SIC

Perfil

De segunda a sexta

Dancin'Days - Resumo de 19 a 24 de setembro

Júlia é acusada de ter matado Hugo!

Raquel impede que Júlia vá pedir satisfações a Duarte, depois de o ter avistado a beijar Mafalda. A irmã está fora de si e mal aguenta ver o homem que ama nos braços de outra. Ao longe, Duarte também acaba por alcançar Júlia com o olhar e perde o sorriso que está e exibir a Mafalda. Esta não se apercebe do que se está a passar porque nesse momento está a apertar os atacadores dos ténis. Júlia paga a despesa do café e desaparece o mais rápido que pode, seguida por Raquel. Duarte também prefere regressar a casa, dizendo à namorada que já não está com energia para correr mais, disfarçando o mau estar com o contacto visual que acaba de ter com Júlia. Esta, abre a porta do carro e conta a Raquel que só não esteve com Duarte porque resistiu, tentando convencer-se, mais uma vez, de que não foram feitos para ficarem juntos. A irmã defende que ela deve apostar no casamento que tem com Artur.

Hernâni chega em grande desânimo ao pé de Nicole e, depois de muita insistência por parte da mulher, lá conta que o problema de disfunção eréctil de que padece é psicológico e que o médico urologista lhe receitou comprimidos para tratar a doença. Inicialmente, Hernâni bate o pé recusando fazer o tratamento mas Nicole obriga-o a mudar de decisão, culpabilizando-o por não andar sexualmente realizada.

Cristóvão conforta Cátia pela morte de Hugo mas ela esclarece que embora fosse uma amiga próxima do falecido, não eram namorados. Aproveitando o facto de Cristóvão estar a falar de amor, Cátia incentiva-o a pedir Matilde em casamento e Sónia ajuda a prima a tentar convencê-lo. Só que o gerente da loja Gourmet não está convencido de que isso seja o melhor para si. Quando se afastam, Cátia tem de silenciar a prima que ri da situação e com isso pode atraiçoar os seus planos para separar Cristóvão de Matilde.

Isabel está a tirar cafés para Cátia e Sónia quando Liliana aparece para levar Mónica a almoçar. Isabel fica profundamente desagradada mas, para não hostilizar a filha, acaba por autorizá-la a ir com a irmã. Liliana, matreira, acaba por pedir desculpas por não ter avisado.

Duarte acaba por confessar a Mafalda que a razão do seu súbito silencio e angustia se prende com o facto de ter avistado Júlia enquanto corriam. Mafalda deixa o namorada à vontade e assegura-lhe que todas as pessoas carregam um passado e que não teme perdê-lo, uma vez que não quer ter mais com ele do que tem neste momento.

Júlia regressa a casa em estado de choque e farta-se de chorar, ao mesmo tempo que destrói, com grande raiva, todos os presentes e cartas de amor que Duarte lhe escreveu. De seguida, telefona a Carminho, à procura de um ombro amigo onde chorar a sua mágoa, revelando finalmente que não aguenta ver Duarte com outra mulher. Carminho chama a amiga para conversarem depois do seu turno na clínica e adianta que foi beijada por Vasco e que não teve coragem de contar o incidente a Jorge.

Alberto pergunta a Paulo onde tenciona levar os pais para passear mas a conversa é interrompida por uma chamada que ele recebe da Alemanha para concretizar um negócio. Amélia continua a achar que é um fardo para os patrões e pede a António para ir viver com ele para o Luxemburgo. O filho, apanhado de surpresa responde que essa decisão deve ser muito bem ponderada e que tem de falar com a mulher. Amélia esperava outra receptividade de António e fica amuada por ele colocar a sua decisão nas mãos de Alice. Sem imaginar o que a empregada está a pensar fazer. Ester chama toda a gente para almoçar.

Júlia fica incomodada, porque Artur insiste em ter um filho com ela e justifica esse desejo com o facto de a amar. Ela esquiva-se à conversa e para acabar com ela lembra que já tinham encerrado o assunto. Nisto, a campainha de casa soa e Júlia é forçada a acompanhar os agentes da polícia judiciária para interrogatório, pois é encarada como a principal suspeita da morte de Hugo. Júlia não resiste e vai prestar depoimento de livre vontade, enquanto Artur vai alertar o seu advogado.

Livre da pressão de Hugo e contente pelo facto de ele ter morrido, Raquel conta a Babi o que sofreu às suas mãos, inclusive a simulação do assalto à casa. Babi reconhece que acha estranho que um conhecido seu tenha morrido dessa forma.

Mariana insulta Gui ao telefone porque quer levar ao hotel umas roupas que comprou a Carolina e ele opõe-se a essa sua iniciativa. Mariana assume perante Nonô que não está disposta a esperar que a filha tenha doze anos para passar um pouco mais de tempo com ela.

Duarte ralha com Gui por ele não ter atendido o pedido de Mariana, mas o irmão continua casmurro e reafirma que não vai ceder entregando a filha a Mariana. Duarte conta, por sua vez que está muito bem com Mafalda, apesar de terem encontrado Júlia quando foram correr.

Alberto não perde uma oportunidade de negócio e tenta convencer António a dar-lhe uma ajuda para entrar no mercado alemão. Ester pressiona o marido para que concretize o negócio e também não desdenha a possibilidade de o acompanhar se ele tiver de viajar até à Alemanha.

Bernardo conta a Teresa que está a trabalhar num processo que o levou a chegar mais tarde. Ela mostra-lhe com orgulho o colar que comprou e aceita a ajuda do marido para o colocar. Teresa fica embevecida com os elogios de Bernardo que se entretém depois a ver um programa de automóveis.

Júlia permanece nas instalações da Polícia Judiciária e começa a ficar preocupada uma vez que, apesar de responder a todas as perguntas do inspector, este continua a considerá-la como a principal suspeita da morte de Hugo, com base nos testemunhos recolhidos. O advogado de Júlia, Alves Cardoso, prepara-se para desmontar a acusação do inspector Garcia.

Amélia conta a Ester que pediu ao filho que a levasse com ele para viver no Luxemburgo. A patroa reafirma que ela é da família e que a considera como uma irmã, que não gostaria de ver partir. No entanto, se for essa a sua vontade não se oporá, deixando claro que não a considera um estorvo. Amélia agradece a confiança e ajuda Ester a fazer pastéis.

Áurea entra em crise psicológica por causa de Inês que continua muito doente na clínica. Culpa-se pela doença da filha mas conta com o apoio de Isabel, fundamental para não fazer um disparate.

Carminho deixa claro a Vasco que é uma mulher casada e com uma filha, reafirmando que não quer nada com ele. O treinador não esconde que fica chateado com as observações da massagista. Entretanto, Carminho avisa Lúcia que Júlia vai chegar para falar com ela.

Mariana fica perplexa com a notícia da detenção da mãe e explica a Nonô que ela foi detida por ser a principal suspeita da morte de Hugo.

Nesse instante, Júlia é formalmente acusada da morte de Hugo, porque a polícia descobre que ela acabou por devolver uma arma de nove milímetros, calibre que corresponde àquela que tirou a vida ao rival.

