SIC

Perfil

De segunda a sexta

Dancin' Days - Resumo de 06 a 12 de junho

Emília e Zé Maria sofrem um acidente de avioneta e morrem; Raquel descobre que tem cancro; Teresa aceita o pedido de casamento de Bernardo!

Isabel leva Hernâni à clínica para a consulta de nutrição com Urbano. Ao chegar, confessa ao namorado que está preocupada, porque ouviu nas notícias que uma avioneta se despenhou a caminho do Algarve. Urbano sugere que ligue a Emília, mas Isabel diz que já o fez e que o telefone da amiga está desligado. O de Zé Maria está na mesma, o que causa ainda mais preocupação.

Enquanto espera com Júlia por notícias sobre a forma como a cirurgia de Raquel correu, Mariana recebe uma chamada a avisar que a avioneta onde Zé Maria e Emília viajavam se despenhou. Mariana aperta a mão de Júlia e desata a chorar.

Mariana chora convulsivamente e é com grande dificuldade que consegue dizer a Júlia que a avioneta em que seguiam o pai e a mulher se despenhou. Mariana consegue contar que Emília morreu e que Zé Maria está no hospital em estado grave. Júlia abraça a filha e tenta conter-se, apesar do choque que a notícia lhe provoca.

Hernâni está a meio da consulta de nutrição com Urbano, quando Isabel entra no gabinete, fora de si, contando que a avioneta onde seguiam Emília e Zé Maria se despenhou. Isabel começa a chorar e Hernâni e Urbano ficam chocados com a notícia.

No centro comercial, Luísa comenta o escândalo que constituiu a descoberta de que Cátia é dançarina de striptease. Sónia defende a prima e Cristóvão prepara-se para agredir Miguel quando este o olha com ar trocista. No entanto, a chegada de dois clientes trava a intenção de Cristóvão que, rapidamente, adota uma postura cordial para os atender. Luísa e Sónia continuam a picar-se, enquanto Miguel aproveita para meter veneno, esforçando-se por colocar ainda mais na lama o nome de Cátia. Tanto se esforça que acaba por exagerar, conseguindo que Sónia e Luísa deixem de se provocar para se virarem contra ele. A conversa é interrompida com a chegada de Nicole que, de lágrimas nos olhos, olha Luísa com um ar de compaixão que não antecipa boas notícias.

Na clínica, enquanto aguarda por notícias da cirurgia de Raquel, Mariana não consegue suster as lágrimas quando conta a Babi que Zé Maria está em estado crítico, depois do acidente de aviação que vitimou Emília e o piloto do aparelho. A rapariga confessa temer a morte do pai. Júlia chega nesse instante e esforça-se por minimizar o sofrimento da filha. Anuncia que Raquel está ainda no recobro e que só dentro de algumas semanas se saberá se o tumor que retirou do peito é ou não maligno. Júlia agradece a Babi por ficar junto de Raquel, pois tem de viajar com Mariana até ao Algarve para acompanhar a situação clínica de Zé Maria.

Luísa está destroçada com a morte de Emília. Cristóvão estende-lhe um lenço para enxugar as lágrimas. Nicole lembra-se de perguntar se Raul já sabe da morte da mãe. Ninguém tem o número de telefone do médico mas Luísa assume que será melhor que ele saiba da infeliz notícia por si. Quando Luísa se afasta, Sónia confessa que está com pena dela. Nicole duvida e as duas acabam pegadas. Cristóvão põe ponto final na discussão, fazendo com que se envergonhem da sua atitude.

Em casa de Ester e Alberto, a consternação é geral. Jorge explica que soube da notícia do acidente na revista. Vera leva Bruno para a outra sala, para o poupar à tragédia. Áurea mostra desejo de ir ter com Luísa, crente de que ela está desfeita com a morte de Emília. Carminho propõe-se a acompanhar a irmã, enquanto Ester pede que levem as condolências de toda a família. Alberto lembra que Isabel e Urbano estiveram para viajar com Zé Maria e Urbano. Jorge conta que já se especula sobre o futuro da rede de hotéis de Zé Maria. Carminho reage e diz que certos jornalistas não têm qualquer sensibilidade. Alberto aproveita a conversa para perguntar se ninguém noticiou os incidentes na faculdade, que culminaram com a sua passagem pela esquadra. Como Jorge afirma nada saber, Alberto começa a insinuar que há censura nos jornais. Ester repreende o marido, que está a desrespeitar o momento de luto que todos estão a viver.

Inês prepara um jantar romântico para Duarte e deixa o apartamento iluminado com velas. Assim que entra em casa, Duarte pergunta, sem o mínimo de carinho, se faltou a luz. Inês fica desconcertada e explica que decidiu fazer-lhe uma surpresa. Ele esquiva-se com o pretexto de não ser adequado aquele momento, quando Zé Maria está entre a vida e a morte. No entanto, dispõe-se a jantar como a mulher deseja. Inês, depois de ele ir para a casa de banho, apaga as velas e acende a luz, já sem vontade de prolongar o momento.

Cátia quer despedir-se da loja de doces porque está envergonhada por toda a gente já saber que é dançarina num clube noturno. Gui faz-lhe ver que não fez nada de mal e que não está certo que peça a demissão. Gui vai embora para trabalhar e Sónia fica a fazer companhia à prima. Conta-lhe logo que a sua imagem está queimada no shopping e Cátia começa a habituar-se à ideia de que se deve despedir. Sónia aconselha-a a ser ardilosa para poder negociar uma boa indemnização, mas ela diz não ter jeito para esse tipo de negociações. Sónia começa a delirar e idealiza uma parceria que podiam fazer, com a prima a dançar e ela a exibir os seus peitos de silicone. Cátia rejeita por completo a ideia da prima.

Veiga explica a Cristóvão que não precisa de lhe entregar tantas pastas, quando ele só quer ver as contas do mês. Miguel entra na loja à procura de bolinhos, dizendo que os vai oferecer aos lojistas, para lhes diminuir o desgosto pela morte trágica de Emília. O empregado esforça-se para não agredir Miguel quando este o provoca, mostrando pena por Cátia não poder partilhar os doces, pois ninguém quer ver gordas no varão. Cristóvão vai para ameaçar Miguel, mas Veiga ordena-lhe que faça um desconto, uma vez que os bolos são uma oferta para o pessoal do centro. Miguel conta que Sónia ficou abalada com a trágica morte de Emília e também pelo escândalo da prima. Veiga não sabe de nada e Miguel diz, trocista, que Cristóvão lhe pode explicar, indo embora. Cristóvão, por sua vez, inventa uma dor de barriga e pede ao patrão para tomar conta da loja. Dirige-se à loja de lingerie e, sem que Miguel esteja a contar, dá-lhe uma cabeçada no estômago, deitando-o por terra. Cristóvão foge em pânico e Veiga estranha a excitação com que o seu gerente regressa à loja.

