SIC

Perfil

De segunda a sábado

Resumo: 7º Episódio - 8 de maio (segunda-feira)

António leva Rita à sua casa de infância e beijam-se apaixonadamente!

Christian Gnad

*OS RESUMOS DOS EPISÓDIOS ESTÃO SUJEITOS A MUDANÇAS EM FUNÇÃO DA EDIÇÃO DA NOVELA

Horácio é espancado num beco por dois homens encapuçados que o avisam de que se não expulsar Rita de casa, irão atrás da sua família. O pescador não se deixa intimidar e por isso é ainda mais agredido a socos e pontapés, ficando muito maltratado no chão.

Sara discute com Fernando e censura-o por ter mandado espancar Horácio, numa altura em que podem estar debaixo da investigação policial que procura desvendar a morte de Simão. Fernando volta a defender que quando Rita perceber que ninguém a ajuda se irá embora mas Sara insiste em que devem agir em comum e não cada qual para seu lado.

Horácio chega a casa todo esmurrado e causa grande aflição em Lucinda e Rita. Questionado sobre o que aconteceu, o pescador esconde a verdade e diz que foi assaltado.

Sal planeia um segundo funeral do pai mas com o caixão fechado.

Luísa continua atormentada pelo passado e confessa a Matias que não tem coragem de contar a Jaime e a Kiko o seu passado, temendo a reacção do marido e do filho se souberem que ela tem mais uma filha, que abandonou. O psicólogo encoraja-a a revelar a verdade, até porque não tem qualquer justificação para não deixar os Açores, ao contrário da vontade de Jaime.

Isabel discute mais uma vez com Afonso porque ele se recusa a tomar conta da empresa, preferindo trabalhar noutras áreas. Afonso sai intempestivamente de casa e Isabel desabafa com Joaquim que está cada vez mais difícil falar com ele. O marido pergunta-lhe ironicamente se ela quer que ele lhe explique porquê.

Rita fica incomodada com o telefonema que recebe de António mas acaba por concordar em encontrar-se com ele.

Sofia repreende Elsa por ter falsificado a sua assinatura depois de ela receber nota negativa num teste mas fica ainda mais zangada quando Cláudia assume ter sido ela a fazer a falsificação. No meio da discussão, Elsa explode de raiva e parte um vaso, indignada com os elogios da mãe à irmã por comparação consigo. Antes de sair para o restaurante, Sofia entrega a Cláudia a responsabilidade de chamar a irmã à razão.

Mário protesta com Sofia por ela o ter deixado sozinho no restaurante mas ela chama-lhe à atenção para o facto de o trabalho os estar a fazer faltar com o apoio de que as filhas precisam. O marido ignora-a e continua a trabalhar, ficando espantado quando Horácio chega na companhia de Rita, exibindo a cara muito mal tratada e justificando que foi vítima de um assalto. Rita aproveita para perguntar a Horácio se na infância ela e António eram assim tão próximos. O pescador confirma que sim e acrescenta que ainda hoje são.

Vítor tenta que Bruno lhe permita deixar o carro estragado na oficina mas ele nem quer ouvir falar do assunto e deixa-o a falar sozinho enquanto se prepara para ir ao encontro da amante.

Elsa não se conforma pela forma como os pais se relacionam com ela e acha que Cláudia é a filha preferida. A irmã tenta fazê-la crer que está errada mas sem sucesso. Aproveitando que Cláudia está na cozinha a prepara o jantar para ambas, Elsa recebe uma carta sua que chega do conservatório de Aveiro e esconde-a na mochila da escola. Quando a irmã lhe pergunta quem era, Elsa mente e responde que era publicidade.

Renata expulsa Bruno da sua casa depois de ele lhe oferecer como presente de aniversário uma fruteira que fez a partir do tampão de um automóvel e furiosa por ele sugerir que festejem o aniversário em casa em vez de irem jantar fora.

André fica furioso com Vítor quando ele conta que perdeu todo o dinheiro que ele lhe tinha confiado para apostar na sua corrida e exige-lhe que lhe devolva os quinhentos euros, ameaçando contar aos pais. O irmão não se rala e dispara que eles haveriam de ficar contentes se soubessem que ele perdeu o dinheiro nas apostas. Lucinda entra na sala naquele momento e André é obrigado a disfarçar.

Bruno deixa Pedro intrigado quando entra em casa à pressa à procura de uma chave de fendas sem dizer ao filho para que é que a quer com tanta urgência. Bruno acaba por sair de casa mais depressa do que entrou.

Carmo confessa a Eunice a sua inquietação por não conseguir falar com Afonso. Rita entra na mercearia para se encontrar com António que já a aguarda. Ele não perde tempo a pedir-lhe que lhe dê uma oportunidade e ela recusa-se a continuar a conversa, saindo disparada para a rua. António persiste e vai atrás dela, conseguindo com muito esforço que Rita entre no seu carro e aceite acompanhá-lo a um sítio.

Luísa fica zangada com Jaime por ele ter aceitado a proposta de trabalho que recebeu sem a consultar mas é incapaz de responder quando ele diz que se ela lhe der uma boa razão para continuarem nos Açores recusará o trabalho.

Inês fica desagradada com Afonso porque ele quer tanto escapar ao controlo da mãe que nem sequer se incomoda com o futuro da relação.

António leva Rita até à casa onde ela viveu com a família até à morte do pai. Esse regresso ao passado e o facto de António revelar que quando ela desapareceu da sua vida o fez mergulhar na mais negra das existências leva Rita a beijá-lo com grande paixão.

Bruno volta à carga com Renata e vai a casa dela com uma pulseira que lhe oferece como presente de aniversário. A cabeleireira fica embevecida e até aceita jantar em casa em vez de irem ao restaurante. As pazes ficam seladas com um beijo.

Lucinda não acredita que Horácio tenha sido vítima de uma tentativa de assalto e obriga-o a confessar que foi espancado por ter acolhido Rita lá em casa. A mulher acha que devem mandá-la embora mas Horácio responde com dureza que não irá expulsar a rapariga e que encontrará uma solução para o problema.

Eunice aperta com Bruno para saber onde é que ele passou a noite e não fica convencida quando ele justifica que fez serão na oficina a arranjar o carro de Vítor. O mecânico fica ainda mais aflito quando a mulher diz que não encontra a pulseira de ouro da mãe e murmura para si que foi uma má ideia ter roubado a sogra para presentear a amante.

Fernando pergunta com cinismo a Horácio o que é que lhe aconteceu à cara e o mestre de redes mente dizendo que deu uma queda. Entretanto, o pescador reclama junto dos patrões o pagamento da última viagem e tanto Sara como Fernando recusam, argumentando que a carga foi apreendida tal como o navio. Horácio insiste e ameaça com a recusa dos pescadores à faina. Para sua grande surpresa, Fernando dispara que quem se recusar a embarcar numa nova viagem nunca mais trabalhará para a Faina Norte.

Sal discursa no funeral de Osvaldo e percebe que Lucinda se escapa discretamente.

nas redes

pesquisar