Júlia tenta fazer ver ao inspector Garcia que não assassinou Hugo e que nunca iria entregar na polícia uma arma com que tivesse cometido um crime. Perante as dúvidas do agente ainda acrescenta que a pistola que entregou às autoridades pertencia a uns amigos que pretendeu ajudar com esse gesto. Garcia não se demove e comunica-lhe que vai ficar detida até ser presente a um juiz no dia seguinte. Alves Cardoso, o advogado de Júlia, opõe-se mas o inspector mantém a sua decisão e ordena a dois agentes que conduzam Júlia aos calabouços, para onde sai algemada.

Raquel e Artur ficam angustiados quando Júlia passa algemada por eles. Júlia pede a Raquel que diga a Mariana que tudo não passa de um equívoco e que se encontra bem.

Mariana sofre por não ter mais notícias da mãe, mas também porque nunca mais chega o dia de voltar a ter Carolina consigo. Nonô conforta-a e diz que, mais tarde ou mais cedo, Gui vai compreender o erro que está a cometer ao mantê-la afastada da filha. Como Mariana mantém a sua expressão mais triste, Nonô faz-se convidada para jantar com ela.

António conversa com Ester e conta-lhe que Amélia lhe pediu para a levar com eles para o Luxemburgo, quando terminarem as férias. Constrangido, o filho da empregada explica que têm uma casa pequena e que trabalham de manhã à noite, assumindo que não podem cuidar dela como seria desejável. A solução que António defende é colocar Amélia num lar, mas Ester opõe-se com determinação, vincando que a mãe dele é da família e que não permitirá que a coloquem numa instituição. Sem que se apercebam, Amélia escuta a conversa e vai para a cozinha a chorar, muito magoada com a atitude do filho. Alberto aparece nesse momento e fala ao telefone num inglês rústico com uns clientes. Depois de desligar, nota que Amélia tem os olhos vermelhos e pergunta-lhe se esteve a chorar. Ele disfarça e inventa que lhe entrou um cisco para a vista. Distraído, o patrão engole a mentira e vai continuar o trabalho que tem entre mãos.

Sem saber que Júlia foi presa, Nicole protesta porque ela voltou a faltar à reunião que tinham combinado. Hernâni desvaloriza e Nicole senta-se a seu lado, começando a seduzi-lo, sugerindo que vá tomar um comprimido azul para “brincarem” depois do jantar. O marido é obrigado a confessar que não aviou a receita por ter vergonha e Nicole avisa-o que está a ficar muito desiludida, deixando implícito que se ele não mudar de atitude o relacionamento entre eles não vão ficar bom.

Sónia confessa a Cátia que está a precisar de arranjar um namorado e que vai escolher um dos colegas que participou com ela no reality show, para voltar a ser falada nas revistas. Cátia aproveita a presença da prima e, depois de lhe dar um toque com o cotovelo, insiste com Cristóvão que ele tem de pedir Matilde em casamento. Cristóvão não se mostra receptivo mas as primas conseguem convencê-lo de que esse é o passo que tem de dar para fazer a felicidade da namorada. O rapaz acaba por concordar com elas e aceita ouvir os conselhos que têm para lhe dar sobre a melhor maneira de fazer o pedido de casamento. Cátia troca um sorriso malandro com Sónia, contente por estar a resultar o plano para acabar com a relação de Cristóvão com Matilde.

Luísa dá o braço a torcer e faz as pazes com Ivo, aceitando-o de volta à loja esotérica.

Isabel e Urbano conversam com Mónica e contam-lhe que Liliana quer levá-la para viver com ele e o outro irmão no Porto. A filha fica entusiasmada com a ideia mas também assume que gosta muito de viver com eles, dizendo que terá de pensar muito bem na decisão que vai tomar. Mónica vai para o quarto, falar com Tânia no computador, enquanto Isabel fica à beira das lágrimas, convencida de que vai perder a filha adoptiva para sempre. Urbano defende que a mulher deve confiar mais em Mónica e que tomaram a atitude certa ao contarem à filha a conversa que tiveram com Liliana.

Carminho, culpada por ter permitido que Vasco a beijasse, propõe a Jorge passarem uns dias juntos, apenas os dois, deixando a filha com os avós, para poderem namorar à vontade. Jorge fica entusiasmado com a ideia mas a felicidade do casal é interrompida pela notícia de que Júlia foi presa, por ser a principal suspeita pelo assassínio de Hugo.

Mariana fica desnorteada ao saber que a mãe está presa. Nonô e Raquel esforçam-se por acalmá-la e a tia assegura que tudo acabará em bem porque Júlia tem um advogado muito bom, o que tratou da sua liberdade condicional. Mariana pede a Raquel que durma com ela nessa noite e Nonô acaba por ir embora, uma vez que a amiga está acompanhada. Raquel abre os braços e recebe Mariana, que se aninha no seu colo.

Na manhã seguinte, Mariana faz questão de estar ao lado de Júlia até que o juiz tome uma decisão sobre a medida de coacção lhe irá aplicar.

Duarte fica em estado de choque quando Gui lhe conta que Júlia está presa, suspeita de ter assassinado Hugo Figueiredo. Duarte sai em defesa da mulher da sua vida, garantindo que ela é incapaz de matar seja quem for.

Áurea e Inês ficam esperançadas quando o doutor Carvalho confirma que Inês está a reagir muito bem ao tratamento electroconvulsivo e que, em breve, poderá considerar a possibilidade de lhe dar alta. Áurea reconhece que está desejosa de levar a filha para casa.

Amélia confessa a Ester o desgosto que sente por ter escutado António dizer que está a pensar metê-la num lar. Ester faz-lhe ver que o filho não tem condições para a sustentar no Luxemburgo e que essa foi a única ideia que lhe ocorreu para arranjar quem tome conta dela. Amélia chora, mas Ester assegura que não a vai deixar sair lá de casa, porque ela também é da família, que o seu lugar é ali, independentemente do que o futuro lhes reservar a todos na velhice. Ester dá um abraço a Amélia, que lhe agradece por tudo. Vera entra de rompante na cozinha e conta que Júlia foi presa porque a polícia acha que foi ela quem matou Hugo. Ester e Amélia ficam estarrecidas com a notícia.

A juíza decide que Júlia fica em prisão domiciliária com pulseira electrónica. Ela exclama que estão já a condená-la por um crime que não cometeu. O advogado faz notar que é melhor estar em casa do que na cadeia e afirma que vai começar a preparar a sua defesa. Na sala de audiências Artur, Raquel e Mariana trocam olhares de preocupação. Alves Cardoso explica depois a Mariana que a polícia vai escoltar a mãe e colocar-lhe a pulseira electrónica. O advogado acrescenta que outra brigada vai montar o dispositivo de alarme que sinaliza uma eventual tentativa de fuga. Raquel impacienta-se e diz que quer ir para casa da irmã, para a receber quando ela chegar.

Hernâni vai ter com Nicole à loja e mostra-lhe a caixa com os comprimidos que acabou de comprar na farmácia do Silva. Ela fica excitada com a possibilidade de poderem voltar a ter em breve uma vida sexual activa e normal. Hernâni vai para casa, esperando a mensagem que Nicole vai enviar, para que tome o comprimido.

