SIC

Perfil

De segunda a sexta

Dancin' Days - Resumo de 18 a 24 de julho

Duarte descobre que a mãe matou o pai e denuncia-a à polícia!

Christian Gnad

Paulo convida Bruno para jogar consola e ele recusa, preferindo ir comer. Amélia sussurra a Vera que Bruno não vai desistir de se ir embora e Paulo culpa-se por isso, achando que o amigo quer sair dali porque ele começou a namorar com Tânia. Vera assegura que o problema de Bruno é mais grave do que uma cena de ciúmes.

Nicole consola Tânia, que não aceita que Bruno se queira afastar só porque ela agora namora com Paulo. A mãe começa por explicar que o relacionamento das pessoas nem sempre é fácil. Tânia pergunta à mãe se ainda estão a falar dos seus problemas, levando Nicole a dizer que Hernâni tem razão quando afirma que a filha de ambos está a crescer muito depressa. A manicura pede um abraço à filha, reconhecendo que está a precisar.

Miguel vai à loja de decoração e diz a Luísa que está disposto a fazer de seu criado quando chegar a casa, mas avisa que só vai conseguir lá estar perto da meia-noite por causa do trabalho que tem de fazer na loja. A decoradora diz que vai pensar no seu caso, enquanto Miguel vai embora destroçado.

Cátia comenta com Sónia que Miguel parece um condenado desde que se divide por duas mulheres. Sónia não se incomoda em dizer que se pode apagar à-vontade desde que já a tenha satisfeito. Cristóvão aparece às primas e ostenta um diamante na orelha. Cátia reage com surpresa e Sónia troça. Hernâni não esconde o orgulho por ter sido responsável pela mudança de visual do rapaz.

Mariana e João recebem Júlia e Raquel. Mariana conta que precisa de um roupeiro novo porque João tem muita roupa. Raquel confessa que gostou muito do irmão dele e João convida-as para jantar, uma vez que esperam por Lucas. Raquel fica desconfortável e Júlia afirma já ter um compromisso. João aproveita para revelar que o pai decidiu retribuir o último almoço de família, agora em casa dele.

Gui regressa de Londres e confronta Teresa e Bernardo por lhe terem tirado a presidência da empresa. A mãe argumenta que o fez para o ajudar, que ela e Bernardo têm mais experiência e que, assim, ele terá mais tempo para se dedicar aos estudos e para cuidar de Carolina, para além de manter o seu lugar no conselho de administração. Bernardo acrescenta que vai estar por perto para evitar que os outros administradores lhe dêem a volta. Muito irritado, Gui contrapõe que não é parvo, assegurando que já estava à espera que ela o traísse, depois do que fez ao pai. Teresa, também revoltada, afirma que foi Francisco quem a traiu repetidas vezes e não o contrário. O filho recorda que já a tinha avisado do que faria se ela voltasse a meter-se na sua vida e afirma que vai sair de casa com a filha e impugnar a sua eleição como nova presidente do grupo hoteleiro. Teresa ameaça tirar-lhe a guarda de Carolina em tribunal e Gui afirma que pode não ser um pai perfeito, mas que nunca matou ninguém, perguntando de seguida à mãe se ela está preparada a passar o resto dos seus dias na cadeia. O ambiente fica carregado de tensão.​

Teresa duvida que Gui seja capaz de a entregar à polícia, sabendo o que ela sofreu às mãos de Francisco, que planeava matá-la. O filho mantém o tom violento da discussão e reconhece que também ele senta a mesma vontade porque ela consegue deixar qualquer um no limite. Bernardo tenta amenizar o conflito, mas Gui manda-o calar. Teresa tenta manipular o filho, argumentando que o que está a fazer é por bem, mas ele acusa-a de apenas querer o dinheiro da neta para si. Quando a mãe o critica por ser uma pessoa instável e por ter relacionamentos duvidosos, o último dos quais com uma striper, Gui sobe ao quarto intempestivamente a dizer que vai fazer as malas. Teresa pergunta a Bernardo se acha que Gui seria capaz de a entregar à polícia por ter assassinado Francisco. O advogado não é muito convincente quando diz esperar que não o faça.

Inês continua perturbada e assume que é uma má mãe, que nem consegue pegar no filho, convicta de que Duarte se fartará rapidamente dela. Ainda que o marido negue que tenha essa intenção, Inês suplica-lhe que nunca a deixe. Duarte reafirma que não vai a sítio algum e vinca bem que é muito importante que ela não falte à consulta com o psicólogo. Inês garante que tem todo o interesse em tratar-se, pedindo desculpa por sentir-se assim.

Carminho e Jorge voltam a discutir. Ela acusa-o de só pensar em trabalho, deixando para segundo plano a assistência à família. Ele contrapõe que ela está sempre a dizer que é preciso dinheiro para tudo e mais alguma coisa, lembrando que foi sempre Carminho quem deu a máxima importância ao trabalho e ao dinheiro. Jorge acrescenta que se é chefe e ganha o triplo dos colegas não pode ter um horário normal, saindo mais cedo que todos, enquanto eles ficam a trabalhar. Joana acorda com o barulho da discussão e começa a chorar. Os pais culpam-se mutuamente por terem despertado a filha.

Bruno explica aos avós que quer ir para Londres viver com o pai, apenas porque lhe apetece e não por estar a fugir de algo. Esclarece que vai poder melhorar o seu inglês e fazer novos amigos. Paulo assoma à sala e afirma que a culpa é sua por namorar com Tânia. Bruno apressa-se a garantir que esse assunto ficou arrumado e que ele não tem qualquer responsabilidade. Ester e Alberto não estão convencidos, mas o neto acrescenta que o facto de Áurea estar doente é mais uma razão para o deixarem ir viver com Aníbal e Germano. Ester reconhece que, embora tenha de informar Áurea, a mãe não está em condições de tomar essa decisão e olha para Alberto, dizendo que serão eles que terão de resolver o problema.

Isabel olha com ternura para a fotografia que ela e Urbano tiraram com Mónica quando a visitaram. O médico afirma que não quer recuar na adoção, mas lembra que vão ter muitas dificuldades para educar a menina. Isabel concorda, mas mostra-se determinada em não desistir da rapariga como as outras famílias fizeram, consciente de que as dificuldades que vão sentir serão certamente compensadas com muitas alegrias. Urbano diz que está convencido.

Artur e Júlia preparam-se para sair, ele envergando um fato e ela com um vestido de noite que faz com que o marido fique alguns instantes a admirá-la. Júlia continua intrigada sem saber onde vai e Artur desfaz o mistério, revelando que são convidados para um desfile de moda solidário integrado numa campanha de prevenção para o cancro da mama. Júlia tem pena que Raquel não possa ir e, depois de a irmã ter vivido esse problema, mostra-se consciente de que é fundamental realizar exames médicos com regularidade para despistar a doença.

Hugo está de saída para ir supervisionar a ida dos carros roubados para o Algarve, dizendo que combinou encontrar-se com Machado e que só vai descansar quando tiver o dinheiro na mão. Raquel incentiva-o e até o convida para passar a noite consigo, asseverando que vai ficar à sua espera. Hugo vai embora confiante, enquanto ela sorri com ar triunfante.

Mariana conversa animadamente com Lucas e tenta perceber como é que ele faz para estudar e fazer os testes, uma vez que é invisual. O processo parece complicado mas o irmão de João reconhece que é tudo uma questão de hábito. Lucas elogia o esforço de Mariana por estar a fazer dois anos do secundário em apenas um ano lectivo e ela confessa que não está a ser fácil, uma vez que sente muito a falta da filha. João é da opinião de que Carolina voltará e Lucas segura nas mãos de Mariana, que lhe agradece o apoio.

Teresa está muito ansiosa por tentar falar com Gui, sem que ele lhe atenda as chamadas. Teresa considera pedir desculpa ao filho por lhe ter retirado o controlo dos negócios, temendo que ele a entregue à polícia pelo homicídio de Francisco. No entanto, Bernardo consegue convencê-la de que se o fizer estará a dar parte fraca e que o filho estará de volta a casa com Carolina rapidamente, pois vai perceber que se não o fizer estará a comprometer o seu futuro, porque Mariana ainda não desistiu da custódia da filha e o património de Teresa ainda é considerável. Teresa concorda que Gui terá mais a ganhar como seu aliado do que como seu inimigo e fica mais descansada.