Luísa está destroçada com o acidente que vitimou Emília e lembra que Raul já havia perdido o pai num acidente de helicóptero, passando agora pelo mesmo drama com a perda da mãe. Carminho, Áurea e Jorge prestam apoio à amiga nesta hora difícil e Áurea confessa ter medo de que o barco onde Lourenço trabalha possa ter igualmente um acidente. Luísa pergunta por novidades de Zé Maria e Carminho revela que a última informação que tem é que está em estado crítico. Luísa chora e assume estar a viver uma tragédia.

Isabel e Urbano estão com Júlia e Mariana, tentando saber mais pormenores sobre o regresso de Raul a Portugal, para o funeral da mãe. Júlia conta que já falou com ele e que o regresso está previsto para dentro de três dias, na companhia de Madalena. Isabel vai com o marido tratar do funeral da amiga, enquanto Mariana diz a Júlia que não está preparada para perder o pai. Mariana acrescenta que se sente mal por ter deixado Raquel sozinha na clínica mas Júlia sossega a filha, dizendo que Babi ficou a tomar conta dela e que ficou de avisar quando acordasse da cirurgia.

Quando desperta, Raquel apenas vê Babi ao pé de si. A amiga ainda tenta esconder a tragédia que sucedeu, mas acaba por revelar que Zé Maria está a lutar pela vida e que Emília sucumbiu aos ferimentos provocados pelo despenhamento do avião em que seguiam.

Mariana e Júlia chegam ao hospital de Faro e recebem notícias sobre o estado de saúde de Zé Maria. A médica que as atende revela que conseguiram estabilizá-lo e leva-as para que o possam ver. Mariana olha o pai através de um vidro e dá murros na tentativa desesperada para que ele reaja. Júlia aconchega a filha no seu peito e faz-lhe festas para a reconfortar.

Isabel irrompe a chorar quando toma consciência de que Emília morreu, perguntando-se quem é que agora a vai aturar. Urbano consola a companheira, que chora destroçada.

Nicole comenta com Sónia e Hernâni a descoberta de que Cátia é a afinal uma dançarina num clube noturno. Hernâni enche-se de pudores e critica a rapariga, mas sempre vai dizendo que o clube onde dança tem classe. Nicole dá-lhe dois caldos e avisa que se repetir a ida a tal local, está feito com ela. Nicole vai depois falar com Luísa, confessando que apesar de nunca se terem dado bem, agora a conversa é outra e dispõe-se a prestar todo o apoio de que ela precisar. Luísa agradece. Áurea também surge nesse instante para prestar auxílio à amiga.

Alberto mostra-se confiante que Zé Maria vai conseguir sobreviver. Entretanto, comenta com Vera que os jornais não destacaram a sua atividade na associação académica, prometendo endurecer a luta. Vera avisa-o de que Ester e Carminho não o querem ver envolvido em mais polémicas. Alberto encolhe os ombros.

Inês fica desconcertada pela forma como Duarte lhe dá os bons-dias. Depois do marido sair, telefona à mãe para lhe relatar os últimos episódios do seu casamento. Inês mostra-se confiante em conseguir recuperar o casamento. Áurea vai a falar ao telefone com Inês e, de repente, avista Lourenço, que supunha estar em alto mar, parado à espera que um semáforo passe a verde. Áurea fica confusa, sem saber o que fazer ou pensar.

Áurea olha para Lourenço com perplexidade, como que pedindo explicações para a sua presença, tendo em conta que no dia anterior tinha dito que estava na Grécia. Ele justifica-se dizendo que foi enfiado num avião, por também lhe terem roubado o passaporte quando lhe levaram a carteira. Áurea fica com pena do namorado e abraça-o toda derretida, depois de ele acrescentar que nada lhe disse para não a preocupar. Lourenço retribui o abraço e sorri, malandro, sem que ela perceba.

Luísa e Isabel choram, abraçadas, a morte de Emília. As duas combinam como tratar do funeral da amiga, pois Isabel teme não conseguir organizar tudo, uma vez que está de partida para Faro. Luísa lamenta não ter conseguido dizer em vida o quanto gostava de Emília.

Raquel agradece a Babi por tê-la acompanhado a casa. A amiga permanece a seu lado depois da cirurgia, alegando que prometeu a Júlia e a Mariana que tomava conta dela. Raquel diz que o seu problema não é nada, comparado com o de Zé Maria, que luta pela vida no hospital. Raquel decide ligar a Júlia, pois já não consegue controlar a ansiedade por não ter notícias do ex-marido.

A médica que acompanha Zé Maria coloca Júlia e Mariana a par da situação clínica do empresário. Diz que o principal problema é o edema cerebral que estão a tentar debelar e confirma que Zé Maria pode ficar com sequelas resultantes do acidente. A médica revela que tencionam despertar o doente do coma induzido ainda nesse dia e aconselha Júlia e Mariana a não contarem a Zé Maria que Emília morreu, enquanto ele estiver em estado crítico. Nesse momento, Júlia recebe a chamada da irmã e fica a saber que ela já está em casa, depois de ter sido operada. Raquel fica feliz por Zé Maria estar a resistir e diz a Júlia que caso se sinta melhor no dia seguinte, passará pelo Dancin’ Days, pois não podem descurar a gestão da discoteca. Depois de desligar a chamada, Raquel mostra-se preocupada e comenta com Babi que será preciso ter cuidado ao dar a Zé Maria a notícia de que Emília morreu. O telefone de Raquel toca e, apesar de aconselhada por Babi a não atender, ela acaba por falar com Hugo. Este diz que vai ficar mais uns dias com a mãe e o irmão na terra e Raquel apoia a sua decisão. Babi assume que não confia em Hugo e fica espantada por Raquel estar a dar-lhe o benefício da dúvida. Raquel finge-se ingénua e diz ter achado simpático o telefonema que ele fez.

Teresa conta a Bernardo que os filhos concordaram em vender o veleiro e pede-lhe ajuda para colocá-lo à venda. O advogado elogia a sensatez de Duarte e Gui nesta questão e Teresa agradece-lhe o apoio, assumindo-se agradada por tê-lo conhecido. Quando Lurdes entra na sala, ambos se calam. Bernardo pede-lhe que dê os parabéns à cozinheira, pela magnífica salada que preparou. Lurdes assente respeitosamente, mas fica contrariada. Bernardo volta a fazer conversa e comenta o acidente que vitimou Emília e deixou Zé Maria às portas da morte. Teresa não esconde o choque que sofreu e deseja que o empresário consiga sobreviver.

Inês visita Carminho e as duas comentam a morte de Emília. Inês confessa, depois, à tia que está preocupada com Duarte, pois não vê maneira de conseguir que o casamento melhore. Carminho incentiva-a a lutar pelo seu amor mas, ao contrário da sobrinha, não acredita que a relação resulte.

