servir a cabeleireira. Mário reafirma que é ele que manda no restaurante e Matilde volta para a cozinha, furiosa com ele.

Sal fica estupefacta quando Jarvis lhe mostra o stand vazio, revelando com orgulho que venderam os carros todos que ali tinham.

Vítor explica a Bruno o plano do assalto fingido à Mercearia mas o patrão começa a ficar preocupado e a achar que ele está a planear um assalto mesmo a sério. Vítor faz chantagem emocional e dá a entender que só daquela forma ele conseguirá reconquistar Eunice.

Patrícia fica desanimada por não conseguir ajuda da irmã Madalena para receber as crianças que ela está a tentar salvar dos abusos e da escravatura, nos campos de refugiados.

Horácio põe Rita em contacto com Pedro. Ela pede-lhe para que seja o seu espião nos barcos da Faina Norte, para poder controlar melhor os movimentos de Sara e de Fernando. Pedro fica muito nervoso mas percebe que para se libertar da chantagem a que estão a sujeitá-lo tem de colaborar. Só não sabe como.

Sara fica muito preocupada quando o detective que contratou a informa de que a fotografia que lhe tinha dado para investigar tem sangue que corresponde ao grupo sanguíneo do marido e que conseguiu chegar à fala com uma enfermeira que se lembra dele, por lá ter sido assistido. Sara fica perturbada e a acreditar que Nuno voltou para se vingar. Rita aparece entretanto e depois de Rogério sair do gabinete, diz a Sara que está ali para ir à reunião da administração da empresa. Sara, tenta demovê-la e convencê-la a vender a sua parte da Faina Norte mas Rita insiste em continuar a tomar conta do que é seu.

Pedro tenta convencer Raia a deixá-lo ir embora do barco quando atracarem em Bergen, prometendo guardar segredo sobre o contrabando de tabaco. Raia mostra-se ameaçador e deixa claro que ele não pode sair, dando-lhe uma palmada amistosa na cara. Pedro não se conforma e acaba por se agredir a si próprio num pé para forçar a que o mandem de volta para Portugal.

Fernando regressa ao continente no avião em que António está e depois de conversar um pouco sobre o atropelamento que sofreu e do filho que descobriu ter, tenta sensibilizar o enteado a tomar o partido da mãe nas disputas com Rita, argumentando que a família é sempre o mais importante. António defende a namorada e aprova que ela finalmente possa controlar o que é seu por direito.

Depois do almoço em casa de Inês, Afonso deixa-a desconfortável quando confessa que a acha estranha desde que ele regressou a casa. Inês acaba por ser salva pela chegada de Carmo que pretende falar com ele. Afonso permite que a mãe justifique as razões para o ter deixado ao cuidado dos avós, embarcando na mentira de que era apenas sua irmã mas Carmo fica derrotada com a frieza com que ele a trata, acabando por aceitar ir embora, retirando-se a chorar.

Isabel censura Joaquim por ter permitido que Carmo fosse falar com Afonso e toma comprimidos para aliviar as dores que sente, continuando a esconder a doença grave que tem. O marido reage ao seu mau humor e defende que devem dar tempo a Afonso para que ele consiga digerir os erros que cometeram ao esconderem que são seu avós e Carmo sua mãe. Isabel fica ainda mais irritada e exige-lhe que nunca se esqueça de que fizeram o que deviam fazer.

Luísa confessa a Matias que atropelou Fernando, o homem de quem tem fugido durante anos. O psicólogo adverte que terá de avisar as autoridades se souber que ela tenciona fazer mal a mais alguém. Luísa não desarma e assegura que não planeou nada e que já não se sente segura nos Açores.

nas redes

pesquisar