Gui instala-se num hotel com Carolina e dá o número do quarto onde está a alguém com quem fala ao telefone.

Sónia vê Cátia a conferir contas e, depois de dizer, que ela está feita uma verdadeira empresária, confessa que nunca se convenceu de que ela se tornou sócia da loja com o dinheiro de uma poupança. Cátia não se desmancha e diz que todo o dinheiro que ganhou foi a trabalhar no duro. Sónia diz que se tivesse esse dinheiro ia com Miguel para Cuba ou para a Republica Dominicana. A prima pica-a e diz que só seria possível se ela levasse Luísa atrás. Sónia fica abespinhada e Cátia aproveita para lhe perguntar se está tudo bem com a casa e se o senhorio lhe disse mais alguma coisa. A prima confirma que está tudo em ordem e, sem perceber o interesse dela, pergunta se Cátia está com saudades dela, levando-a a disfarçar.

Cristóvão queixa-se de dores na orelha onde pôs o brinco. Hernâni comenta que se não fosse ele ter voltado aos óculos, estaria com o visual perfeito. Cristóvão insiste que as mulheres não se conquistam aos safanões nem com desprezo, ao contrário de Hernâni, que acha que elas devem até levar umas palmadas quando pedem, sem que isso possa ser considerado violência doméstica. Cristóvão defende que o tempo das cavernas já passou e que ele deve ser mais afetuoso, pois Nicole também já se tem queixado dele. Hernâni fica intrigado com o desabafo de Cristóvão.

Lara sobe ao quarto onde Gui se instalou e, no início, fica desconfiada e até desconfortável por ver que ele tem a filha com ele. A rapariga fica mais animada quando ele explica que saiu de casa da mãe e que pode pedir o que quiser, pois ele é o dono do hotel. Lara acha que ele está a brincar e Gui desfaz o equívoco, confessando que é apenas o administrador dos bens da filha enquanto não tiver dezoito anos, acrescentando que achou sexy assumir o papel de pai solteiro, pois para si a mãe de Carolina morreu. Lara dispara que ele é sexy de qualquer maneira.

Alberto não se conforma com o facto de Bruno querer ir viver com o pai mas Ester lembra que Paulo também estava contrariado no Luxemburgo e acabou por fugir de casa. Alberto aceita então conversar com Aníbal para saber se ele tem realmente condições para receber o filho, uma vez que não se prevê que Áurea deixe a clínica tão depressa.

Inês comenta, entristecida, que o irmão está entre duas malucas, referindo-se a ela própria e à mãe. Duarte combate o negativismo da mulher e afirma que Bruno já está crescido e que vai ultrapassar esta fase má se estiver bem acompanhado pela família. Inês confessa que também gostava de ir para Londres, tal como o irmão, mas Duarte frisa que o filho precisa dela.

Aconselhada por Bernardo, Teresa telefona a Duarte para sondar se ele sabe alguma coisa de Gui, seguindo as recomendações do marido para que não conte a discussão que tiveram. O filho lembra-lhe que a relação com o irmão é no mínimo cordial e que, agora, raramente fala com ele. Teresa diz que vai esperar que Gui dê notícias e muda de assunto, combinando visitar Inês e Martim mais tarde.

Inês está de saída para a consulta no psicólogo e Duarte ainda se oferece para a levar, mas ela alega que ele deve ficar com o filho, até porque lhe apetece caminhar algum tempo.

Enquanto dá a comida a Carolina, Gui recorda o momento em que Lurdes o avisou de que tinha assassinado o pai e também as explicações de Teresa, quando lhe justificou por que o fez. Quando desperta dos seus pensamentos, Gui fala com a filha, desejando ter coragem para denunciar a avó Teresa.

Mariana e Nonô saem de casa para estudar e brincam com o facto de não conseguirem estar muito tempo sem falar uma com a outra. Combinam encontrarem-se ao fim do dia para assistir ao treino de Lucas com João. Nonô diz que até pode esbarrar num atleta giro.

Júlia mostra-se interessada em comprar algumas peças que viu no desfile de moda solidário para combate ao cancro da mama e Artur sai para a revista, pois tem de discutir com Jorge a publicação da reportagem sobre o evento.

Carminho volta a queixar-se, agora ao pequeno-almoço, que Jorge não ajuda nas pequenas tarefas caseiras, depois de ele não ter ouvido outra vez o choro da filha durante a noite. Carminho fica surpreendida com a reação do marido que, depois de dizer que ela também não o tem valorizado como pai e marido, lhe dá um beijo de despedida, afirmando que a situação tem de mudar.

Bruno fica entusiasmado ao saber que o pai vem de Londres até Lisboa para conversarem sobre a sua vontade para ir viver com ele. Paulo não se conforma com o facto de perder o amigo, mas Bruno mantém-se irredutível.

Gui procura Duarte e aproveita o facto de o irmão estar sozinho em casa com o bebé, para lhe contar que a mãe lhe confessou que foi ela quem matou o pai. Duarte fica estarrecido com o que acabou de ouvir.

Duarte digere a revelação que Gui lhe fez e é forçado a acreditar que a mãe assassinou o pai durante a viagem que fizeram à Suíça. O irmão conta-lhe que soube de tudo por Lurdes, ela que também morreu de forma misteriosa na piscina da casa dos pais. Gui recorda-lhe que Teresa nunca iria ajudar uma empregada a comprar um carro se não estivesse a comprar-lhe o silêncio. Duarte pede ao irmão que o deixe sozinho, recriminando-o por só agora lhe ter contado o que se passou e acusando-o de só o estar a fazer porque se zangou com a mãe, querendo vingar-se, mas sem coragem para o fazer. Gui concorda com Duarte num aceno de cabeça e vai embora.

Bernardo recebe uma chamada que o deixa perturbado. Teresa abeira-se dele a dizer que está cada vez mais nervosa por Gui não dar notícias. Ao perceber que o marido ficou afetado com o telefonema, pergunta o que se passa. Ele revela que acabaram de o avisar de que a mãe deu uma queda e que por isso vai ter de ir ao hospital para ver como ela está. Teresa ainda se oferece para o acompanhar mas Bernardo recusa, prometendo dar notícias mais tarde.

Sónia conversa com Cátia e pergunta-lhe se não sente falta dos homens desde que deixou de trabalhar no clube. A prima assegura que não e que só lá trabalhou porque a vida a obrigou a isso. Cátia continua a sonhar com uma carreira de atriz que diz ter interrompido momentaneamente para se dedicar à gestão da loja que, apesar de ser pequena, dá muito trabalho. Luísa aparece nesse instante para tomar um chá e assume que está desiludida com Miguel, queixando-se de que ele preferiu ir trabalhar a tirar folga para a passar com ela. Luísa esclarece Sónia que, por causa disso, decidiu ir trabalhar também.

Isabel confessa a Nicole que está ansiosa por receber Mónica, a menina que vai adotar com Urbano, desejando que ela se adapte bem, que se torne amiga de Tânia e que veja nela o adulto de referência. Nicole apoia a amiga e diz que a menina, passado pouco tempo, já estará a tratá-la como mãe. Hernâni interrompe a conversa e oferece um presente a Nicole, ao mesmo tempo que lhe tece elogios. A manicura quer abrir o envelope só depois de terminar o serviço mas Isabel insiste para que o faça imediatamente. Nicole fica surpreendida quando vê que se trata de uma massagem romântica para desfrutar com ele. Hernâni diz que todos os dias são especiais a seu lado e que tem muita sorte em tê-la, penalizando-se por não a elogiar mais vezes. Depois de o companheiro ir embora, Isabel adivinha que o feitiço que Nicole encomendou já está a fazer efeito, embora ela não saiba o que pensar.