Cristóvão escuta os conselhos de Sónia para decidir como é que vai pedir Matilde em casamento. No entanto, ela só tem ideias impossíveis de concretizar e Cristóvão prefere esperar por Cátia, para ouvir o que ela tem para dizer.

Cátia reclama a massagem a que tem direito, exibindo o voucher que Sebastião lhe vendeu, mas Lúcia diz que o voucher não tem validade e arranja uma discussão com a cliente. Urbano ouve os gritos na recepção e intervém, mandando Lúcia telefonar ao Sebastião, para que esclareça a situação. Como ele não atende, Urbano ordena que seja preparado o gabinete de massagem para Cátia, dizendo que mais tarde falará com o funcionário. Enquanto Lúcia encaminha simpaticamente Cátia para o gabinete. Urbano não esconde a sua preocupação, adivinhando problemas com Sebastião.

Júlia esforça-se por tranquilizar Mariana, enquanto os agentes da polícia judiciária preparam a pulseira electrónica que lhe vão colocar e o dispositivo de alarme com que vão controlar a sua permanência em casa. Artur afaga o cabelo de Júlia ao mesmo tempo que afirma considerar desnecessária aquela vigilância. Júlia confessa emocionada que não queria que a filha a visse outra vez naquela situação. Mariana tenta desvalorizar a situação dizendo que ao menos a mãe pode estar junto da família e ao pé das suas coisas, reafirmando que ela é inocente e que gostará sempre dela. O inspector Garcia pede a Júlia que se sente para lhe colocar a pulseira electrónica e Júlia murmura, entristecida, que vai começar tudo outra vez.

Júlia diz que não se conforma por estar presa em casa, acusada do homicídio de Hugo. Artur mostra-se convicto de que a investigação vai demonstrar que ela está inocente, enquanto o advogado afirma que vai pedir urgência nas averiguações. O inspector Garcia despede-se da equipa de vigilância que montou o sistema de alarme que vai controlar os movimentos dela. Mariana e Raquel confortam Júlia, garantindo-lhe todo o apoio dia e noite para que não se sinta sozinha. O inspector da PJ avisa-a de que não pode sair de casa, nem que seja para o patamar. Se isso acontecer o alarme é accionado e, de imediato, aparecerá uma brigada para se certificar de que ela não fugiu. Mariana abraça a mãe quando Júlia murmura que nunca pensou ver-se naquela situação outra vez.

Duarte lê no computador a notícia da prisão de Júlia e dá sinais de preocupação. Mafalda aproxima-se dele e pergunta-lhe se aquela não é a sua antiga namorada. Duarte confirma que sim mas acaba com a conversa assim que consegue, pois está muito desconfortável com a situação. Pergunta a Mafalda se podem almoçar juntos mas ela diz que tem de tomar conta de duas crianças durante todo o dia. Quando ela sai, Duarte volta ao computador, angustiado com a situação que Júlia está a viver.

Enervado por ver Júlia presa em casa, Artur ralha com ela porque está sempre a tentar resolver os problemas dos outros e defende que Alberto é que deveria ter ido à polícia entregar a pistola de Inês e que ela não devia ter ido falar com Hugo para defender Raquel. Júlia não gosta das críticas que ouve e dispara que esperava maior apoio da sua parte. Raquel assume que tem alguma culpa pelo facto de a irmã estar detida em casa e ela rejeita essa ideia, vincando que quem se está a rir de toda a situação é o verdadeiro assassino de Hugo que está em liberdade. Artur assume que está revoltado com a situação e desculpa-se pelo que disse, reconhecendo que ninguém tem culpa de nada e que agora é importante arranjar forma de Júlia se ver livre da pulseira eletrónica. Júlia recebe uma chamada de Urbano, que lhe presta solidariedade, oferecendo-se para a ajudar no que for possível.

Depois de desligar o telefone, Urbano pergunta a Lúcia quando é que Sebastião entra ao serviço e pede à recepcionista que faça um levantamento dos vouchers que ele vendeu e das massagens que foram feitas ao abrigo daquela promoção.

António é apanhado de surpresa por Amélia que revela já saber que ele a quer pôr num lar. O filho justifica-se com o facto de nem ele nem a mulher terem possibilidades de tomarem conta dela no Luxemburgo e que não tomou aquela decisão por querer ou de ânimo leve. A mãe mostra-se magoada e diz com ironia, que nem ele nem Alice têm qualquer sentido de família, ao contrário de Ester que a convenceu a aceitar continuar lá em casa. Amélia vira as costas a António, deixando o filho a falar sozinho.

Ester repreende Alberto e Hernâni, que têm os papéis da empresa todos desarrumados. Hernâni diz que não tem culpa de nada e Alberto diz que até agora não tem qualquer queixa dos clientes e que a sua desorganização funciona muito bem. Logo de seguida é obrigado a engolir as suas palavras, pois descobre que um dos clientes está prestes a chegar e ele estava esquecido de o ir buscar ao aeroporto. Ester comenta com ironia que é a desorganização a funcionar, enquanto Hernâni se esquiva a acompanhá-lo, com o argumento de que tem coisas combinadas com Nicole.

Isabel faz companhia a Nicole, que almoça sozinha, explicando que como Hernâni vai trabalhar para casa de Alberto, acaba por almoçar lá. A manicura acrescenta que até está a pensar em convidar Ester e Alberto para jantar, como forma de retribuir. Isabel pergunta-lhe, acanhada, se já está tudo bem entre ela e o marido e Nicole responde que vai estar, pois o médico já lhe receitou os comprimidos. Áurea chega nesse instante e conta que Inês melhorou e que o psiquiatra garantiu que se continuar assim lhe vai dar alta. Isabel afirma, contente, que são só boas notícias. A amiga, prudente, deseja que não haja algum retrocesso.

Sónia continua a dar ideias estapafúrdias a Cristóvão, sobre a forma como há-de pedir Matilde em casamento, desde aparecer-lhe montado num São Bernardo até saltar de um tambor de uma orquestra. Sónia finge-se melindrada por estar a tentar ajudá-lo e ele não aceitar qualquer sugestão. Quando Matilde chega para irem almoçar, Sónia incita-o a tentar perceber os gostos da namorada e quase se descai, ao perguntar-lhe se gosta de São Bernardos. A rapariga fica confusa e Cristóvão disfarça, dizendo que ela já sabe como é que Sónia é.

Carminho pede a Urbano para marcar uns dias de férias, explicando que precisa de algum tempo para passar com Jorge, o que já não faz desde que a filha nasceu. O médico não coloca qualquer obstáculo e Carminho sai do gabinete agradecida. Nesse instante aparece Sebastião, que se preparava para bater à porta. Urbano manda-o entrar e confronta-o com o facto de ele andar a vender vouchers de massagens fora da clínica e de o dinheiro não ter dado entrada na caixa. Sebastião ainda tenta fingir que não tem nada a ver com o assunto, mas as provas são tão evidentes que acaba por confessar que anda com problemas e que gastou o dinheiro que ganhou. Urbano faz com que ele devolva os vouchers que ainda tem em seu poder e despede-o. Sebastião acata a decisão do patrão e pede desculpa por tê-lo deixado ficar mal.