Duarte pergunta a Gui o que é que Cátia vai fazer depois do escândalo de ver revelado o seu trabalho no clube de striptease. Gui conta que ela quer deixar o centro comercial e Duarte compreende essa vontade, alegando que ela é que tem de ouvir os comentários maldosos. Duarte afirma que deviam ter tido mais cuidado, pois alguém descobriria o segredo mais cedo ou mais tarde. Os irmãos também comentam o acidente de avioneta e Gui repara que a filha, Carolina, pode não vir a conhecer qualquer um dos avós. Gui calcula que Mariana esteja a sofrer muito por não saber se o pai vai sobreviver, mas realça que a ex-mulher está bem acompanhada por Júlia. Esta referência faz com que Duarte fique a pensar nela.

Isabel continua a chorar a morte da amiga e Urbano assume que não devia ter permitido que entrasse na morgue com ele. Isabel afirma que tinha de ver a amiga e Júlia reconhece que a sua maior preocupação é como irá reagir Zé Maria à morte da mulher.

Raquel, Babi e Nonô conversam, consternadas, sobre o acidente que vitimou Emília e que quase ceifou a vida de Zé Maria. Raquel tem o impulso de ir para o Algarve para ficar mais próxima do ex-marido, mas Babi opõe-se de forma enérgica a essa ideia.

Cristóvão mostra o desejo de ir visitar Cátia mas Sónia humilha-o, dizendo que isso seria um sacrifício para a prima. Cristóvão irrita-se e manda-a trabalhar. Áurea entra cheia de pressa na loja e quer ser atendida rapidamente. Enquanto paga a Cristóvão, pergunta por que é que Cátia não foi trabalhar. Sónia conta que a prima não quer regressar à loja de doces, envergonhada por se ter descoberto que dança num clube de striptease. Áurea fica boquiaberta e Cristóvão fica revoltado por Sónia ter falado no assunto. Áurea desvaloriza e é da opinião de que Cátia não tem de ter vergonha.

Amélia está eufórica com o regresso do neto. Vera prepara-se para avisar Bruno de que Paulo vai voltar a Portugal mas Ester diz que pode contar-lhe ao jantar. Amélia conta que o miúdo vai jantar lá em casa porque o namorado de Áurea voltou de viagem e ela quer ter alguma privacidade ao jantar com ele. Alberto continua amuado porque foi afastado da associação académica. Insurge-se contra os colegas, afirmando que se trata de miúdos cobardolas, sem coragem para assumirem uma greve. Amélia pica o patrão e Alberto vai embora muito irritado. Ester sorri perante a teimosia dos dois.

Bruno fica zangado com Áurea, porque a mãe recusa deixá-lo ir sozinho para a escola, mesmo que Paulo e Tânia o acompanhem. Bruno ainda argumenta que os outros colegas andam sozinhos e que ele até já tem namorada, mas Áurea responde que o assunto nem tem discussão.

Tânia também não esconde a satisfação pelo regresso de Paulo mas Nicole quase se descai à frente de Hernâni, ao perguntar se ele já contou ao amigo do namoro com Bruno. Tânia consegue interromper a mãe a tempo, mas o pai fica desconfiado com aquela conversa. Hernâni acaba por se distrair, depois de Nicole comentar que a filha é uma jóia devido à educação que teve.

Carminho mima Jorge com uma declaração de amor quando ele chega a casa. Acaba por confessar que ficou muito sensível com o acidente que matou Emília, mas que o casamento de Inês também a preocupa, convencida de que o casamento da sobrinha com Duarte acabou. Jorge conta à mulher que o antigo chefe de redação da revista de despediu e que o resto dos colegas o aceitarão muito bem como novo chefe.

Duarte confessa a Gui que não lhe apetece ir para casa e o irmão repete que ele devia colocar um ponto final no casamento. Duarte assume que não pode tomar tal decisão e que o nascimento do filho deixará tudo mais calmo. Gui acrescenta que também não tem vontade de voltar para casa, pois Cátia deve estar com uma nuvem negra na cabeça depois do seu segredo ter sido descoberto.

Cátia fala ao telefone com Sónia e assume que não volta mais ao centro comercial, pois não está para suportar a má-língua. Cristóvão não descansa enquanto não arranca o telefone a Sónia e manda-a embora da loja para falar à-vontade. Cristóvão insiste para que Cátia não deixe o shopping e diz que Miguel não a incomodará mais, pois deu-lhe uma cabeçada. Cátia ri, incrédula, mas assume que ele não poderá protegê-la porque o mal já está feito. Depois de desligar, Cátia mergulha em tristeza.

Miguel conversa com Sónia e continua a manchar a imagem de Cátia embora diga, para dar um ar compreensivo, que o que ela faz não é crime. Sónia pergunta por Isabel e o namorado diz que ela esteve com Luísa e que a decoradora está de rastos com a morte de Emília. Sónia compreende a dor de Luísa, pois perdeu a melhor amiga, mas muda o tom, avisando Miguel para nem pensar em ir consolá-la. Miguel apressa-se a dar beijos em Cátia para a distrair.

Luísa chora, inconsolável, depois de recordar a ocasião em que ela e Emília se zangaram e como Isabel voltou a juntá-las, mantendo-se como as três melhores amigas. Luísa sente que a loja está vazia, sem a presença de Emília.

Zé Maria desperta do coma e Júlia e Mariana são as primeiras visitas que recebe. O empresário está muito debilitado mas reconhece que não se lembra de nada. A primeira pergunta que faz é onde está Emília. Júlia e Mariana olham para a médica de Zé Maria, como que pedindo a sua ajuda, pois não sabem o que responder.

Zé Maria insiste em saber onde está Emília. Mariana começa a chorar e tenta que o pai não perceba. Júlia e a médica não sabem como contornar a situação e tentam que ele acredite que poderá ver a mulher mais tarde. Zé Maria procura saber o que se passou para ter ido parar ao hospital. Júlia conta-lhe que sofreu um acidente de avioneta. O empresário antecipa o pior e chora, muito agitado. A médica pede ajuda a uma enfermeira e decide sedar Zé Maria, enquanto Júlia e Mariana se vêm forçadas a sair do quarto. Isabel fica preocupada ao ver o estado em que elas estão e Mariana conta que o pai queria ver Emília. Júlia acrescenta que ele percebeu que algo não estava bem. A médica de Zé Maria informa que ele foi sedado, pois a frequência cardíaca disparou e poderia criar mais complicações. Mariana sente-se culpada por não ter contado ao pai que Emília morreu e a médica concorda que ele deve saber a verdade, autorizando que lha contem, aproveitando ainda os efeitos do sedativo. Mariana, desolada, não quer deixar o pai sozinho no hospital mas Júlia faz-lhe ver que, de momento, nada podem fazer ali. Urbano dá uma ajuda e diz que é melhor irem descansar. Isabel lembra que, no dia seguinte, ela e Urbano têm de regressar a Lisboa para acompanharem os preparativos do funeral.