Jorge demite-se da chefia de redação da Blondie, alegando que tem de escolher entre a sua posição na revista e a estabilidade familiar, uma vez que as rotinas mudaram com o nascimento de Joana e as discussões com Carminho são constantes. Artur tenta demovê-lo, uma vez que foi apanhado desprevenido, mas Jorge insiste que quer deixar o cargo, reafirmando que irá aguardar até que ele arranje um substituto.

Carminho recebe a visita de Inês e percebe claramente que ela não está bem. A sobrinha confirma que teve a primeira consulta na psicóloga mas revela total desinteresse pela maternidade. Acha que ficou horrível com a gravidez, levando Carminho a sugerir-lhe que passe pela clínica, pois têm tratamentos que podem acelerar a recuperação. Inês responde que talvez vá, mas muda logo de assunto, centrando-se nas golas que Carminho está a vender através da internet.

Gui, meio embriagado, telefona a Duarte e leva logo um raspanete do irmão, que o critica por lhe ter contado que a mãe matou o pai, esperando que fosse ele a denunciá-la à polícia. Gui explica que reagiu a quente, que se quis vingar dela mas que compreende agora que a mãe não irá aguentar se for presa. Gui pede ao irmão que não faça nada até falar com Teresa e ainda lhe conta que ela tentou tirar-lhe o lugar à frente dos hotéis, fazendo-se eleger como nova gestora. Depois de desligar o telefone, Gui continua a beber, enquanto Carolina brinca no chão.

Isabel percebe pela conversa de Vera com Sebastião que ele está prestes a ficar sem trabalho e diz que vai telefonar a Urbano, pois o marido precisa de um rececionista para a clínica. Vera incentiva o namorado a aceitar e Sebastião fica na expetativa de conseguir o lugar. Antes de atender a mulher, Urbano troca impressões com Júlia sobre a campanha contra o cancro da mama e reprova a sua ideia de convidar Raquel para uma palestra sobre a doença.

Hugo conta radiante a Raquel que os carros roubados já saíram de Portugal e que já recebeu o dinheiro que lhe era devido para acertar o pagamento aos homens que fizeram o trabalho e aos funcionários do atelier. Raquel fica espantada quando ele diz que nessa mesma noite tem um novo trabalho. Hugo lembra-lhe que tinham combinado viajar para comemorarem e para ela descansar do assédio da imprensa. Raquel esquiva-se e diz que é melhor adiarem a saída, pois é importante que ele não se ausente neste momento, perdendo o controlo do negócio. Hugo aceita o conselho, mas assegura que não vai esquecer que está em dívida com ela.

Sebastião é agradavelmente surpreendido quando Isabel lhe comunica que já tem entrevista marcada com Urbano, por causa da vaga de rececionista na clínica. O rapaz agradece a oportunidade e, depois de ele ir fazer o turno no centro comercial, Vera também agradece à amiga, vincando que mesmo que o namorado não consiga o emprego, é importante sentir que algo de bom pode acontecer. Isabel mostra vontade de ir visitar Áurea e Vera opina que ela até vai gostar de a ver.

Ester e Alberto fazem ver a Áurea que tem de completar o tratamento na clínica e revelam que o médico prometeu dar-lhe alta, assim que estiver certo de que ela não terá mais flutuações de humor. Áurea promete aos pais que não voltará a fugir.

Carminho mostra a Inês as fotografias que tirou a Joana no banho. Inês olha-as rapidamente e incomodada. Carminho percebe e pergunta se ela se tem conseguido aproximar de Martim. A sobrinha nega e sorri, timidamente, dizendo que Duarte se ajeita com o bebé. Nesse momento, o marido telefona-lhe, já preocupado por ela estar a demorar. Inês conta que foi visitar a tia e Duarte sossega, concedendo que pode ficar com Carminho o tempo que quiser. Depois de desligar, Duarte confere se o filho está bem e apesar de tentar ler um pouco, não consegue concentrar-se e só pensa nas revelações que Gui lhe fez. Na sua cabeça ecoa a voz do irmão a dizer-lhe que a mãe assassinou o pai e Duarte vive o dilema de ficar quieto ou entregar Teresa à polícia.

Bernardo conta a Teresa que a mãe fraturou a bacia e já foi operada. O advogado mostra-se preocupado com a recuperação da mãe, pois a idade e a solidão já não permitem que continue na mesma casa. Teresa sugere-lhe que considere a possibilidade de colocá-la num bom lar, ideia que o marido acolhe. Teresa mostra-se preocupada por continuar sem notícias de Gui e diz a Bernardo que a informe se ele ligar, uma vez que vai visitar Inês.

Mariana chega a casa e encontra João e Lucas praticamente prontos para o treino de atletismo, que ela confessa não querer perder por nada. Quando beija João, Lucas pede que acabem com a pouca-vergonha e Mariana brinca, dizendo que à sua frente, são muito contidos. Todos riem da piada, porque Lucas é invisual.

Raquel está renitente em participar na campanha contra o cancro da mama, temendo falar em público e, pior que isso, que algum jornalista a interpele por causa do seu passado duvidoso. Júlia consegue ser persuasiva e conta que já a inscreveu para discursar, não havendo outro remédio senão preparar a comunicação que vai fazer.

Luísa encontra Miguel a dormir na loja e ele desperta mal disposto, protestando por tanto ela como Sónia verem nele um escravo sexual, ao contrário do que se passa numa relação normal, em que há tempo para fazer tudo. Uma cliente interrompe a conversa e Luísa retira-se, dizendo que voltarão a falar em casa.

Hernâni conta a Cristóvão a oferta que fez a Nicole, mas exige-lhe que trate mal Cátia, convencendo-o de que é a única forma de ela se interessar por ele. Quando ela se aproxima e lhe pede umas bolachas, Cristóvão diz não saber do que se refere e consegue irritá-la a ponto de se ir embora furiosa. Hernâni felicita-o dizendo que esteve muito bem, mas Cristóvão fica desanimado por ter sido grosseiro com a sua amada.

Bernardo conversa ao telefone com Gui, repreendendo-o por ter mandado um funcionário do hotel ir recolher as suas coisas, em vez de o ter feito pessoalmente. Gui responde que só por Bernardo estar casado com a sua mãe não lhe dá o direito de dar sermões e garante que não vai perdoar Teresa por ter tentado afastá-lo da gestão dos hotéis. Bernardo tenta sensibilizar Gui para que não denunciar a mãe à polícia, pois todos têm algo a perder.

Duarte confronta Teresa com o facto de ela ter assassinado o pai. A mãe reage, negando ter cometido o crime e pergunta de onde tirou ele ideia tão absurda. Duarte reafirma que já sabe de tudo e que não vai ser como Gui e calar-se. O filho mais velho garante que no dia seguinte vai denunciá-la à polícia e pedir a exumação do corpo de Francisco, para se apurar toda a verdade. Teresa fica em estado de choque com a atitude do filho.

Teresa confessa finalmente que matou Francisco e explica a Duarte que o pai queria matá-la para ficar com todo o património da família. Por isso antecipou-se, agindo em legítima defesa. Duarte não aceita os argumentos da mãe e reafirma que a vai denunciar, pois tem de pagar pelo que fez. Inês entra em casa e esbarra no silêncio constrangedor dos dois. Teresa, já em lágrimas, pede uma última vez a Duarte que pense bem no que vai fazer, mas o filho responde que não a quer ver mais. Teresa sai e Inês, inquieta, pergunta porque está ele a falar com a mãe daquela maneira. Duarte não responde e faz uma chamada. Quando é atendido diz que quer denunciar um crime se homicídio. Inês fica boquiaberta.

Jorge regressa a casa depois de mais um dia de trabalho e comunica a Carminho que decidiu deixar o cargo de chefe de redação da Blondie, assumindo que a sua prioridade é a família e não o trabalho. Jorge justifica que tomou a decisão por estar farto de discussões e por ter percebido que não pode desempenhar bem o seu cargo para cuidar da família. Carminho fica desconcertada com a opção que ele tomou, desejando que houvesse outra forma de conciliar tudo.