Vera desabafa com Nonô e Mariana e conta que tem sentido Sebastião muito estranho nos últimos tempos, temendo que ele tenha sofrido uma recaída e regressado às drogas. Nonô é de opinião que tem de confrontá-lo, mas Vera esclarece que já o fez. Mariana não segue a conversa, pois está mergulhada nos seus pensamentos. Quando elas a despertam, confessa que receia que a mãe fique de novo presa e que a justiça não funcione. Mariana compara o que sofreu sem a presença da mãe, durante longos anos, à situação que vive com a filha, uma vez que só está com Carolina de quinze em quinze dias, temendo que ela um dia ache que não quis passar mais tempo com ela.

As amigas contrariam aquela ideia e Vera recebe uma mensagem de Sebastião, que pede para se encontrar com ela. Vera confessa às amigas que receia o que ele tem para lhe dizer.

Gui pede a Filipa que vá buscar Carolina à escola e ela diz que tem muito prazer nisso, pois a menina dá sempre uns abraços tão carinhosos. Duarte chega nesse instante, depois de Filipa ir embora, conta a Gui que foi constrangedor ter sido forçado a responder às perguntas de Mafalda sobre a detenção de Júlia.

Ivo conta a Luísa que já libertaram o corpo de Hugo e que o funeral do irmão vai ser no dia seguinte, pois já tratou de todos os detalhes com a mãe. Luísa dispõe-se a acompanhá-lo, duvidando que a presença da mãe lhe sirva de consolo. Ivo lamenta não poder dar um funeral hindu ao irmão, mas diz que é proibido. Depois de Ivo regressar à loja esotérica, Isabel aproxima-se de Luísa e afirma que ele não é a mesma pessoa, pois a amiga que conhece não é assim tão fofinha. Luísa defende-se e diz que não tem uma pedra no lugar do coração. Isabel diz que ela está é apaixonada mas ela nega, assumindo que está apenas comovida com a tristeza de Ivo, pela morte do irmão.

Hernâni recebe a chamada de Nicole a dizer que já pode tomar o comprimido azul. Ele olha o medicamento pela última vez e engole-o. Logo de seguida, o telefone toca outra vez e trata-se de Alberto que lhe diz estar a caminho com o cliente que foi buscar ao aeroporto e que ele quer ter uma reunião imediatamente. Alberto diz ao sócio que o cliente é uma mulher e que está neste momento a ir ao seu encontro com ela. Hernâni ainda tenta travá-lo mas ele desliga a chamada, deixando-o aflito, sem saber como resolver a situação. Hernâni começa a tapar-se com almofadas, temendo o que possa acontecer sob o efeito do comprimido.

Cristóvão volta a ficar em cheque perante Matilde que o surpreende a conversar com Sónia e Cátia, depois de esta ter sugerido que ele prepare um pedido de casamento à namorada com uma coreografia que inclui algumas stripers. Cristóvão é obrigado a disfarçar e afirma que tudo faz parte de uma ideia que teve para o seu projecto científico. Matilde vai embora para a loja a dizer que cada vez o conhece menos. Ele fica desanimado, enquanto Sónia a Cátia estão muito sorridentes.

Mariana recebe uma proposta de trabalho para uma sessão fotográfica que coincide com o fim-de-semana em que vai ficar com Carolina. Nonô sugere-lhe que peça a Gui para trocar, acreditando que ele não pode ser assim tão parvo, que a impeça de estar com a filha.

Sebastião conta a Vera que foi despedido, tentando que ela acredita que foi por causa de Lúcia ter envenenado Urbano contra ele. A namorada não acredita na história e Sebastião é obrigado a dizer a verdade, confessando muito a custo que voltou a consumir cocaína. Ela promete fazer tudo para o ajudar e abraça o namorado, embora muito apreensiva.

Alberto chega a casa de Hernâni com Ivone Mertel, a investidora alemã que quer negociar a distribuição de vinhos no seu país. A mulher parece a chanceler alemã e Hernâni comenta o facto, em surdina, com o sócio, mas está muito aflito, pois o comprimido viagra começa a fazer efeito e obriga-o a cobrir-se com uma almofada. Nicole entra nessa altura em casa e fica surpreendida com a reunião se negócios. O marido apresenta-lhe a cliente e Nicole chama-o à cozinha para a ajudar a preparar as bebidas. Ele vai, muito a custo, mas sempre com a almofada a tapar-lhe as partes íntimas, agora sob o efeito do medicamento.

Mónica conta a Paulo que não sabe se há-de ficar a viver com Urbano e Isabel, ou optar por ir para o Porto viver com os irmãos. Apesar das dúvidas, reconhece que Isabel e Urbano são os únicos pais a sério que teve. Paulo acredita que se ela pensar bem saberá o que decidir. Ester ouve a conversa e aproxima-se para dizer que Isabel e Urbano são as melhores pessoas a quem podia ter sido entregue e que mesmo que fique com eles, os laços de sangue que tem com os irmãos nunca desaparecerão. Ester recomenda a Mónica que siga o seu coração na hora de decidir. A rapariga fica a pensar nos conselhos que recebeu.

Isabel lamenta não poder controlar a decisão de Mónica e reafirma que não vai suportar o desgosto se ela se for embora. Urbano lembra que sabiam que esse problema poderia colocar-se, pois a assistência social nunca escondeu que ela tinha irmãos e que Liliana já era maior. Urbano conforta Isabel mas ela está inconsolável.

Filipa vai buscar Carolina à escola e Mariana observa-as a uma distância segura para não ser vista. Fica muito irritada e à beira das lágrimas ao perceber a cumplicidade entre ambas e especialmente quando a educadora conta que a menina ficou toda contente por saber que seria Filipa a ir buscá-la. Quando esta se encaminha para o carro, Mariana aproxima-se dela e da filha, pegando-lhe quando a namorada de Gui lha entrega, simpaticamente. Mariana fixa Filipa com uma cara muito séria e diz achar que está na hora de conversarem as duas.

Mariana põe toda a emotividade que o seu coração pode expressar e pede a Filipa que interceda junto de Gui para que Carolina possa passar mais tempo com ela. Mariana argumenta que cresceu sem mãe e que não deseja que a filha passe pelo mesmo. Filipa mostra-se renitente em ajudá-la, dizendo que Gui é muito intransigente nesse assunto mas depois de reflectir um pouco, decide que vai conversar com Gui sobre o assunto. Mariana, com as lágrimas nos olhos, entrega Carolina a Filipa e despede-se da filha, esboçando um sorriso.

Artur regressa a casa vindo da Blondie e encontra Júlia muito susceptível, dizendo para descrever o seu dia, que foi dar um passeio e esteve numa esplanada. O marido percebe o seu desânimo mas chama-lhe à atenção que não é ele o seu inimigo. Júlia entende o seu excesso e pede desculpa. Raquel sugere que encomendem comida mas Artur, apressa-se a dizer que não se importa de fazer qualquer coisa rápida para ele e Júlia, lançando uma indirecta à cunhada. Ela acusa o toque e afirma compreender que eles estão a necessitar de privacidade. Júlia insiste com a irmã para que jante com eles mas Artur nada diz e vai tomar banho.