Júlia telefona a Carminho para contar as novidades e Jorge pede para falar com ela, dizendo que Artur lhe pediu que transmitisse a sua disponibilidade para o que for preciso e que não ligou para não a incomodar. Depois de desligar, Jorge avisa Carminho que não quer que ela vá ao funeral de Emília, pois não é ambiente para uma mulher grávida. Carminho assente e fecha os olhos, denotando cansaço.

Cristóvão ajuda Luísa a escolher um chá que a ajude a dormir, pois não consegue habituar-se à morte de Emília. Quando questionada sobre o que vai fazer com a loja, Luísa confessa não fazer ideia e diz que tem de falar com Raul. Sónia pergunta quando é o funeral e a decoradora diz que têm de esperar a chegada do filho da amiga. Luísa começa a chorar e Sónia mostra-se solidária, oferecendo-lhe lenços de papel. Cristóvão elogia a atitude da sua funcionária mas ela não lhe presta atenção, dizendo que está mais preocupada em seguir Luísa com o olhar, para ver se ela não se vai enfiar na loja de Miguel. Cristóvão murmura que ela afinal não mudou. Sónia responde que pode ser solidária, mas não é burra, frisando que não quer que lhe aconteça o mesmo que a Cátia. Incomodado, Cristóvão afiança que ela só quis manter a sua vida privada. Sónia desvaloriza e vai-se embora.

Cátia insiste em despedir-se do centro comercial e pede a Gui que lhe escreva a carta de demissão. O namorado certifica-se de que ela está segura da sua opção. Cátia argumenta que até vai ganhar mais apenas como dançarina do varão e dá o exemplo da vantagem que têm, por finalmente poderem jantar juntos nessa noite.

Inês conta a Duarte que Zé Maria já saiu do coma e pergunta ao marido se ele iria sofrer muito se ela morresse. Duarte fica incomodado e censura-a por estar a fazer uma conversa parva, subindo o som da televisão para ouvir um governante. Inês fica frustrada por não ter a atenção que deseja.

Lourenço consegue convencer Áurea do amor que tem por ela, dizendo que nos últimos tempos o último pensamento antes de adormecer era para ela. O namorado lamenta que o roubo de que foi alvo faça com que receba menos salário por não ter completado a viagem no cruzeiro. No entanto, promete devolver-lhe todo o dinheiro que ela lhe emprestou. Áurea, apaixonada, nem sequer quer discutir o assunto, depois de Lourenço acrescentar que não se iria sentir bem se a família dela adivinhasse que o está a sustentar. Áurea desvaloriza, respondendo que esses assuntos são só deles e, ainda por cima, revela que tem dinheiro de lado para as emergências, como é o caso, oferecendo ao namorado mais dinheiro.

Alberto conversa em família e pergunta se não acham que o namorado de Áurea passa muito tempo em terra. Ester diz que o homem teve um problema com o passaporte mas não convence o marido, que contrapõe que ele gosta pouco de água. Amélia pede a Alberto que a leve ao aeroporto para ir buscar Paulo, que regressa do Luxemburgo. Alberto argumenta que não lhe dá muito jeito porque tem aulas a essa hora. Ester fica zangada com o marido e deixa claro que irá ter problemas se não ajudar a empregada a ir buscar o neto, uma vez que tem tempo para manifestações e para se algemar na faculdade. Alberto não tem outro remédio senão cumprir as ordens da mulher. Bruno fica amuado porque não o deixam ir esperar o amigo, uma vez que também tem aulas.

Hernâni procura os calções de pólo aquático e Nicole diz que os guardou, acrescentando com malandrice para que ele os guarde amanhã, pois pode precisar deles ainda nessa noite. Nicole e Hernâni trocam uma piscadela de olho, com cumplicidade. Tânia pede aos pais para a deixarem ir para casa da avó de Bruno, uma vez que Paulo vai chegar do Luxemburgo. Hernâni começa a ficar desconfiado e quer saber que relação tem a filha com Bruno. A rapariga faz com que o pai acredite tratar-se de uma amizade de infância. Depois de ele se retirar para a cozinha, comenta com a mãe que ele ainda não percebeu que ela cresceu. Nicole esboça um ar de alguma preocupação e aconselha Tânia a manter, por mais algum tempo, que Bruno é apenas seu amigo.

Lourenço vem do quarto e vê Áurea ao computador. Sem ser notado, aproxima-se dela e abraça-a, perguntando se já está a trabalhar tão cedo. Ela esclarece, apaixonada, que acabou de lhe transferir mais dinheiro para a conta, pois escusa de andar aflito até ao fim do mês. Lourenço ainda ensaia dizer que não se sente bem com a situação mas Áurea diz que o fez por amor. Ele começa a despi-la e Áurea deixa-se envolver.

Inês sente-se mal com os enjoos matinais provocados pela gravidez e procura aconchego nos braços de Duarte, que ainda faz preguiça na cama. Assim que se aninha no marido, ele não descansa enquanto não vai para a casa de banho, justificando que já está atrasado para ir trabalhar. Inês fica muito contrariada pela rejeição do marido.

Gui olha para Cátia e faz-lhe ver que não pode ficar os dias todos em casa e que tem de reagir às contrariedades. Ela conta que vai ao centro comercial entregar a carta de demissão e que está preparada para os comentários desagradáveis que as pessoas vão fazer. Depois, confirma que vai ao clube de striptease pedir para fazer mais noites. Gui brinca com a namorada e diz que Cristóvão é que lhe podia arranjar mais filmes, nem que fosse apenas para fazer de múmia paralítica.

Hernâni escarnece de Cátia e Cristóvão defende a sua paixão até ao limite, assegurando que ela é uma dançarina e não uma prostituta. O segurança diz que já sabia que ele tinha um fraquinho pela rapariga, mas não imaginava que fosse tapado. Cristóvão conta a Hernâni que deu uma cabeçada em Miguel, castigando-o por ter prejudicado Cátia. Hernâni fica radiante com essa novidade e dá uma palmada amigável em Cristóvão, deixando-o cheio de dores.

Miguel vai oferecer o seu apoio a Luísa e pede desculpa por não o ter feito mais cedo, por causa da vigilância apertada que Sónia lhe faz. A decoradora esboça um sorriso amarelo e diz que agora não precisa de sexo, mas sim de alguém que a abrace e a ouça. Miguel garante que também sabe ser sério quando é preciso. Ela agradece poder contar com a sua disponibilidade para a ajudar. Miguel vai embora, dizendo que Sónia tem radar e pode dar pela sua falta.

Zé Maria fica esmagado quando Júlia e Mariana lhe dão a notícia de que Emília morreu. Mariana tenta aliviar a sua dor, dizendo que ele ainda a tem a ela e a Carolina. O empresário desabafa, devastado, que lamenta não ter dedicado mais tempo à família, preferindo embrenhar-se no trabalho. Mariana garante que ele será sempre o seu pai, tentando transmitir-lhe uma razão para continuar a viver. Depois de saber que Isabel e Urbano regressaram a Lisboa para tratarem do funeral de Emília e que Raul está a caminho para o último adeus à mãe, Zé Maria pede para que o deixem descansar. Mariana hesita mas respeita, tal como Júlia. Este fecha os olhos, como se fosse dormir.