Artur mostra-se desiludido com a decisão de Jorge e confessa a Júlia que não sabe quem vai colocar no seu lugar como chefe de redação da Blondie. O casal concorda que o amigo deu um passo atrás na carreira mas Júlia diz compreender a sua escolha por pretender privilegiar a família. Mudando de assunto, conta ao marido que inscreveu Raquel para fazer palestras durante a campanha contra o cancro da mama, certa de que falar do assunto será bom para a irmã e, ao mesmo tempo, ajudará outras pessoas que não conseguem falar sobre a sua doença.

Raquel, por seu lado, acha que não tem condições para se expor e falar abertamente do seu problema de saúde. Ao contrário, Hugo argumenta que ela deve aceitar a proposta de Júlia, pois o seu caso vai certamente ajudar outras pessoas a lidarem de forma mais positiva com o cancro da mama. Hugo pede depois para ficar para jantar com ela, confessando que fica muito enervado nos dias em que os seus homens estão na rua a roubar carros. Raquel faz notar como as suas vidas mudaram e ambos falam dos erros que cometeram. Ela reconhece que foi bom Mariana ter-se aproximado da mãe, uma vez que as decisões que tem tomado não constituem bons exemplos.

Mariana incentiva Lucas e João enquanto eles treinam. Depois de mais uma corrida, João dá a Lucas a notícia de que bateu o seu recorde pessoal. O irmão fica algo desiludido porque gostava de cometer essa proeza numa prova oficial. Mariana comenta que até se esqueceu que ele não consegue ver e João acredita que com mais treino a marca será melhorada mais vezes. Lucas convida Mariana para o guiar no resto do treino. Ela não está à-vontade mas o cunhado promete não chocar com nada, pois a pista é aberta. João dá as últimas instruções e a preparação recomeça.

Teresa está muito transtornada e toma o calmante que Bernardo lhe dá. Desabafa com o marido e diz que estão perdidos. O advogado reconhece que foi um erro confiar em Gui e ela culpa-se pela situação pois, conhecendo o filho, devia ter adivinhado que ele se transformaria num problema. Teresa faz menção de lhe ligar mas o marido desaconselha-a a fazê-lo, convicto de que Duarte não irá denunciá-la. Teresa recusa ficar à espera que a polícia a vá buscar a casa e afirma que não aguentará se for presa. Bernardo abraça-a e tenta acalmá-la, certo de que não devem pensar no pior.

Inês pergunta a Duarte se ele acha que a mãe é uma assassina. Ele confirma que Teresa assumiu que matou o pai e que o assunto está entregue à polícia, não querendo falar mais disso. Duarte acaba de arranjar Martim e ensaia entregá-lo a Inês para que ela lhe pegue. Cordialmente, a arquiteta diz que ainda não está preparada e vai fazer o jantar. Duarte fica a tomar conta do filho.

Amélia prepara a comida e diz que falta pimenta. Alberto avisa que não quer ficar com o estômago a arder e a empregada responde que ainda tem é que lhe pôr pimenta na língua como se faz às crianças. O patrão resmunga mas cala-se. Ester adverte que Áurea não deve saber que Inês está doente e que Bruno quer ir viver com o pai para Londres, embora tenha esperança que Aníbal consiga demovê-lo dessa ideia quando vier falar com ele a Lisboa. Alberto teme que Inês tenha os mesmos problemas de cabeça que Áurea, mas Ester continua convencida de que a neta tem apenas uma depressão pós-parto.

Vera conta a Bruno que o tempo em Londres é péssimo mas ele responde logo que compra um chapéu-de-chuva. Paulo conforma-se e afirma que não vale a pena contrariá-lo porque está decidido a ir. Bruno confirma a sua determinação e, quando Vera apela às saudades que ele vai sentir, argumenta que podem falar por computador. Paulo garante que não é a mesma coisa e conta que quando estava no Luxemburgo e ficava ainda pior quando falava com eles. Bruno contrapõe que a diferença é que o amigo foi para lá contrariado e, neste caso, é ele que quer ir.

Tânia também está desgostosa com a possibilidade de Bruno se ir embora e confessa que não seria capaz de mudar de país. Hernâni intromete-se e diz que pelo menos com ele já não terá de se preocupar. Nicole pergunta a Hernâni quando é que ele volta para a caverna de onde saiu, enquanto Tânia deixa claro que não gosta de o ouvir a criticar Aníbal por ser homossexual. Hernâni decide mudar de assunto e explica à filha a prenda que ofereceu a Nicole. Tânia diz que acha esquisito que os pais façam uma massagem romântica ao mesmo tempo. No entanto, Nicole adota uma atitude mais cordial e reconhece que ele, desta vez, acertou.

Cristóvão vai à loja de Cátia comprar um chocolate e ela pergunta se lhe foi pedir desculpa. O rapaz quase cede a esse impulso mas acaba por se manter firme, seguindo os conselhos de Hernâni. Ela fica ainda mais zangada quando Cristóvão diz que não a trata mal por querer. Cátia manda-o sair, pois quer fechar a loja.

Miguel arrasta o passo quando se prepara para ir para casa com Luísa. Esta está muito animada, mas ele assume que está cansado. Sónia cruza-se com eles e fica cheia de ciúmes ao ouvir Luísa dizer que tem um número de enfermeira marota preparado para ele.

Isabel e Urbano mostram-se curiosos para saber o que Mónica disse deles à assistente social. O médico tem esperança de que a menina já se abra mais com eles no próximo encontro. Isabel, por seu lado, confessa que já está mentalizada para as dificuldades, mas garante que não vai desistir da menina. Urbano dá-lhe um beijo de incentivo.

Artur e Júlia elogiam a coragem de Urbano e Isabel por quererem adotar uma menina já com doze anos. Júlia conta depois ao marido que no dia seguinte vai dedicar o seu tempo a uma sessão de massagens com Mariana e Raquel, pois a filha está stressada com os exames e a irmã a viver um momento complicado por causa do escândalo da lista de acompanhantes de luxo que foi divulgada. Artur confessa que a sua faceta de carregar o mundo às costas ainda o deixa mais apaixonado, beijando-a com muito carinho. Júlia deixa-se levar pela doçura desse beijo.

Hugo fica preocupado porque Machado o avisa de que uns miúdos andaram a rondar a oficina onde escondem os carros roubados. Raquel desdramatiza e sugere que forrem os vidros para que não se possa espreitar. De seguida, convida-o a passar a noite com ela. Hugo sorri e responde que só está à espera do dia em que não precise de convite.

Mariana reconhece que o treino de Lucas a deixou estafada e enaltece o trabalho dos atletas com deficiência. Curiosa, pergunta a João se o irmão não tem momentos de revolta por ser invisual. O namorado reconhece que Lucas tem os seus momentos menos bons mas que está de bem com a vida por ser muito focado nos seus objetivos. Mariana afirma que também devia ser assim e desabafa que precisava de ter a filha consigo para estar completamente feliz. João abraça-a e beija-a.

Teresa está com insónias e só pensa na possibilidade de ser presa a qualquer momento. Bernardo aconselha-a a falar com Gui pois está convencido, pela conversa que teve com ele, que o filho já está arrependido de ter partilhado com Duarte que ela matou o pai deles. Teresa decide que vai falar com Gui logo pela manhã para que ele convença Duarte a não a denunciar. Bernardo, por seu lado, conta que já está à procura de um lugar para instalar a mãe, logo que ela saia do hospital. Teresa aprecia o cuidado do marido e interroga-se sobre o que será de si quando for velha. Bernardo responde que se terão um ao outro, ajudando-a a levantar-se para se irem deitar.

Alberto está em pulgas para ir para a faculdade e Ester conta a Amélia que ele vai saber a nota do trabalho de economia. A empregada mete-se com ele à espera que ele traga um vinte. Alberto resmunga que ela devia sentir-se lisonjeada por ter sido objeto de um projeto académico. Ela devolve a provocação e diz que era melhor ele ajudá-la a limpar, em vez de criticar o modo como ela o faz. Ester ameniza a situação e lembra que ele tem problemas maiores. Ester conta que vai visitar Caminho e Alberto aprova a ideia, pois é algo que lhe faz bem.

Jorge desdobra-se em gentilezas para Carminho e a filha Joana, confidenciando que vai sugerir um nome a Artur para que a sua substituição como chefe de redação seja rápida. Ela sente-se culpada por estar a contribuir para o retrocesso da carreira do companheiro.