Mónica conversa com Liliana e assume perante a irmã que, seja qual for a decisão que tomar, vai sempre magoar alguém. Liliana reconhece que Urbano e Isabel gostam dela como uma filha, mas frisa que não lhe são nada, enquanto elas, por serem irmãs nunca deveriam ter sido separadas. De seguida, pergunta a Mónica o que decidiu, mas ela mantém a dúvida.

Cátia e Sónia continuam empenhadas em fazer com que Cristóvão peça Matilde em casamento mas ele está mais inclinado em desistir, duvidando que as ideias que deram resultem. As primas insistem agora que ele deve concentrar-se em comprar-lhe um anel, mas Cristóvão assusta-se quando Sónia avança que se gastar mil euros num, já não fica envergonhado. Cristóvão até se senta para recuperar o fôlego.

Hernâni ainda está envergonhado, com receio que a cliente alemã tenha reparado que ele estava com uma erecção, depois de ter tomado o comprimido azul com que tencionava satisfazer Nicole. Esta destaca o aspecto positivo do incidente, pois pelo menos ficaram a saber que o medicamento funciona. A manicura sugere-lhe que tome outro mas ele recusa, temendo sofrer um ataque cardíaco. Nicole deixa claro que não espera mais do que um dia para voltar a ter sexo. Hernâni promete que vai estar operacional na próxima tentativa.

Alberto diz que a alemã que lhes vai comprar os vinhos se fartou de criticar a forma como têm a empresa organizada. António reforça que os alemães são muito certinhos quando toca a contas. Ester pergunta a António e Alice onde foram passear e Amélia nem deixa o filho responder, dizendo que certamente foram à procura de um lar. Paulo não percebe o que a avó está a dizer e António censura a mãe, enquanto Alice desvaloriza o que a sogra disse e conta que foram aos pastéis de Belém. Vera chega para jantar com Sebastião, mas o namorado fica constrangido quando Alberto lhe faz perguntas sobre o trabalho na clínica e lhe pede que leve um abraço seu para Urbano, ignorando que o amigo despediu o rapaz nesse dia.

Carminho e Jorge escolhem o local onde vão passar uns dias de férias juntos. Ele pede-lhe apenas para dar uma palavrinha a Artur, pois desde que Júlia foi indiciada pela morte de Hugo, ainda não conseguiu falar com ele. Carminho conta ao marido que Urbano não colocou qualquer entrave a que fosse de férias.

Isabel fica emocionada e Urbano sorri de alivio quando Mónica lhes anuncia que quer continuar a viver com eles. Isabel abraça a filha enquanto ela pergunta se podem ir visitar Liliana e Fábio de vez em quando. O pai promete que ela irá visitar os irmãos sempre que quiser, enquanto Isabel afirma que até podem passar o Natal todos juntos.

Ester fala a sós com Amélia na cozinha e adverte-a de que não deve dizer certas coisas que diz à frente de Paulo, pois o neto não compreenderia os seus motivos. Ester defende António ao garantir que ele não teve má intenção quando quis arranjar-lhe um lar, apenas não reúne condições para a ter consigo no Luxemburgo. A empregada responde que Ester também não gostaria se Carminho e Áurea a pusessem num lar. A patroa lembra-lhe que a vida dá muitas voltas e que ela, se já está com o filho e a nora tão pouco tempo, mais vale que não o faça zangada com eles. Amélia fica a pensar naquelas palavras.

Vera conversa com Sebastião e ele confessa que continua a fingir que trabalha na clínica, pois sente vergonha por ter sido despedido. Ela lembra que Carminho também lá trabalha e que com certeza contará aos tios. Sebastião adivinha que depois de saber a verdade Alberto a proibirá de o ver, mas Vera garante que isso não acontecerá. Vera fixa Sebastião nos olhos e assume que agora é a sua vez de o apoiar, tal como ele fez consigo, dispondo-se a encontrar uma clínica que tenha acordo com o estado, de forma o namorado se possa tratar. Vera abraça Sebastião, empenhada em não o deixar cair.

Júlia reafirma a Raquel que queria que Hugo pagasse pelo que lhe fez, mas garante igualmente que não seria capaz de o matar. A irmã diz que acredita nela e diz que vai falar com Vera, na esperança de que ela possa fornecer uma pista sobre quem teria interesse em livrar-se dele.

Bernardo encontra-se com Paula a pretexto de lhe entregar o cheque devido pela pensão de alimentos do filho. O advogado espanta a ex-mulher com o interesse que demonstra pela vida do filho e surpreende-a ainda mais quando a convida para almoçar. Paula aceita o convite, mas fica incomodada ao ouvir a chamada em que Bernardo responde a Teresa que teve de reunir de emergência com um cliente, e por isso saiu de casa sem lhe dizer nada. Bernardo acrescenta que vai almoçar a casa e Teresa comunica isso mesmo à empregada. No entanto, não deixa de ficar pensativa sobre o comportamento do marido.

Filipa, Duarte e Mafalda conseguem convencer Gui a deixar que Carolina passe mais tempo com Mariana. Ele acaba por reconhecer que será benéfico que a filha esteja mais tempo com a mãe e diz que vai falar com a ex-mulher. Duarte faz com que o irmão confesse que se deixou manipular por Teresa.

Nonô estranha que Mariana tenha tido coragem de pedir a Filipa que intercedesse por si junto de Gui, mas a amiga frisa que a namorada dele é simpática e acredita que vai convencê-lo a permitir que ela passe mais tempo com a filha. Para além do mais, Mariana afirma que bastou olhar para a filha para ganhar essa coragem. A sua esperança que tudo acabe bem é tão grande que está a contar ter Carolina consigo quando fizer anos. Mariana comenta que ainda não falou com João e Nonô queixa-se de só ter recebido uma mensagem de Lucas, acrescentando que se for sempre assim de cada vez que ele está em competição, não sabe se está na disposição de suportar a situação. Vera chega entretanto, curiosa para saber o que é que Raquel quer conversar com ela.

Carminho visita Júlia em casa desta e acaba por reconhecer que não está a conseguir gerir com facilidade o relacionamento com Vasco, uma vez que ele não desiste de a conquistar. Também por isso sente a necessidade de passar alguns dias sozinha com Jorge. Depois de Carminho se despedir, Júlia repara que ela deixou para trás um brinquedo de Joana. De imediato tem o impulso de lho entregar mas trava a marcha, ao ver a linha que a impede de sair de casa, por causa da pulseira electrónica.

Artur não coloca qualquer obstáculo a que Jorge tire férias para viajar com Carminho. O amigo está mais preocupado com o sofrimento de Júlia e com o facto de a Polícia Judiciária estar de tal forma certa da sua culpa, que não perca muito tempo a investigar outros suspeitos.

Vera conta a Raquel que Hugo poderia ter muitos inimigos mas desconhece em concreto quem poderia querer matá-lo. No entanto, lembra-se de Roberto, mas diz que ele está preso e também de Tiago, irmão do seu ex-namorado Ricardo. Vera passa-lhe o contacto de Tiago e Mariana pergunta se não será melhor deixar que a polícia trate do assunto, mas Raquel acha que se nada fizerem a investigação ficará como está.

