SIC

Perfil

Semana de 27 de julho a 2 de agosto

Célia é eleita a presidente do Conselho da Universidade!

Ferraço pede que Maria Paula não desligue. Sílvia reage ao ouvir o nome da rival. Ferraço mente que queria saber notícias de Renato. Maria Paula pede que ele não ligue mais tão tarde. Sílvia sai da sala, sem que Ferraço perceba e finge dormir. Carlão volta para casa e diz que está quebrado. Bernardinho manda que ele se deite no chão. Amara marca um encontro com Carlão. Andréia observa Petrus e Bijouzinha. Andréia diz a Petrus que ele só quer fazer ciúmes para ela. Petrus garante estar gostando de Bijouzinha e Andréia o beija. Waterloo os observa. Petrus reafirma seu amor por Bijouzinha. Débora chora quando Antônio é carinhoso com ela. Barreto leva o projeto de reurbanização da Brejolândia para Juvenal, que promete cumprir com a sua palavra. Geraldo e Guigui temem que a população descubra que Ferraço está por trás do projeto. Júlia deixa o filho na creche e começa a trabalhar com Duda. Juvenal sugere e Maria Eva oferece emprego a Benoliel, que promete pensar. Juvenal proíbe Evilásio de distribuir panfleto na porta da associação. Evilásio enfrenta Juvenal. Narciso acalma os ânimos. Juvenal acusa Narciso de tê-lo traído e o proíbe de entrar na Portelinha. João Batista para Antônio a traição de Débora. Os mecânicos seguram Antônio. Célia acusa Branca de ter roubado a universidade e mostra os extratos do cartão corporativo. Débora tenta se explicar, mas Antônio a manda embora. Rudolf faz discurso contra Branca. Clarissa procura Sílvia e diz que Branca está sendo acusada e que isso pode fechar a universidade.

Sílvia diz que quer distância de Célia, de Clarissa e da universidade. E garante torcer contra Branca, enquanto expulsa Clarissa. Clarissa volta e enfrenta a irmã. João Batista impede que Sílvia jogue uma pedra em Clarissa. Sílvia se debate, mas João Batista a segura força. Os dois se sentem atraídos, mas logo Sílvia se desvencilha. Ronildo presta atenção quando Guigui mexe na gaveta de dinheiro. Branca lê o relatório e garante que não teve intenção. Célia pede o seu afastamento e Branca reage. Macieira diz que o relatório está correto e que se sente também culpado por aceitar os presentes comprados com o cartão corporativo. Branca diz que se afastará da universidade até a auditoria estar completa e sua dívida paga. Macieira entrega a caneta comprada com o cartão e renuncia ao cargo de reitor. Rudolf e outros alunos erguem faixas contra Branca. Macieira apóia Branca, que expulsa os estudantes da administração. Branca insiste e Macieira decide continuar no cargo. Célia é eleita a presidente do Conselho. Barreto chora quando Gioconda fala da possibilidade de Barretinho não acordar mais. Sabrina reza. As pálpebras de Barretinho se mexem, quase que imperceptivelmente. Alzira dá sua aula e os homens a observam pelo vidro. Alzira se assusta ao ver Dorgival entre eles, vai atrás dele, mas não o encontra. Débora pede perdão a Antônio na frente de todos na oficina. Ele a manda embora e depois chora. Barretão pega Ferraço pelo colarinho, quando ele fala sobre a condição de Barretinho. Bárbara aconselha Ferraço a se livrar de Sílvia. Sílvia pede a Ferraço que eles tenham um novo começo e sugere uma viagem a Teresópolis com Renato.

Ferraço concorda com a viagem. Sílvia se lembra do passeio de barco com Renato e do fato de ele não sabe nadar. Ferraço avisa Maria Paula que irá passar na casa dela. Sílvia observa João Batista. Branca diz a Macieira que achava que seu pró-labore cobria as despesas do cartão. Ramona diz a Branca que tem certeza de que ela não agiu de má-fé. Célia olha Branca partir com olhar debochado. Macieira ameaça Rudolf, que se prepara para ofender Branca. Claudius se decepciona quando Juvenal fala em suspender o embargo da fábrica de cimento e não concorda com um acordo com Ferraço. Ferraço manda Queiroz baixar os custos do projeto da Brejolândia. Waterloo não acredita quando Ronildo conta que está trabalhando para Juvenal. Alzira pede notícias de Dorgival para Socorro e elas se desentendem. Jojô interfere. Dorgival pede que Socorro não revele seu paradeiro. Dagmar consola Antônio. João Batista liga para Débora, que desliga e chora desconsolada. Zé volta de viagem. Amélia o recebe com carinho. Sabrina diz a Celestino que só sai do hospital quando Barretinho sair do coma, pois sente remorso, mas ele afirma que a filha o ama. Macieira avisa Célia que o maior benemérito da universidade suspendeu suas doações. Os professores são avisados que perderão o bônus. Clarissa diz a Célia que ela fez a coisa certa da maneira errada e teme a reação de Branca. Branca abre a porta e encontra Sílvia.

Sílvia acusa Branca de ser estelionatária e garante estar muito feliz em vê-la na lama. As duas brigam. Andréia percebe que está sendo observada e encontra Edivânia escondida. Ela diz que estava espionando Ezequiel. Sílvia volta para casa descontrolada e briga com Bárbara. Débora chora arrasada, olhando para suas malas. Antônio, desolado, não vai embora da oficina. Gioconda e Barreto conversam sobre a infância do filho e choram, preocupados. Narciso mostra o resultado de uma pesquisa secreta que fizeram na Portelinha. Juvenal também recebe uma cópia e ironiza por nada ser feito na sua favela sem o seu conhecimento. Evilásio e Juvenal se surpreendem ao ver que estão empatados nas intenções de voto e decidem traçar uma estratégia para conquistar os indecisos. Juvenal manda Geraldo organizar um showmício. Júlia não se conforma por Evilásio ter que pedir autorização à associação de moradores para fazer um comício. Juvenal elogia Ronildo, o que desperta os ciúmes dos anões. Eva manda Benoliel correr e aprender a usar sua fantasia para trabalhar na Indiana Tours. Bernardo convida Nadir para jantar. Renato percebe que Maria Paula está ansiosa com a visita de Ferraço. Bárbara, Benoliel e Fernanda brindam ao novo emprego. Barretinho recobra a consciência e diz que não morreu porque Sabrina ficou ao seu lado. Heraldo e Dália vêem Bernardinho e Carlão. Maria Paula abre a porta para Ferraço.

nas redes

pesquisar