Raquel fala ao telefone com Júlia ouvindo o que a irmã tem para lhe contar sobre a evolução do estado de saúde de Zé Maria. Babi chega entretanto e Raquel pede-lhe para que almoce consigo e para que depois a deixe no Dancin’ Days. Babi recomenda-lhe que não exagere e dispõe-se a ir buscá-la assim que estiver despachada. Raquel confessa que o que queria mesmo era ir visitar Zé Maria ao hospital de Faro.

Bernardo aparece em casa de Teresa e, depois de a beijar com doçura, diz ser portador de uma excelente notícia, revelando que acabou de receber duas propostas para a compra do veleiro. Teresa fica entusiasmada e convida o advogado para almoçar. Ele confessa que tinha esperança que isso acontecesse e ela faz-lhe uma festa suave e discreta na mão. Teresa fica nas nuvens quando Bernardo aceita passar com ela o fim de semana na casa de Tróia, comentando que Francisco era uma pessoa muito estranha por não querer acompanhá-la nesses momentos. Lurdes entra na sala e fica surpreendida ao ver Bernardo. Teresa ordena-lhe que diga à cozinheira que o doutor também almoça. Quando a empregada se retira, Bernardo comenta que bastou ter com ela uma conversa mais séria para a pôr no lugar. Teresa concorda que ela está mais bem comportada, mas Bernardo defende que devem continuar a ser cautelosos com as conversas.

Alberto chega a casa com Amélia e Paulo, que foi buscar ao aeroporto. Diz que vai para a faculdade na esperança de chegar a tempo da aula de Matemática. Paulo diz esperar que não seja preso outra vez. Alberto fica empolgado por pensar que alguém noticiou a sua prisão no Luxemburgo, mas rapidamente se desilude pois o miúdo conta que foi Bruno a contar-lhe a peripécia. Amélia diz que esse assunto não é para crianças nem para velhos, acrescentando que Ester ficou ralada com a situação. Alberto vai embora a resmungar, dizendo que só exerceu os seus direitos. A sós com a avó, Paulo confessa que já tinha saudades dela e daquela casa, “proibindo” Amélia de continuar a chorar, ainda que ela assegure que o faz por felicidade. Paulo pergunta se Inês e Carminho já têm barriga e a avó confessa que a gravidez se nota apenas um pouco em Carminho.

Artur encontra Carminho na clínica e procura saber notícias de Zé Maria. A massagista diz que ele pode ligar a Júlia, pois com ela saberá mais pormenores. Isabel e Urbano chegam depois do jornalista se afastar com o telemóvel ao ouvido. Carminho vai ao seu encontro e fica a perceber que Isabel não está bem. Urbano conta que Zé Maria melhorou mas que os médicos não querem dar muitas certezas quando à sua recuperação.

Mariana diz no hospital que quer que o pai fique em sua casa assim que tiver alta. De repente, passa por elas, em aflição, a médica que está a cuidar de Zé Maria. Mariana precipita-se atrás dela para o quarto do pai e rapidamente percebe que ele não está bem. Júlia consegue, a custo, empurrar a filha para fora do quarto, enquanto a equipa médica tenta reanimar Zé Maria, que entrou em paragem cardíaca. Mariana, com as mãos no peito, pede ao pai para que não desista da vida mas, apesar de todos os esforços da equipa médica, Zé Maria acaba por morrer. Mariana fica desesperada e em pranto ao receber a notícia, enquanto Júlia a abraça, esforçando-se por minorar-lhe a dor.

Mariana não aceita a morte do pai e precipita-se para o interior do quarto, tentando reanimá-lo. Júlia e a médica assistente são forçadas a arrancá-la ao corpo sem vida de Zé Maria. Mariana, destroçada, culpa-se pela morte do pai, por ter revelado que Emília tinha falecido no acidente. A médica esclarece que Zé Maria morreu apenas porque não resistiu aos ferimentos, pois o seu coração também estava enfraquecido pelo enfarte que sofreu. Júlia leva a filha para apanhar um pouco de ar. Nem uma nem a outra conseguem suster as lágrimas ao ver a médica cobrir a cara de Zé Maria. Mariana pergunta-se o que irá fazer sem o pai.

Raquel trabalha no escritório do Dancin’ Days e grita de dor, ao colocar um dossier num armário. Mariana telefona-lhe nessa altura e chora convulsivamente, ao mesmo tempo que lhe conta que Zé Maria morreu. Raquel senta-se, em choque.

Carminho começa a despedir-se de Urbano e Isabel. O médico lembra-lhe que deve sempre escutar o que o corpo lhe diz e Carminho confessa que tem seguido o seu programa alimentar à risca, pois não podia desaproveitar a sorte de ter um nutricionista de renome a acompanhá-la. Carminho pergunta como está a correr o processo de adoção e Isabel emociona-se, confessando que caso não se tivessem atrasado com a entrega dos papéis, estariam na avioneta com Emília e Zé Maria. Nem de propósito, Urbano recebe uma chamada de Júlia e apressa-se a perguntar como está o amigo. A sua expressão altera-se e o médico fica com o semblante carregado, enquanto escuta o que Júlia ainda lhe diz. Isabel apercebe-se que algo de mau aconteceu e fica ansiosa.

Hernâni insiste em levar Cristóvão consigo para o treino de pólo aquático, mas o gerente da loja Flor de Sal recusa a oferta e reforça que não sabe nadar, lembrando ainda que o último treino ia acabando em tragédia. Sónia goza com ele e só pára quando avista Cátia, que chega ao centro. Mais uma vez, Cristóvão tem de defender a honra da sua amada, agora dos comentários de Hernâni, que a coloca na escala artística como mulher de má fama, insistindo que dançar O Lago dos Cisnes não é a mesma coisa que dançar no varão de um clube de striptease.

Sónia vai ter com Cátia, que está indignada com o patrão. O dono da loja de doces exige-lhe que cumpra mais um mês de trabalho antes de se ir embora, pois é isso que estipula o contrato, e deixa a ameaça de que a processa, pouco se importando com o facto de ela dançar no varão. Cátia repara nos olhares que os transeuntes lhe vão deitando e nos sussurros que trocam e fica incomodada. Sónia arrasta-a para a loja gourmet, enquanto Hernâni e Miguel concordam que Cátia é uma estampa de mulher. Quando dão conta de que estão a falar um com o outro como dois amigos, disfarçam e começam a hostilizar-se. Cátia fica espantada com a prima, quando Sónia lhe pede para a ensinar a dançar no varão, revelando que tem pelo menos mais duas colegas do shopping que também querem aprender.

Nicole vai à loja de decoração e leva um doce a Luísa, insistindo que coma para ganhar forças. Ficam ambas petrificadas quando Luísa atende a chamada de Isabel a avisar que Zé Maria não resistiu aos ferimentos e que acaba de morrer.