Amélia reconcilia-se com o filho, pedindo-lhe desculpa por ter reagido mal à ideia que ele teve de lhe arranjar um lar. Alice assiste emocionada ao abraço que Amélia troca com António. Paulo ainda entra na sala a tempo de ver que a avó está a chorar mas ela diz que agora já está tudo bem. Só as dores nas costas é que não lhe permitem acompanhá-los ao centro comercial.

Cristóvão deixa-se convencer por Cátia e Sónia a permitir que sejam elas a preparar o pedido de casamento que ele vai fazer a Matilde. Embora desconfie de que algo pode não correr bem, Cristóvão está longe de imaginar que as primas querem é acabar com a sua relação com Matilde.

Ivo regressa do funeral do irmão acompanhado por Isabel e Luísa e lamenta que o enterro tenha sido feito pela igreja católica, em respeito unicamente pela vontade da mãe. Luísa, sempre venenosa, afirma que se Júlia foi presa é porque tem culpas no cartório e Ivo deseja que ela pague pelo que fez. Isabel defende a amiga, que não julga capaz de cometer um assassinato. Luísa carrega mais na maledicência e garante que não é por colocar uma maçã podre ao pé das boas que ela fica igual.

Artur acusa Raquel de ser a responsável por Júlia estar presa, uma vez que foi por causa do seu desejo de vingança, que ela foi falar com Hugo. Raquel garante que nunca quis prejudicar a irmã e pergunta a Artur se ele está mesmo convencido de que foi a mulher quem cometeu o crime. Para estupefacção de Raquel, ele responde que sim, que está convencido da culpa de Júlia.

Artur rejeita as recriminações de Raquel e justifica as suas dúvidas em relação a Júlia, pois todas as provas apontam para que tenha sido ela a matar Hugo. Raquel tem a convicção de que a irmã não cometeu o crime e assume que vai descobrir o verdadeiro assassino, nem que seja a última coisa que faça. Artur tenta demovê-la, lembrando que há uma investigação a decorrer e que ela já fez demasiadas asneiras. Raquel deixa a comida em cima da mesa e pede ao cunhado que dê um beijo seu a Júlia quando ela acordar. Artur fica a pensar em toda a conversa que teve com Raquel.

Enquanto Duarte acaba de lavar a loiça, Mafalda comenta a prisão de Júlia e adivinha que ela deve ter um bom advogado para estar detida em casa, apesar de ser suspeita de homicídio. Duarte tenta disfarçar o incómodo que a conversa lhe provoca mas garante que põe as mãos no fogo por Júlia, segundo ele, incapaz de matar alguém. Mafalda avisa-o de que se pode queimar, pois não sabe do que são capazes as pessoas quando estão desesperadas. Duarte engole em seco e fica preocupado com o que ouviu.

Inês deambula ansiosa pelo quarto da clínica e confessa a Áurea que já não se consegue controlar, pois só pensa em sair dali. A mãe tenta acalmá-la sob o olhar de Ester e Alberto. Nesse momento, o doutor Carvalho entra no quarto e anuncia que tem boas notícias para lhe dar. O médico revela que lhe vai dar alta, mas que Inês terá de ser vigiada pela família, continuar a terapia e ir à consulta duas vezes por semana. Ela mostra-se disposta a cumprir todas as regras definidas. Áurea exclama que já tinha saudades de a ver sorrir e faz-lhe uma festa. Os avós assistem emocionados à cena.

Bernardo prepara-se para sair de casa em grande agitação e conta a Teresa que tem de ir para o hospital, pois ligaram do lar onde a mãe está, dizendo que ela se sentiu mal e que a levaram às urgências. Teresa oferece-se para acompanhar o marido mas ele prefere ir sozinho, garantindo que dará notícias.

Gui combina com Mariana entregar-lhe Carolina no dia seguinte, para que ela possa passar o dia do seu aniversário com a filha. Depois de ele desligar o telefone, Filipa beija-o e diz-se orgulhosa dele. Gui lembra que só está a cumprir, depois de ter prometido ser mais flexível.

Raquel consegue contactar o irmão do falecido Ricardo, Tiago, e marca um encontro com ele no centro comercial, para falarem de Hugo Figueiredo.

Vera motiva Sebastião para as etapas que vai ter de enfrentar no tratamento contra a dependência das drogas. Ester vai ter com eles e confessa, com o semblante carregado, que já sabe que Sebastião foi despedido da clínica. Ele reconhece a sua culpa e também que Urbano fez o que tinha de fazer. Ester deixa escapar que quem não vai gostar da história é Alberto e Vera atira que o tio não precisa de saber. No entanto, a tia faz notar que o mais natural é que ele e Urbano conversem sobre o assunto, já que são amigos e o marido passa de vez em quando na clínica.

Áurea conversa com Rafael ao almoço sobre a melhor estratégia a adoptar quando Inês deixar a clínica. Sónia a Cátia passam por eles, cochichando sobre o plano que idealizaram para separar Cristóvão de Matilde, quando ele pedir a namorada em casamento.

À distância, Luísa observa a grande cumplicidade entre Cátia e Sónia e comenta com Ivo que elas devem estar a conspirar. Ivo começa a inventar uma história de um mundo virtual, só para conseguir aproximar-se das raparigas. Luísa percebe a estratégia e avisa-o de que lhe corta as mãos se ele voltar a tocar com elas no corpo de Sónia. Ivo acata o aviso encolhendo-se.

Teresa está de saída mas ainda com tempo de cumprimentar Cremilde, pois Bernardo levou a mãe para casa, depois de observada no hospital. Teresa mostra-se muito simpática com a sogra e até insiste para que os visite mais vezes. Depois de ficar a sós com o filho, Cremilde aconselha-o a revelar ao filho que é o seu pai e a conviver normalmente com o rapaz, até porque ela gostava de conhecer o neto antes de morrer. Cremilde vai mais longe e decreta que não será certamente com Teresa, que irá ter filhos. Bernardo insiste que se irá vingar a morte do pai, que a família de Teresa entregou à polícia política. No entanto, o advogado promete à mãe que vai pensar em assumir o filho que tem com Paula.

Duarte e Gui celebram o facto de terem conseguido concluir numa noite o projecto de expansão da rede de hotéis. Gui pergunta se o irmão tem novidades de Teresa, ao que ele responde que se ela estivesse mal já se teria queixado. Gui vira a conversa para a detenção de Júlia e Duarte acaba por confessar ingenuamente que gostava de falar com ela para que soubesse que acredita na sua inocência e que está ali para a apoiar. Gui troça e dispara que o amor é cego.

Artur dá a entender a Júlia que tem dúvidas sobre a sua inocência e ela reage com indignação, magoada por perceber que o marido admite que ele tenha morto Hugo. Júlia argumenta que se nem ele confia nela, como é que conseguirá convencer um tribunal. O ambiente de tensão instala-se entre o casal, já que Júlia recusa os carinhos que Artur lhe dispensa em jeito de pedido de desculpas.