Duarte combina receber a polícia em casa durante a tarde. Inês tenta demovê-lo de entregar a mãe mas Duarte mostra-se inflexível e afirma que ela tem de pagar por ter matado o seu pai.

Teresa implora para que Gui convença Duarte a não a entregar à polícia. O filho mais novo diz que nada está nas suas mãos e lembra-lhe que o traiu. Para maior tormento da mãe, conta que acabou de ser informado pelo advogado que nada do que foi aprovado na reunião da administração dos hotéis tem validade, pois a reunião foi impugnada. Teresa chora e diz que não aguentará um dia na prisão. Gui aceita falar com Duarte, mas sem dar garantias de que o irmão não a entregará à polícia.

Urbano encontra Júlia, Raquel e Mariana, que se preparam para receber umas reconfortantes massagens. Mariana comenta que passou uma vergonha no treino com João e Lucas, porque eles são muito mais rápidos. Lúcia exclama de admiração ao ler uma notícia que diz que uma pessoa foi morta de madrugada num assalto por carjacking. Raquel comenta que quando está no carro tranca sempre as portas, enquanto Mariana não acha muito frequente este tipo de crime em Lisboa.

Machado explica a Hugo que um dos assaltos correu mal porque o dono do carro ofereceu resistência, fazendo disparar a arma de um dos homens. Machado revela que nas notícias disseram que o homem morreu. Hugo fica perplexo com a situação.

Hugo fica furioso quando Machado lhe conta que a operação do roubo dos carros correu mal, porque morreu um condutor. Hugo diz que a polícia não vai descansar enquanto não souber quem cometeu o crime e ordena que os homens trabalhem rapidamente para transformar os automóveis e que esvaziem o armazém para que não restem provas.

Luísa conversa ao balcão do café com Isabel e queixa-se que Miguel adormeceu, frustrando a noite de sexo que ela tinha idealizado. A decoradora conta que se vestiu de enfermeira para apimentar a relação e lamenta que ele já não renda, nem com comprimidos. Sónia aproxima-se sem que elas se apercebam e troça da infelicidade de Luísa. Esta compara Miguel a um carro velho que teve e diz que é capaz de o vender ao ferro velho. Isabel, indignada, acaba com a conversa.

Na mercearia, Cristóvão e Hernâni divertem-se por verem Miguel cheio de sono e provocam-no ao dizer que ele está acabado. Sónia entra na loja nesse momento e, em voz alta, começa a criticar Miguel por ter adormecido antes de satisfazer Luísa. O vendedor de lingerie tenta arrastá-la da loja para que não faça escândalo, mas Sónia insiste em reclamar e avisa-o para que não fraqueje quando estiver com ela, recomendando-lhe que vá ao médico. Ele diz que não precisa de medicamentos, mas sim de descanso. Hernâni provoca-o ainda mais e oferece-lhe um pacote de café que ele deixa em cima do balcão, saindo furioso da loja. Depois de ficar a sós com Hernâni, Cristóvão diz ao segurança que vai deixar de tratar mal Cátia, porque a estratégia para a conquistar não está a resultar. Hernâni garante que ele se vai arrepender por não seguir as instruções do mestre.

Cátia faz depilação na loja de Nicole e queixa-se à amiga que se sente muito só desde que não tem namorado. Nicole recomenda-lhe que faça uma massagem para relaxar e conta que Hernâni lhe ofereceu uma sessão romântica que partilharam. Cátia nota que o segurança ficou muito mais romântico e Nicole acredita que isso aconteceu depois de lhe ter lançado um feitiço.

Para grande satisfação de Mariana e Júlia, Raquel aceita fazer a palestra sobre a sua experiência como doente oncológica, depois de lhe ter sido diagnosticado cancro da mama. Mariana confirma que vai ter de falar com Gui para combinar quando é que vai buscar Carolina para passar consigo o fim de semana mas reconhece que tem dificuldade em relacionar-se com o ex-marido depois de lhe ter tirado a guarda da filha.

Gui vai pedir a Duarte para não denunciar a mãe por ter assassinado o pai mas ele revela que já é tarde demais, acrescentando que a polícia está prestes a chegar para registar o seu depoimento. Nesse instante, o inspetor Barreto, da Polícia Judiciária, chega acompanhado por outro agente e Gui decide ficar ao lado do irmão.

Em casa, Teresa está ansiosa para saber se Gui conseguiu demover Duarte de a denunciar pelo homicídio do marido. Bernardo afirma que se isso não acontecer, terão de evitar a todo o custo que o corpo de Francisco seja exumado e acrescenta que vai saber se o cloreto de potássio que ela lhe injetou pode ainda ser detetado. Teresa desabafa, preocupada, que se isso acontecer não terá qualquer hipótese de defesa.

Carminho desabafa com Ester, queixando-se de ter muito menos tempo para si desde que Joana nasceu e continua a pensar que Jorge não ajuda tanto em casa como ela desejava. A mãe aconselha a filha a ter mais paciência. Carminho reconhece que se excedeu nas críticas ao companheiro e sente-se culpada por ele ter renunciado ao cargo de chefe de redação na revista, por pensar que a relação estava a correr perigo.

Artur não se conforma e insiste para que ele continue como chefe de redação da Blondie. Apesar dos seus esforços, Jorge continua irredutível e reafirma que não quer colocar em risco a estabilidade familiar.

Júlia sensibiliza Mariana para que faça um esforço para se reaproximar de Gui, pois só dessa forma conseguirá passar mais tempo com a filha. Apesar de isso a contrariar, Mariana promete pensar no assunto. Júlia confessa que ficou feliz por Raquel ter decidido colaborar com a associação que trabalha na prevenção do cancro da mama.

Hugo conta a Raquel que a operação do roubo dos carros correu mal na noite anterior, porque morreu um homem que se recusou a largar o seu automóvel. Raquel disfarça a sua satisfação, que aumenta quando Hugo recebe um telefonema de Machado a dizer que os documentos falsos que lhes vão permitir circular com os carros ainda não estão prontos. Hugo fica ainda mais ansioso e revela que tem de se desfazer dos automóveis, pois já houve dois miúdos que andaram a rondar o armazém. Raquel regista a informação e sorri quando ele se afasta apressado para ir resolver o problema.

Sebastião está visivelmente nervoso antes da entrevista com Urbano, mas Vera e Lúcia atestam que o médico é uma excelente pessoa. Urbano aproxima-se nesse instante e leva Sebastião para o gabinete, começando por lhe dizer que o facto de ter sido recomendado por Isabel e de ser amigo da família de Alberto terá o seu peso para o contratar. Fica bem impressionado quando o jovem descreve a sua experiência profissional e não reage mal quando ele revela que teve problemas com drogas duras, um problema que considera resolvido. Urbano pergunta a Sebastião como resolveria o incidente com um cliente que estivesse no ginásio sem camisola e a transpirar.

Isabel não controla a ansiedade que sente antes de receber Mónica, a sua filha adotiva. De repente, tem uma ideia e deixa Luísa sozinha no café, sem talheres para comer o bolo que tem à frente.

Cristóvão pede a Cátia uma caixa de bombons e, depois de ela fazer o embrulho, oferece-lhos, pedindo desculpa por tê-la tratado mal nos últimos dias. Ela perdoa-lhe o que ele chama de insanidade temporária e Cristóvão agradece aos céus, reforçando que gostaria de a ver sempre a sorrir. As pazes ficam feitas no sorriso de ambos.

Duarte e Gui contam a Inês que já denunciaram a mãe à polícia e que agora têm de esperar que o corpo de Francisco seja desenterrado e sujeito a nova autópsia. Inês fica horrorizada e defende que eles deveriam ter mantido o silêncio. No entanto, acrescenta que não vai meter-se num assunto que é deles. Duarte critica Gui por ter deixado Carolina entregue à ama, no hotel. O irmão reage com incómodo e afiança que se esforça por estar com a filha sempre que pode.