Alberto está consternado com a morte de Zé Maria e é confortado por Ester e Amélia. Paulo lamenta que o dia não esteja a ser feliz como ele desejava. Ester percebe a angústia do rapaz e diz que todos estão felizes por tê-lo de volta. Bruno chega nesse instante e precipita-se num abraço fraterno ao amigo. Paulo confessa que chegou a pensar que nunca mais o via. Todos se emocionam com o abraço dos dois miúdos.

Inês visita Teresa e começa por se queixar de que já não sabe o que fazer para recuperar o amor de Duarte. A sogra aconselha-a a ter paciência, pois os casamentos não vivem apenas de amor, mas de outros sentimentos. Inês não fica convencida mas conforma-se. De repente, desculpa-se por não ter dito, logo que chegou, que Zé Maria morreu. Teresa lamenta que isso tenha sucedido, pois considera que o empresário era a única influência positiva para a neta Carolina. Inês levanta a dúvida sobre quem vai herdar a fortuna de Zé Maria e Teresa fica curiosa para saber se ele acautelou essa situação antes de morrer.

Gui e Duarte conversam no café do shopping e comentam o falecimento de Zé Maria. Gui suspira pelo facto de Júlia estar a acompanhar Mariana nesta hora difícil e confessa que, mesmo quando se divorciou, o empresário sempre foi cortês com ele. Duarte calcula que Júlia também deva estar arrasada e o irmão pergunta se está com pena da ex-namorada. Duarte não gosta da observação e chama-lhe parvo. Nesse instante, Gui recebe uma chamada de Teresa e, depois de desligar, conta a Duarte que a mãe estava indignada por não lhe ter dado a notícia da morte de Zé Maria.

No hospital, Júlia divide-se entre o representante da agência funerária, com quem fala, e o apoio a Mariana, que ainda não acredita que o pai morreu. Uma semana mais tarde, a jovem ainda não está conformada com o desaparecimento de Zé Maria e confessa que sente a sua falta. Júlia e Raquel preparam-se para a acompanhar a casa, no momento em que Urbano se aproxima e diz a Mariana que está ao dispor para o que ela precisar. Luísa sai da igreja e também é confortada por uma amiga.

Artur, Jorge e Filipa estão reunidos a preparar os próximos números da revista. Artur pergunta por Júlia e Jorge lembra que ela não deve ir ainda trabalhar, pois deve estar ainda na missa de sétimo dia de Zé Maria. O diretor da Blondie concorda que o momento é difícil e lembra-se de pedir que entreguem a Mariana um exemplar da revista em que saiu a sua produção fotográfica, certo de que isso irá animá-la.

Mariana está destroçada depois de ter assistido à missa de sétimo dia em memória de Zé Maria e Emília. Em tom de desabafo, diz que gostava de ser como Raul, que já não assistiu à cerimónia, conseguindo seguir em frente com a sua vida. Júlia faz ver que ele tinha de regressar aos Estados Unidos, embora tivesse uma ligação muito forte à mãe. Júlia lembra a Mariana que agora só falta esperarem pelo advogado, que vai ler o testamento de Zé Maria. A filha diz que não quer assistir à leitura mas, a muito custo, lá acede em estar presente, pela insistência de Júlia e Raquel. Todas estranham que Gui também tenha sido convocado.

Bernardo conta a Teresa que conseguiu saber que Gui foi chamado à leitura do testamento de Zé Maria, tal como Mariana e ainda Raul, o filho de Emília, que não deverá comparecer por estar nos Estados Unidos. Teresa fica intrigada e trata de agarrar na mala e no telemóvel para ir perguntar a Gui a razão de estar presente na leitura do testamento do ex-sogro.

Gui recebe a chamada da mãe e questiona porque está tão interessada em saber pormenores do testamento de Zé Maria. Quando desliga, conta ao irmão que a mãe respondeu sentir apenas curiosidade e afirma que ela está a ficar outra vez muito controladora. Duarte não partilha dessa opinião e defende que há muito não a via tão equilibrada. Gui brinca e diz que têm de falar com Bernardo, pois parece não lhe estar a dar a atenção devida. Gui pede ao irmão para sair mais cedo e ele assegura que fecha a agência. Gui volta a meter-se com ele e afirma que é um bom pretexto para não ter de encarar Inês, evitando uma taquicardia. Duarte garante que isso não vai acontecer e que ele tem de habituar-se a respeitar mais o patrão.

Carminho e Inês descansam um pouco no café, depois de terem feito compras para os bebés. Inês transparece o seu desânimo e decide fazer um ultimato a Duarte para o obrigar a decidir se quer ter com ela um casamento normal ou se prefere a separação. À beira das lágrimas, Inês mostra-se disposta a assumir o papel de mãe solteira e que cada um vá para seu lado. Carminho avisa-a para medir as palavras, não vá dizer algo de que se arrependa mais tarde.

Sónia conta a Cátia que já arranjou mais alunas que querem aprender a dançar no varão mas, por serem tantas, têm de arranjar outro local para os ensaios. Cátia decide falar com o dono do clube para tentar que lhe ceda o espaço, antes de começar a noite. Entusiasmada com o rumo que a sua vida está a levar, Cátia confessa que já não está tão certa de querer deixar o shopping, até porque o patrão tem andado atrás dela para que continue a trabalhar na loja de doces. Para além disso sempre faz menos noites no clube e, por isso, pode ter mais tempo para Gui.

Raquel comenta com Júlia e Gui que Mariana tem estado a reagir surpreendentemente à perda do pai. Gui diz saber perfeitamente o que a ex-mulher está a passar, pois experimentou o mesmo quando perdeu o pai, valendo o apoio do irmão. Júlia acusa o incómodo pela referência a Duarte. Mariana desliga o telefone e informa que o advogado está atrasado. Carolina começa a chorar, sinalizando que acordou. Mariana e Gui seguem para o quarto para verem a filha. Júlia aproveita para perguntar a Raquel se já sabe o resultado dos exames e exige ser a primeira a saber que tudo está bem com ela. Raquel fica agradada com a preocupação da irmã, mas esconde a preocupação que está a viver.

Inês chega a casa e, como não encontra Duarte, decide ligar-lhe. Ao saber que ele se prepara para ficar na agência, com o argumento de que tem muito trabalho, faz-lhe um ultimato, dizendo que o quer em casa dentro de uma hora, reforçando que têm de conversar, recusando que ele a trate daquela maneira. Duarte despede-se e diz que vai quando puder. Inês fica furiosa.

O advogado de Zé Maria lê o testamento que ele fez e anuncia que o empresário deixou todos os seus bens à neta Carolina, cabendo a Mariana administrá-los até que a filha atinja a maioridade. Gui mostra-se feliz pelo facto de Zé Maria ter acautelado o futuro de Carolina. Júlia, Raquel e a própria Mariana ficam surpreendidas. O advogado entrega uma carta a Mariana, dizendo que o pai lha deixou. Depois de Gui e o advogado saírem, Júlia e Raquel aguardam com expectativa que Mariana abra a carta que o pai lhe escreveu.