Carminho explica a Ester o que colocou no saco de Joana, enquanto Alberto pergunta a Jorge porque decidiram viajar de forma tão repentina. O genro explica que é apenas uma forma de quebrar as rotinas. Ao saber que eles vão para Grândola, Alberto mete uma cunha para fazerem contactos com um produtor de vinhos com quem quer fazer negócio. Ester intervém e diz que eles vão viajar para namorar e não para se ocuparem dos negócios dele. Alberto leva o assunto para o inferno que está a passar com a investidora alemã com quem têm estado em conversações e diz que a mulher é o diabo em pessoa, que só pensa em trabalhar. Ester, por ser judia, teme que a Europa vire tanto à direita que apareça, quando menos se espera, um ditador populista como Hitler, no seu tempo.

Nicole fala na loja ao telefone com Tânia e a filha conta-lhe, entusiasmada, que já tem um amigo espanhol. Hernâni fica em pulgas para saber quem é esse amigo, mas Nicole nem lhe dá oportunidade de bombardear a filha com perguntas. Nicole recomenda-lhe que se preocupe mais com a noite de sexo que espera que ele lhe proporcione, sem interrupções da cliente alemã. A manicura sugere-lhe que crie um ambiente romântico com velas e música a condizer. Nisto, o casal é surpreendido pelo som que vem do átrio do centro comercial e vai ver de que se trata. Todos os lojistas estranham o que se está a passar, tal como Matilde, que por momentos interrompe a sua refeição, enquanto Sónia e Cátia aguardam expectantes pela chegada de Cristóvão. De repente, Cristóvão surge montado numa segway que tem dificuldade em travar quando chega à mesa de Matilde. De joelhos, entrega-lhe uma caixa de bombons, de onde sobressai o anel de noivado, enquanto balões caiem do tecto. Matilde, muito atrapalhada, tenta evitar o pior, mas Cristóvão prossegue a sua encenação e avança para o pedido de casamento. Matilde interrompe a declaração e grita-lhe que não quer casar e foge do local a sete pés. Cátia e Sónia contêm o riso, enquanto Isabel vai em socorro de Cristóvão, que está destroçado. Todas as pessoas que assistiram à cena ficam com pena dele.

Jorge e Carminho fazem amor dentro do carro, revivendo os tempos em que começaram a namorar.

Liliana despede-se de Mónica e garante à irmã que não ficou aborrecida com a sua decisão de continuar a viver com Isabel e Urbano, no fundo os pais adoptivos que lhe conseguiram dar o que os pais biológicos não conseguiram. Isabel volta a prometer que se juntarão sempre que for possível e Liliana também diz que tem vontade de trazer Fábio a Lisboa. Depois de Liliana ir embora, Urbano começa a pensar numa forma de juntar os irmãos com Mónica e avança com a possibilidade de dar emprego a Liliana, que assim podia mudar-se para Lisboa, alugar outra casa, fazendo também com que Fábio mudasse de escola. Isabel regressa ao trabalho no café e Urbano continua a matutar na sua ideia.

Já mais calma, Matilde procura Cristóvão para lhe dizer que passou o pior dia da sua vida, depois do pedido de casamento que ele lhe fez. Quando esclarece que, tal como ela, é contra aquele sacramento e lhe pede que o deixe compensá-la pela humilhação que a fez passar, ela termina o namoro e vira-lhe as costas.

Áurea e Luísa criticam Sónia e Cátia por estarem por trás do pedido de casamento que Cristóvão fez a Matilde que a levou a terminar o namoro com ele. Cátia rejeita responsabilidades e atira as culpas para a rapariga, que não aceitou o anel de noivado. Luísa afirma que Cátia deve estar a sofrer das más influências de Sónia e arma discussão, assim que a outra lhe responde que Ivo lhe explique como é uma boa influência. Sónia e Luísa quase chegam a vias de facto, valendo Cátia que arrasta a prima para fora do café.

Mariana recebe a notícia de que João e Lucas ganharam uma medalha de prata nos campeonatos europeus paralímpicos e partilha a boa nova com Nonô, dizendo que o namorado lhe manda um beijinho e que prometeu ligar-lhe à noite. Nonô mostra-se triste porque Lucas não lhe demonstra o afecto que já demonstrou. Mariana desvaloriza e confessa que lhe vai custar não passar o aniversário com João, embora se sinta compensada por ter Carolina consigo.

Raquel conversa com Tiago mas fica frustrada porque o irmão de Ricardo não lhe fornece qualquer indicação que permita descobrir a pista do verdadeiro assassino de Hugo.

Bernardo almoça em ambiente muito descontraído com Paula e ambos conversam revelando grande empatia. Até que ele revela que gostava de se revelar a Rui como seu pai, Paula fica perplexa mas acaba por aceitar preparar o filho para essa revelação, já que sempre contou ao miúdo que o pai tinha morrido. Bernardo vai mais longe e confessa que não quer apenas recuperar Rui para a sua vida, mas também a quer recuperar a ela. Paula fica embasbacada, sem saber o que responder.

Paula não rejeita Bernardo mas recorda-lhe que já se passou muito tempo da separação e diz que é melhor irem com calma, antes de darem qualquer passo que seja para ficarem juntos de novo. Paula defende que primeiro têm de ver como Rui o aceita como pai e como é que ele resolve o casamento com Teresa. Bernardo aceita as palavras da ex-mulher, mostrando-se decidido a resolver a sua vida, até por que nunca a esqueceu.

Teresa reentra em casa e pede a Clara que lhe sirva um chá frio. De seguida telefona a Gui para lhe dizer que está com muitas saudades dos netos e que ele bem podia ser seu cúmplice e avisá-la quando eles estivessem juntos, para poder visitá-los. Gui trata a mãe com frieza, dizendo que é pai de Carolina, mas não de Martim, deixando claro que pode deixá-la ver a filha mas que nunca trairá o irmão. Com tudo em pratos limpos, Gui desliga o telefone com o pretexto de que tem de trabalhar.

Júlia acerta com Raquel os detalhes da festa de aniversário de Mariana e pede à irmã que passe numa loja e compre um vestido à filha, uma vez que não pode sair de casa. Júlia mostra-se preocupada que o facto de estar em prisão domiciliária possa afectar a imagem do Dancin’ Days, mas a irmã esclarece que a casa continua a trabalhar bem. Raquel pergunta por Artur e quando Júlia lhe responde que ele foi trabalhar, a irmã abre o jogo e revela que tem uma coisa para lhe contar sobre o marido, antecipando que não pretende com isso estragar-lhe o casamento.

Jorge e Carminho compõem-se, depois de terem feito amor no carro e preparam-se para seguir viagem, rumo às suas mini férias. Só que o automóvel não está pelos ajustes e recusa-se a pegar. Carminho é forçada a telefonar para a assistência em viagem, ante a preocupação do marido que receia ter perdido as férias.

Júlia fica muito desiludida quando Raquel lhe conta que Artur desconfia que ela matou mesmo Hugo, embora lembre que ele nunca foi capaz de lhe dizer que acreditava na sua inocência. Raquel mostra-se impaciente e diz que sabe perfeitamente que ela não disparou a arma do crime, desejando encontrar rapidamente uma pista que a leve ao assassino. Júlia pede-lhe que não se arme em detective e chega mesmo a exaltar-se para fazer ver à irmã que deve deixar tudo entregue ao advogado. Sem que nada o faça prever, Raquel lembra-se de sugerir a Júlia que contem a Mariana que não são filhas do mesmo pai. Ela deixa claro que não quer perturbar a filha com esse assunto, até porque ele é irrelevante para a sua felicidade. Júlia reforça que sempre a considerou como irmã e que é assim que vai continuar.