Hugo diz a Machado que os carros roubados não podem passar mais uma noite no armazém e o cúmplice estranha tanto nervosismo. Hugo afirma que ele parece não se importar com o facto de poderem voltar para a cadeia.

Alberto exulta porque teve uma altíssima nota na faculdade por causa do trabalho sobre as empregadas domésticas. Amélia provoca-o e diz-lhe que foi com a sua ajuda. Alberto quer beber champanhe, mas Ester lembra-lhe que ainda estão a meio da tarde. A festa fica completa com a chegada de Vera, que traz consigo Sebastião, que foi admitido por Urbano para trabalhar na clínica como rececionista.

Isabel e Urbano visitam Mónica pela segunda vez e, apesar de a menina continuar com uma atitude defensiva em relação a eles, ficam esperançados que ela os encare melhor depois de lhe oferecerem um estojo para pintar.

Jorge fica confuso com a disponibilidade de Carminho, que se oferece para trazer o jantar da rua, aproveitando o facto de ir mostrar Joana a Júlia, pois a amiga está com saudades de ver a menina.

Raquel conta a Júlia que Hugo está envolvido no homicídio de uma pessoa durante um dos assaltos a carros por carjacking. Júlia fica aflita, temendo que a irmã venha a pagar por isso se ele disser que ela também esteve envolvida. Raquel afiança que esta é a sua grande oportunidade de o devolver à cadeia.

Hugo é confrontado com a chegada de uma brigada da Polícia Judiciária que lhe apresenta um mandato para fazer uma busca à garagem. Hugo fica em choque, sem saber como reagir.

A brigada da Polícia Judiciária vasculha o armazém de Hugo mas depara-se com um espaço vazio. O inspetor que lidera a investigação informa Hugo que as buscas resultam de uma denúncia anónima e, em tom provocatório e de desafio, despede-se dizendo que talvez voltem a encontrar-se. Hugo tenta controlar o nervosismo e força um sorriso.

Raquel está com Júlia quando recebe uma chamada de Hugo a contar que teve um pequeno problema no armazém, mas que falará com ela em casa sobre o assunto. Raquel percebe que a sua cilada para o meter na cadeia não resultou e Júlia teme que ele já tenha percebido que foi a irmã a denunciá-lo. Raquel vai apressada para casa na tentativa de perceber o que realmente se passou para ele não ter sido apanhado e Júlia pede que ela lhe ligue assim que tiver novidades.

João conversa com Mariana e acha que Júlia lhe deu um bom conselho quando a incentivou a entender-se com Gui para conseguir passar mais tempo com a filha Carolina.

Teresa procura Gui no hotel e, ao saber que ele e Duarte já a denunciaram à polícia por ter matado Francisco, tenta manipular o filho mais novo tentando que ele regresse a casa com Carolina. Finge-se horrorizada pela possibilidade do corpo do marido vir a ser exumado para nova autópsia e apela ao coração de Gui, dizendo que nunca pensou ser atraiçoada pelos filhos que a apunhalaram pelas costas. Zangado por perceber a atitude da mãe, Gui acaba por expulsá-la do quarto, dizendo que já é tarde para que ela mude, apesar de prometer fazê-lo. Teresa sente-se furiosa mas controla-se para não hostilizar mais o filho.

Carminho faz uma visita a Júlia e Artur, que ficam embevecidos ao verem Joana. Carminho vai direta ao assunto e pede a Artur que não aceite a demissão de Jorge como chefe de redação da revista. Explica que reagiu a quente quando lhe pediu que ajudasse mais nas tarefas domésticas, mas confessa que nunca quis que ele deixasse o cargo. Artur mostra-se aliviado e Carminho diz-se disposta a assumir mais tarefas em casa.

Hugo conta a Raquel as suas inquietações por quase ter sido apanhado com os carros roubados dentro do armazém. Explica que isso só não aconteceu porque um amigo lhe cedeu, sem fazer perguntas, um espaço que tinha vazio para alugar. Depois do susto que apanhou, Hugo quer desistir do negócio mas Raquel esforça-se para que não o faça e tenta descomprometer-se, opinando que ele deve ter sido denunciado por um informador dentro do seu gang ou pelos miúdos que andaram a rondar o armazém. Ele quer apanhar quem o traiu a todo o custo e inclina-se mais para que algum vizinho tenha dado com a língua nos dentes.

Cristóvão fala simpaticamente com Cátia e é observado à distância por Hernâni. Quando ela se levanta e vai para a loja de doces, Hernâni abeira-se de Cristóvão e insiste com ele para que volte a tratá-la mal, pois jamais conseguirá conquistá-la com meiguices. Cristóvão contrapõe que, ao menos, Cátia voltou a falar-lhe.

Miguel propõe a Luísa e a Sónia para que lhe deem um dia de descanso, prometendo que o seu desempenho sexual com cada uma irá melhorar. Luísa recusa de imediato e vai-se embora amuada, enquanto Sónia tenta tirar partido da situação, tentando seduzi-lo e dizendo que ela é uma egoísta. Como Miguel a rejeita, também Sónia fica amuada.

Isabel e Urbano confessam um ao outro que ficaram mais animados com a recetividade que Mónica demonstrou para com eles na segunda visita. O casal está feliz porque conseguiu arrancar-lhe o primeiro sorriso sincero com o presente que lhe levaram.

Carminho e Jorge estão de novo em paz, depois de ela ter pedido a Artur para não aceitar a demissão dele. Carminho pede desculpa ao marido por tê-lo pressionado com os assuntos domésticos, garantindo que jamais se perdoaria por ter-lhe estragado a carreira profissional. Jorge desfia elogios à mulher arrancando-lhe sorrisos e, quando Joana chora, ambos acorrem para tratar da filha.

Alberto começa a pensar em abrir uma empresa de empregadas domésticas, depois de ter tido uma nota elevada no trabalho que fez para a faculdade. Ester lembra-lhe, com bom humor, que o seu tempo já passou, enquanto Vera explica a Sebastião a tendência do tio para negócios ruinosos. Amélia também não perde a oportunidade para se meter com o patrão.

Duarte sorri perante as caretas que Martim faz e tenta despertar Inês para o filho. Ela esboça apenas um sorriso amarelo e muda de assunto para dizer que não compreende como é que o marido teve coragem para denunciar a mãe à polícia. Duarte defende que só as autoridades serão capazes de determinar se ela agiu em legítima defesa quando matou o marido. Inês fala da sua ida ao médico, sentindo-se incapaz de avaliar se está melhor e mostra, mais uma vez, receio de que Duarte se farte dela. Ele responde que não vai a lado algum e Inês aninha-se no seu peito. O choro de Martim interrompe o momento e obriga Duarte a levantar-se, enquanto Inês permanece no sofá.

Gui encomenda o jantar para o quarto e desiste de pedir álcool para acompanhar a refeição, pensando que isso pode afetar-lhe o discernimento para tratar da filha. Depois de desligar o telefone, fala com a filha, como se ela o entendesse.

Teresa vocifera contra o facto de Carolina estar a viver com Gui num hotel e afirma que devia ter pedido a guarda da neta em seu nome. Bernardo garante-lhe que teria sido muito difícil que algum juiz tomasse essa decisão. Teresa mostra-se depois preocupada que a justiça ordene a exumação do corpo de Francisco, na tentativa de provar que ela o matou. Bernardo mostra-se convicto de que a denúncia de Duarte e Gui não deverá suficiente para justificar essa decisão do juiz e acrescenta, referindo-se a Lurdes, que a única pessoa que poderia causar-lhes problemas está debaixo da terra.

Decorrida uma semana, Duarte prepara o biberão de Martim e tenta que Inês se interesse por aprender como se faz mas ela não presta atenção, preferindo mostrar-se incomodada com o facto de ele ir presenciar a exumação do corpo do pai. Gui chega nesse momento, pois vai acompanhar o irmão nessa diligência no cemitério, não escondendo que está igualmente desconfortável com a situação.

Teresa mostra-se angustiada por causa da exumação do corpo de Francisco, prevendo que pode ser presa se for apurada prova de que o matou. Deixa no ar uma crítica velada a Bernardo, que lhe tinha garantido que nada disso iria acontecer. O marido justifica que apenas fez uma previsão e Teresa, num impulso, agarra na mala e sai de casa, deixando Bernardo inquieto, temendo que ela cometa uma imprudência. O advogado acaba por ir atrás dela.