Teresa acaba de saber por Gui que Zé Maria deixou toda a sua fortuna a Carolina. Tomada por uma ambição avassaladora, Teresa começa a urdir a sua teia para se apossar de tudo o que a neta herdou. Bernardo questiona como tenciona ela ganhar a guarda da menina, se já a perdeu uma vez. Teresa diz que conta com a ajuda dele, decidida a administrar os bens da neta e a resolver de vez os seus próprios problemas financeiros. Bernardo fica a olhar para ela, intrigado.

Teresa mostra-se determinada em garantir a guarda de Carolina, convencida de que será muito mais capaz de educar a neta, denegrindo a imagem de Mariana como mãe. Bernardo avisa-a que os argumentos que apresenta para atestar a incapacidade da ex-nora não serão suficientes, pelo que terá de arranjar provas bem mais fortes contra Mariana, sejam elas reais ou forjadas. O advogado entra no delírio de Teresa e garante que é capaz de tudo para a ajudar, até porque se ficar a administrar os bens da neta também poderá resolver os seus problemas financeiros. Teresa beija Bernardo, mas são interrompidos por Lurdes que pergunta se deve colocar um prato para o doutor todas as noites. Teresa entusiasma-se e, depois de ter a concordância do namorado, pede à empregada que a partir de agora conte sempre com Bernardo à mesa. Ele agradece o convite e Teresa, com alguma provocação à mistura, avisa que outros convites mais importantes poderão surgir.

Mariana lê a carta em que Zé Maria lhe explica a razão de ter deixado todos os bens a Carolina. As lágrimas percorrem-lhe o rosto e não consegue falar. Tem de ser Júlia a ler o texto em voz alta, no qual o empresário explica que deixou tudo à neta, para poupar a filha a eventuais disputas pelo império que construiu. Mariana mostra-se reconhecida ao pai por ter acautelado o futuro da menina, mas assegura que daria todo o dinheiro para poder tê-lo ao pé de si. Raquel respira fundo e confessa que não estava à espera de tal coisa. Mariana abraça-se a Júlia e a Raquel a chorar, ao mesmo tempo que lhes suplica que nunca mais se zanguem. Raquel garante que estão mais unidas do que nunca, enquanto Júlia também se comove com a situação.

Inês espera que Duarte chegue a casa e começa a repreendê-lo por não ter obedecido, quando o mandou regressar a casa imediatamente. A conversa torna-se azeda quando o acusa de querer enlouquecê-la para poder voltar para os braços de Júlia. Duarte mantém a calma e reafirma que não tem nada com Júlia e deixa-se abraçar pela mulher, sem no entanto corresponder a esse abraço. Ela desespera a mendigar o seu amor e, como que enlouquecida, sugere que viajem, que façam coisas juntos. Duarte lembra que foi Inês a forçar aquela situação e que os votos matrimoniais que jurou só fazem sentido quando as pessoas sentem o que prometem. Inês adota uma postura agressiva e volta a ameaçar desaparecer com o filho de ambos se Duarte não mudar de atitude, pois o que têm está longe de ser um casamento. O marido vira-lhe as costas e sai de casa, dizendo que lhe vai dar algum tempo para se acalmar. Inês fica sozinha e atira o comando da televisão ao chão, gritando toda a sua raiva por não conseguir prender o marido.

Mariana mostra-se desconfortável com o seu futuro, temendo ter de tomar decisões sobre os negócios do pai, gerindo assim os interesses de Carolina. Júlia tranquiliza a filha, lembrando que os hotéis têm uma administração que lhe dará os conselhos que precisar. A mãe também antecipa que ela estará mais deprimida por se aproximar o fim de semana em que Gui fica com a filha e Mariana acaba por concordar. No meio desta conversa, Raquel atende uma chamada de Hugo, com quem marca um encontro para o Dancin’ Days. Nem Mariana nem Júlia aprovam que Raquel prossiga com o seu plano de vingança, atendendo aos perigos que pode estar a correr. No entanto, Raquel mostra-se decidida a saldar as contas com Hugo, pois não esquece o mal que ele lhe fez. Para aliviar a tensão, Raquel pergunta a Mariana se já viu a produção fotográfica que fez para a Blondie. A sobrinha sorri e mostra-se desejosa de ter a revista para ver como ficaram as suas fotos.

Antes do jantar em casa de Ester e Alberto, Jorge e Carminho confirmam que as fotos que Mariana fez para a revista ficaram muito bem. Vera adivinha que a amiga deve estar ansiosa por ver o trabalho e promete falar-lhe nisso assim que se encontrarem. Alberto sugere a Jorge que façam uma reportagem sobre a sua vida académica e Amélia diz que o título podia ser “Pessoas que não souberam crescer". Alberto sente-se provocado e revela que decidiu formar uma tuna alternativa. Todos ficam surpreendidos e Carminho lembra que o pai nem sabe tocar. Vera assinala que tem de jantar depressa porque combinou ir ao cinema com Sebastião. Alberto ironiza e merece a censura de Ester. A mulher volta a fulminá-lo com o olhar, depois de ele dizer que Lourenço parece mais um marinheiro de água doce, respondendo à filha que revelou ter ido buscar as suas coisas ao navio, pois o namorado voltou mais cedo dessa última viagem. Amélia manda toda a gente para a mesa e grita para chamar o neto. Alberto comenta que já tinha saudades de Paulo mas confessa que dispensava os berros da empregada.

Bruno pergunta a Paulo como era a sua vida no Luxemburgo e ele conta que os rapazes tinham a mania, mas que as raparigas eram bem mais simpáticas e melhores que as portuguesas. Bruno conta que vai com Tânia assistir ao jogo de pólo aquático da equipa de Hernâni e Paulo diz logo que também vai. De repente, apercebe-se de que não foi convidado e diz que não quer estragar a tarde dos pombinhos. Nesse momento, é Bruno quem fica atrapalhado e diz que ele pode ir se quiser. De seguida, pergunta ao amigo se lhe faz impressão que namore com Tânia. Paulo afirma que não e Amélia interrompe a conversa, voltando a chamá-los para a mesa.

Hernâni sonha com o sucesso no torneio de pólo aquático e gaba-se da sua forma física, afiançando que parece um maremoto quando entra dentro de água. Nicole, cheia de malícia, diz que não tem razões de queixa e troca um olhar cúmplice com o ex-marido, embora alinhe na brincadeira de Tânia, achando que metade dos jogadores devem baldar-se à última hora. Tânia não percebe a piada e responde ao pai que tenciona fazer um cartaz de apoio e que vai assistir ao jogo com Paulo e Bruno.

Luísa e Isabel partilham a tristeza pela ausência de Emília. Luísa diz que sem a amiga só vai fazer asneira na vida. Isabel garante que vai estar a seu lado para evitar que isso aconteça. E começa imediatamente, logo que Miguel chega para beber um café e começa a despir Luísa com os olhos. Isabel sussurra ao ouvido da amiga para ter juizinho.