Cátia espreita de longe Cristóvão e Matilde que estão a conversar. Sónia vai ter com ela e desafia-a para verem no tablet de Cristóvão o vídeo do pedido de casamento que ele fez à namorada. As primas divertem-se a assistir ao escândalo que já percorre toda a internet. Cátia assume que nunca quis voltar a namorar com Cristóvão, mas sim estragar-lhe a relação com Matilde, como forma de se vingar de ele a ter rejeitado.

No café, Matilde e Cristóvão esclarecem o equívoco que o levou a pedi-la em casamento. Ambos reafirmam que não são adeptos do casamento e concluem que Cátia foi a responsável de um plano para os separar. Mesmo assim, Matilde insiste em que não há volta a dar e que o namoro acabou, retirando-se para a loja. Cristóvão fica muito deprimido.

Isabel arranha as unhas com cores exuberantes e confessa a Nicole e Áurea que ficou aliviada por Mónica ter decidido continuar a viver na sua casa. Áurea também está ansiosa pelo facto de Inês estar prestes a deixar a clínica, voltando ao seio da família para continuar a sua recuperação. Depois de ficar sozinha e com o trabalho concluído, Nicole telefona a Hernâni e diz-lhe que tome o comprimido azul, porque ela está a caminho.

Carminho e Jorge retomam a viajem, depois do mecânico que chamaram lhes ter arranjado o carro.

Júlia discute com Artur, indignada e magoada com o facto do marido continuar a pensar que ela pode ter dado o tiro que matou Hugo. Artur não abdica de raciocinar em função daquilo que as provas lhe indicam e Júlia responde que não quer a seu lado um homem que não acredita nela. Ele assume que acredita nela e emenda a mão dizendo que o que quer deixar claro é que estaria sempre a seu lado, tivesse ou não cometido o crime.

Nonô saúda a decisão de Mariana em fazer uma festa para comemorar o aniversário. A amiga desvaloriza e assume que é apenas uma reunião com os amigos e familiares mais chegados, até porque João só regressa no dia seguinte. Mariana conta a Babi que Lucas conseguiu uma medalha de prata nos campeonatos e a mãe de Nonô reclama com a filha por não lhe ter dito nada. Ela encolhe os ombros e justifica que se esqueceu. Mariana conta a Babi que ela está a sofrer com a distância de Lucas e Babi dispõe-se a confortá-la.

Vera não esconde a Sebastião que ficou desiludida com ele, por não ter confiado nela quando sofreu a recaída e voltou às drogas. Sebastião mostra-se arrependido e desconfortável porque depois de ter ficado sem emprego é ela que tem de pagar as despesas do café e do cinema. Sebastião aproveita para pedir desculpa a Isabel, uma vez que foi ela a indicá-lo a Urbano para trabalhar na clínica. Isabel limita-se a desejar-lhe sorte, ao invés de o recriminar.

Cristóvão obriga Cátia a confessar que lhe estragou de propósito o namoro com Matilde. Furioso, Cristóvão chama maldosa e egoísta a Cátia e manda-a embora da loja. Ela ainda hesita mas sai porta fora quando ele lhe vira a cara.

Isabel recebe Mónica e Urbano, que chegam juntos da clínica. A filha confirma que foi tratada como uma princesa porque fez uma massagem de chocolate e ainda arranjou as unhas. Isabel brinca e comenta que não tem essa sorte, mas o marido lembra que está farto de insistir para que passe mais vezes pelo centro de estética. Mónica pede para jantarem pizza. O pai concede esse excesso na dieta, mas salvaguarda a sua linha e diz que para ele vai escolher grelhados.

Ester oferece a sua casa a Áurea para que tome conta de Inês mais apoiada pela família. No entanto, ela diz que prefere ficar com a filha na sua casa, temendo que ali, o facto de estar muita gente, possa desestabilizar Inês. Áurea pede apenas aos pais que, de manhã, vão com ela à clínica buscar a filha. Alberto até confessa que não faz diferença, pois a seguir tem uma reunião com a investidora alemã, que nem com três caixas de pastéis de Belém fica mais doce. Ester e Áurea acabam por rir da situação.

Nicole exulta com o desempenho sexual de Hernâni, mas o marido está algo tristonho porque acha que foram os comprimidos e não ele, a dar-lhe prazer. A manicura desdramatiza a situação e afirma com sinceridade que foi ele que a fez vibrar e não os medicamentos. Hernâni sorri mais sereno e agradece o elogio. Nicole toca no marido e sorri agradada, depois de ele confirmar que “o soldadinho continua de sentinela”. O casal apressa-se a chegar ao quarto, em ambiente de grande cumplicidade.

Duarte conversa com Mafalda e, a pretexto de um filme que está a ver, falam da doença de Inês. Duarte conta os problemas que ela teve e provocou, desejando que depois dos tratamentos com choques eléctricos tenha ficado melhor. Mafalda reconhece que ele é mesmo boa pessoa e beija-o. No entanto, Duarte corresponde com pouco entusiasmo e a namorada repara, embora não diga nada. O casal despede-se e combina encontrar-se no hotel, na manhã seguinte.

Bernardo alimenta com dificuldade a conversa com Teresa ao serão e inventa um súbito ataque de sono para se ir deitar. Ela não percebe os sinais e avança a possibilidade de ele estar doente, depois de contar mais uma conversa desagradável que teve com Gui, quando reclamou que o filho lhe leve os netos para que ela os veja.

Artur toma o pequeno-almoço com Júlia e pede desculpa por ter duvidado dela, reconhecendo que não criou o melhor ambiente para a festa de anos de Mariana. Júlia mantém-se fria, enquanto o marido revela os seus planos para o dia, antes de viajar. Depois de ele sair, Júlia recebe uma chamada e combina aguardar pela pessoa que, do outro lado da linha, pretende ir ao seu encontro.

Filipa e Gui levam Carolina a casa de Mariana e esta, durante um momento que fica a sós com a namorada do ex-marido, agradece-lhe por tê-lo convencido a deixá-la estar mais tempo com a filha. Filipa acrescenta que Duarte e a namorada também ajudaram a convencer Gui. Mariana fica surpreendida com o facto de Duarte ter uma namorada mas não repisa o assunto. Gui regressa do quarto do bebé e despede-se da ex-mulher. Mariana agradece-lhe e despede-se também de Filipa.

Júlia recebe Morgado e confessa-se surpreendida pelo seu telefonema. Ele assume que ligou assim que soube que ela estava em prisão domiciliária. Júlia interrompe e garante que não fez nada a Hugo, muito menos matá-lo. Morgado afirma que compreende o momento que ela está a passar e que não quer que o faça sozinha. Júlia fica estupefacta quando Morgado revela que está disposto a fazer o teste de paternidade e a assumi-la como filha, se o resultado for positivo.

nas redes

pesquisar