Hugo decide continuar com o negócio dos carros roubados e prepara-se para sair para o atelier, dizendo a Raquel que tem de dar à polícia a ideia de que tem um negócio honesto. Assim que fica sozinha, Raquel liga a Júlia e pede à irmã para se encontrarem.

Júlia conta a Artur que vai encontrar-se com Raquel no Dancin’ Days porque a irmã tem algo de importante para lhe contar. Artur lembra que a exumação do corpo de Francisco Sousa Prado vai ser nesse dia e confidencia que vai mandar um jornalista ao cemitério, pois pretende publicar uma reportagem sobre crimes passionais. Júlia interroga-se se foi esse o caso que vitimou o advogado e Artur afirma que não vê outro motivo.

Jorge despede-se de Carminho e de Joana antes de sair de casa para a revista e, desta vez, sem discussões, apesar de Carminho ter muito trabalho para fazer sem a sua ajuda.

Ester ralha com Alberto porque ele persiste em fazer pesquisas para abrir uma escola de empregadas domésticas. O marido amua e vai-se embora para a saleta. Amélia diz à patroa para não se ralar porque ele volta ao normal quando o bisneto chegar com Inês. Ester concorda mas mostra-se triste por não ter Áurea ao pé de si, pois ela gostaria de poder estar com Martim.

Nicole tenta seduzir Hernâni mas nota algum desinteresse da sua parte. Depois de ele voltar ao trabalho no shopping, a manicura partilha essa preocupação com Cátia.

Isabel fala cheia de entusiasmo com Luísa sobre o quarto que preparou para receber Mónica. A amiga finge que desdenha da atitude da amiga mas, perante a sua irritação, desfaz a brincadeira e oferece um espelho para que ele coloque no quarto da filha adotiva.

João mostra-se espantado com a capacidade de Mariana e Nonô fazerem tantas compras num curto espaço de tempo. Mariana brinca e responde que ela e a amiga têm superpoderes, para de seguida revelar que ainda não tem vestido para o jantar dessa noite com Lucas. João desvaloriza o pequeno drama e vinca que é indiferente, pois o irmão não vai perceber o que ela tem vestido. Mariana convida Nonô para jantar com eles e a amiga confessa que tem curiosidade em conhecer o irmão de João. Mariana tem pena que Carolina não esteja consigo, mas mostra esperança que Teresa seja presa para voltar a ter a guarda da filha, acreditando que a ex-nora seria capaz de matar o marido.

Quando a polícia se prepara para arrombar o jazigo de família onde repousam os restos mortais de Francisco, Teresa surge de braços abertos a dizer que ali ninguém entra.

Teresa tenta evitar a exumação do corpo de Francisco, mas é travada pelos filhos. Os agentes policiais também intervêm, levando a que Bernardo aconselhe a mulher a desistir da sua ideia, considerando mais prudente aguardar pelos desenvolvimentos.

Raquel conta a Júlia que está a ser pressionada por um agente da Polícia Judiciária para entregar Hugo como cabecilha do negócio dos carros roubados. A irmã reafirma a sua preocupação mas Raquel insiste que, agora, são as autoridades que não prescindem da sua colaboração. Júlia muda de assunto e assume que está orgulhosa de Raquel pela sua disponibilidade em falar publicamente da sua experiência como doente oncológica.

João, Mariana e Nonô saciam a gula com pastéis de nata, quando Vera e Sebastião juntam-se a elas. Este confirma que o trabalho na clínica está a correr muito bem e que as pessoas são todas muito simpáticas. Enquanto João leva Sebastião ao banco e lhe aconselha a poupança que deve escolher, as raparigas falam do namorados e Vera promete arranjar um a Nonô, a única que ainda não conseguiu um "príncipe encantado”.

Depois de explicar a Sebastião como deve rentabilizar o seu dinheiro, João fala da sua vida com Mariana e reconhece que a única coisa que falta para que tudo esteja perfeito é que Carolina esteja a viver com eles. João assume que, quando isso acontecer, vai tratar a menina como sua filha. Sebastião não pensa em viver brevemente com Vera, pois tem consciência de que ela é muito apegada à família.

Alberto insiste em abrir a sua escola para empregadas domésticas e pergunta a Inês se ela pode desenhar o projeto duma cozinha. Amélia vai interrompendo o patrão, conseguindo irritá-lo. Ester mantém-se irredutível e opõe-se à ideia do marido. Alberto amua porque a mulher nem sequer o deixa explicar como financiar o empreendimento. Ester convida Inês a ir com eles visitar Áurea, que não tarda a ter alta e, quando Duarte aparece para a ir buscar, a arquiteta pergunta-lhe se não se importa que ela vá com os avós ver a mãe. Duarte incentiva Inês e aproveita para revelar que Teresa tentou impedir a exumação do corpo de Francisco para que se faça nova autópsia.

Teresa toma um comprimido para acalmar os nervos, temendo que a nova autópsia ao corpo do marido revele provas de que efetivamente o matou. Teresa não esconde que é uma mulher angustiada e assume que só tem Bernardo nesta altura. O advogado promete ficar sempre a seu lado, aconteça o que acontecer.

Hugo recebe uma chamada a dar-lhe conta de que tem outra operação de roubo de carros. Raquel mostra-se curiosa para saber os detalhes mas Hugo não os revela, dizendo que apenas a quer proteger. Raquel fica desconfortável com a falta de confiança que ele demonstra.

Isabel passa a Urbano o embrulho que contém a prenda que Luísa ofereceu a Mónica. Nicole lembra-lhe que as amigas do centro comercial também querem conhecer a menina. Já a sós com Luísa, a manicura fica impaciente porque ela insiste em desvalorizar a maternidade, preferindo ter a liberdade de pôr em casa os homens que quer sem ter de se preocupar com filhos.

Áurea fica eufórica porque recebe alta da clínica, dizendo que agora vai poder estar finalmente com todos os seus meninos, principalmente Bruno, de quem tem muitas saudades. Ester e Alberto trocam um olhar de preocupação pois sabem do desejo do neto em ir viver com o pai para Londres. Inês assiste a tudo com uma grande apatia.

Duarte e Gui conversam sobre o que poderá suceder à mãe, caso se confirme através da nova autópsia que a morte do pai não foi natural. Os irmãos acabam por confessar que, de uma forma ou de outra, há momentos em que sentem algum arrependimento por terem denunciado Teresa. Duarte é mais realista e mostra-se convicto de que a mãe preferiu matar o pai para que as amigas não comentassem que ela se tinha divorciado. Duarte afirma que as aparências são tudo para a mãe.

Urbano e Isabel levam Mónica para casa e iniciam o seu esforço de adaptação à filha adotiva. A menina aumenta o som da televisão e Urbano prepara-se para a mandar baixar o volume. Isabel detém-no para evitar um primeiro choque com Mónica.

Áurea regressa a casa dos pais e cumprimenta todos. Bruno é o mais acarinhado pela mãe, que não esconde as saudades que teve dele. Ester avisa o neto que Áurea ainda não sabe que ele quer ir viver com o pai para Londres. Bruno promete nada dizer. Paulo aproxima-se do amigo e lembra-lhe que ainda pode voltar atrás, mas ele reafirma que a sua decisão já está tomada e que não vai voltar atrás.

Júlia comenta com Artur o facto de ter sido convidada para um jantar com antigos colegas da faculdade. Artur questiona se o pai de Mariana irá estar presente. Júlia afasta qualquer motivo para o marido ter ciúmes e reforça que Salvador a desiludiu muito e que não deve preocupar-se nem com ele nem com ninguém.

Nonô janta com Mariana e com João e tem finalmente a possibilidade de conhecer Lucas. O irmão de João faz planos para as próximas competições e lembra o irmão de que tem de fazer o plano de preparação para as olimpíadas no Brasil. Mariana diz logo que vai lá estar para os apoiar e Lucas volta a brincar com o facto de ser invisual, arrancando um sorriso contido a Nonô. Ela também fica feliz porque o rapaz a inclui na comitiva de apoiantes.

Duarte janta em casa com Gui e tenta sensibilizar o irmão para que, pelo menos, permita a Mariana estar mais tempo com Carolina. No entanto, esbarra na firmeza do irmão que insiste que é o pai da menina e que quer manter a sua guarda total.

Com a família toda reunida, Alberto procura apoio para levar adiante a sua ideia de abrir uma escola para empregadas domésticas. No entanto, só Inês se dispõe a ajudar o avô com o projeto, mas Ester recomenda-lhe que não lhe dê força. A conversa prossegue animada e assim continua depois de Jorge chegar e de pedir a Alberto para não o meter em problemas. A menos animada de todas é Áurea, que parece estar um pouco triste.

Cátia chama Cristóvão para trocar com ele dois dedos de conversa. Pouco a pouco, Cristóvão vai ganhando coragem para lançar umas indiretas, demonstrando os seus sentimentos. Cátia percebe e assume que tem andado demasiado azeda depois de ter terminado o namoro com Gui.

Sónia pergunta a Miguel se está com força e ele queixa-se de que ela o está a pressionar. A namorada deixa no ar a ameaça, dizendo que quando um eletrodoméstico está a falhar o melhor é trocar por outro. Miguel fica perturbado e recomenda-lhe que veja bem o que faz, pois não gosta de ter a cabeça enfeitada. Sónia responde que também não gostou de ser traída e aconselha-o a cumprir as suas obrigações, antes de lhe virar as costas.

Nicole e Tânia protestam com Hernâni, que não as deixa ver a telenovela porque está ver um jogo de futebol. Nicole amua e diz que vai para o quarto, dizendo à filha que está na hora de ir para a cama, uma vez que no dia seguinte à escola. Tânia obedece, mas antes conta que Áurea já teve alta e que já está em casa. Hernâni decreta que, pelo sim pelo não, é melhor que a filha não vá lá a casa, pois não sabe se Áurea ficou com os parafusos todos. Nicole repreende Hernâni pela forma como fala.

Áurea mostra-se feliz por ter voltado para casa e afirma que já tinha saudades de dar um beijo de boa noite ao filho. Ester, Alberto, Vera e Amélia estão constrangidos, uma vez que Áurea ainda não sabe que Bruno quer ir viver com o pai para Londres. O desconforto ainda é maior quando ela garante que vai fazer a sua medicação de forma rigorosa para nunca mais ter uma recaída.

Teresa dormita no sofá e sobressalta-se com a chegada de Bernardo. Confessa que teve de tomar um calmante pois não anda a conseguir dormir. Perante os pesadelos que ela diz viver, o marido ainda aventa a hipótese de ela pedir ajuda médica mas Teresa faz-lhe ver que seria mais uma testemunha do seu crime.

Bernardo recebe uma chamada e revela que é do Instituto de Medicina Legal, a dar conta do resultado da nova autópsia ao corpo de Francisco. Teresa fica na expetativa de saber o que os médicos forenses apuraram.

Nessa mesma altura Duarte abre a porta ao seu advogado. Inês abraça o marido numa demonstração de apoio, enquanto o advogado revela que a autópsia a Francisco revelou que ele não morreu de ataque cardíaco. Duarte e Inês aguardam em grande tensão para saberem como morreu afinal o pai dele.

Duarte fica desanimado quando o advogado conta que a causa da morte do pai ainda não foi determinada, sabendo-se apenas que não morreu de ataque cardíaco, como erradamente se tinha apurado na primeira autópsia. O advogado recomenda um pouco mais de paciência a Duarte e garante que os exames toxicológicos ao corpo de Francisco vão revelar toda a verdade.

Teresa fica em pânico depois de Bernardo lhe contar o resultado das análises ao corpo de Francisco, acreditando que, mais cedo ou mais tarde, a medicina legal perceberá que ela envenenou o marido. Bernardo esforça-se por acalmá-la, garantindo que vai tratar do assunto e que ela nunca irá presa.

Inês insiste com Duarte para que abandone a ideia de entregar a mãe à justiça, mas ele reafirma que se os exames preliminares ao corpo do pai vieram confirmar parte das suspeitas de que Teresa será mesmo a responsável pela sua morte, não há razão para desistir. A arquiteta lembra-lhe que está a destruir a família e o marido interroga-se como é que ela ainda tem coragem de defender a sogra. Para evitar uma discussão inútil, Inês decide ir até ao atelier, reconhecendo que se continuar sem trabalhar terá de fechar a porta. Duarte assume que já contava passar o dia a cuidar do filho de ambos.

Vera está de saída com os miúdos para a escola. Amélia obriga Paulo a vestir um casaco, apesar do neto dizer que já está calor para isso. Alberto pesquisa na internet e assegura que sai mais barato importar alguns equipamentos, mas Ester continua a dizer que não vai deixá-lo abrir a escola para empregadas domésticas, desejando que o seu interesse seja apenas académico.

Hernâni conclui que a sua carreira como segurança chegou ao topo e quer voltar a ter um negócio seu. O facto de Nicole repreender Tânia por estar permanentemente a mandar mensagens do telemóvel e de a filha lhe responder que já lhe compravam um novo, leva Hernâni a assumir que seria bom apostar na venda desses e de outros equipamentos eletrónico. Nicole não fica convencida.

Isabel prepara um pequeno-almoço mas Mónica não o aprecia e justifica-se dizendo que não está habituada a comer àquela hora. Urbano impõe-se e diz que não quer que ela vá para a escola de barriga vazia, mas Isabel desvaloriza a intervenção do marido e consente que a menina beba apenas o sumo natural. Nem disso a filha adotiva gosta, preferindo os sumos de pacote. Urbano cala o seu desagrado mas, tal como Isabel, percebe que não vai ser fácil disciplinar Mónica.

Raquel mostra a Júlia as ideias que alinhavou para a palestra sobre o cancro da mama. Perante a insegurança da irmã, Júlia aconselha-a a falar como o coração. Raquel quer mostrar o que escreveu a Mariana e Júlia assegura que a sobrinha tem grande orgulho nela, temendo apenas pela sua reaproximação de Hugo. Raquel reafirma que não pode desistir agora que está tão perto de o apanhar.

Hugo está a dar algumas recomendações a Machado, vincando que os homens não devem confiar em ninguém, quando Ivo lhe aparece à frente. Hugo apresenta-o como seu meio-irmão e Ivo causa de imediato incómodo em Machado, decretando que ele está cheio de energias negativas acumuladas. O homem vai-se embora desagradado e Ivo explica que se tornou numa pessoa diferente, crente no destino. Hugo fica impaciente quando tem de lhe entregar as chaves da sua casa, porque o irmão não tem onde ficar.

Cátia e Luísa advertem Isabel para o facto de não poder fazer todas as vontades a Mónica, justificando-se que a menina tem de reaprender algumas regras. A conversa é interrompida por Cristóvão, que pergunta a Luísa por Sónia que está atrasada para entrar ao serviço. Ela surge amparando Miguel, que passou a noite nas urgências do hospital, onde lhe detetaram uma hérnia inguinal, motivada pelo esforço na cama com Sónia. Esta tenta fazer com que Luísa fique a tomar conta de Miguel mas sem êxito, porque ela diz que não é o seu dia. Miguel fica ofendido e vai para a loja de lingerie. Hernâni observa a dificuldade com que Miguel caminha e faz troça dele, correndo a contar o sucedido a Nicole. Ela não lhe dá grande importância, preferindo concluir a marcação de mais uma consulta na astróloga. Hernâni não gosta e diz que ela só pretende extorquir dinheiro.

Cátia e Cristóvão reprovam a atitude de Sónia por se descartar de Miguel, agora que ele está doente. Sónia prepara-se para ir beber um café, mas antes diz que não tem paciência para ser enfermeira e que quem comprou a farda foi Luísa, que pode dar-lhe uso quando Miguel tiver alta do hospital. A sós com Cristóvão, Cátia deixa-o nas nuvens quando o convida para jantar em sua casa.

nas redes

pesquisar