Cátia pede ajuda a Cristóvão para arranjar um espaço onde possa dar as suas aulas de danças eróticas. Ele oferece-lhe dois papéis como atriz mas, como são insignificantes, Cátia recusa, preferindo continuar no clube de striptease, que sempre lhe enche a dispensa.

Duarte vai para casa de Gui e bebe uma cerveja com o irmão, enquanto desabafa depois de mais um confronto com Inês. Gui pede desculpa pela sinceridade mas insiste que ele devia separar-se da mulher, convicto de que Inês está a fazer bluff quando ameaça desaparecer com o filho de ambos. Duarte receia que ela cumpra a ameaça e emigre só para que ele não venha a conhecer o filho.

Inês também precisa de conversar com alguém e decide ligar a Áurea, contando que voltou a discutir com Duarte e que ele saiu outra vez de casa. Áurea desvaloriza o incidente e aconselha-a a confiar mais no marido, se ele garante que não tem nada com Júlia. Inês desliga o telefone e murmura que ninguém a compreende. Na manhã seguinte, quando Duarte regressa a casa, não encontra Inês e nem sequer obtém resposta quando lhe liga para o telemóvel.

Teresa convida Gui para almoçar, argumentando que é natural que queira falar com ele, depois das coisas que aconteceram. Bernardo conta que tem duas reuniões de manhã e que vai tentar não se atrasar. Teresa deixa claro que a sua presença é fundamental, para que coloquem em marcha o plano que têm. Bernardo inquire se Duarte também vai estar presente e Teresa afirma que prefere deixar o filho mais velho fora do assunto, pois ele tem uma forma diferente de ver a vida. Já quanto a Gui, exulta ao dizer que o filho mais novo saiu a ela.

Gui diz a Cátia que desconhece o que a mãe quer mas acha que já está na hora de a visitar para perceber se o namorado se tem portado bem. Concorda com Cátia, por não estar à espera que Teresa encontrasse alguém logo a seguir à morte do marido. Cátia lamenta que Duarte não consiga entender-se com Inês e duvida que as coisas se componham entre eles. Gui também duvida que o irmão fique com Inês ou com Júlia.

Júlia, acompanhada por Carminho e Jorge, folheia a Blondie, enquanto fala ao telefone com Mariana, elogiando a filha pela produção fotográfica que fez. Os amigos são da mesma opinião e Jorge confirma que Artur ficou muito satisfeito com aquele número. Júlia desabafa que ele podia tê-la avisado e, incentivada por Jorge, decide que lhe vai ligar para agradecer o que fez por Mariana. Carminho acha que Júlia vai transmitir os sinais errados a Artur e “pega-se” meio a sério, meio a brincar, com Jorge, porque o companheiro lhe diz para deixar que Júlia faça as coisas como quer.

Hugo mostra a Raquel o projeto que tem para a reinserção de ex-reclusos. Ela analisa o documento e parece agradada com o que vê. Hugo conta que, embora estivesse longe, acompanhou a tragédia que se abateu sobre a família com o desastre que vitimou Zé Maria e Emília. Raquel recorda o passado e reconhece que, depois de ter chegado a odiar o ex-marido, eram de novo amigos. Hugo assegura que não lhe desejava a morte, embora ele lhe tenha dado um tiro. Raquel duvida desta sinceridade, mas Hugo garante que é genuína. Prosseguindo no seu tom amigável, Hugo oferece-se para a acompanhar às consultas ou aos tratamentos ao cancro se tiver de os fazer e se se confirmarem as piores suspeitas. Raquel garante que não está sozinha e que não é pessoa de se vitimizar, fazendo o que tiver de ser feito. Muda de assunto e dispõe-se a marcar com a amiga investidora uma reunião para o dia seguinte.

Áurea oferece chocolates a Luísa e a amiga diz logo que aquilo lhe desce logo para as ancas. Sem se deter, desafia Áurea para saírem uma noite dessas e ela responde que tem de conferir o que tem para fazer com Lourenço, vincando que já não está sozinha. Subitamente, Áurea recebe uma chamada e não reconhece o número. Quando atende, percebe que é Inês quem está do outro lado e fica surpreendida quando a filha lhe diz onde está.

Duarte estranha que Inês não lhe atenda o telefone mas Gui afirma que ele não pode esperar esse comportamento da mulher, uma vez que dormiu fora. Duarte convida Gui para almoçar mas o irmão lembra que vai almoçar com Teresa e adivinha que a mãe deve querer que o aconselhe a portar-se bem com Inês. Duarte reconhece que isso seria típico da mãe e dá graças a Deus que ela não o tenha convidado, já que é tão próxima de Inês. Como tem de ir preparar uma viagem para um cliente, confessa que gostava de planear para si uma grande viagem. Gui oferece-se para ir com ele, desde que não estejam mais do que um mês fora.

Mariana adora ver a sua produção fotográfica na Blondie, lamentando que o pai não esteja vivo para testemunhar o seu sucesso. Ao saber que Júlia vai ter com Raquel para a acompanhar na consulta onde vai ficar a saber se tem ou não cancro da mama, Mariana quer ir com a mãe. No entanto, Júlia trava-lhe o impulso e lembra-lhe que já faltou às aulas durante uma semana. A filha aceita saber o resultado dos exames da tia mais tarde. Carolina acorda e Mariana mostra à filha a revista com as fotos que fez.

Durante o almoço, Teresa começa a convencer Gui que têm de retirar a guarda de Carolina a Mariana. O filho sorri com ironia e dispara que já estava à espera que o almoço não fosse inocente e que o que a mãe quer, no fundo, é gerir a herança que Zé Maria deixou à sua filha. Teresa faz-se de ofendida e argumenta que a neta está melhor com ela do que com uma adolescente que não sabe o que custa o dinheiro. Gui fica sem resposta.

Áurea, muito preocupada, procura Duarte na agência de viagens e conta que Inês lhe ligou a dizer que estava fora do País e que não estava a brincar quando o avisou. Duarte fica em choque e exclama que ela fugiu para que ele não conheça o filho.

Duarte não esconde a surpresa e indignação quando Áurea lhe conta, muito preocupada, que Inês fugiu, levando no ventre o seu filho. A mãe da arquiteta acrescenta que ela lhe ligou de um número desconhecido e que avisou que iria ficar incontactável, usando o telemóvel só para fazer chamadas. Duarte não se conforma com a atitude da mulher, prometendo encontrá-la, pois ninguém pode desaparecer sem deixar rasto.

Teresa não olha a meios para atingir os fins e tenta convencer Gui a lutar novamente pela custódia da filha, considerando que Mariana não tem capacidade para cuidar de Carolina e muito menos de administrar a fortuna que ela herdou. Gui não se mostra muito convencido e diz que a mãe só está a pensar no dinheiro da neta. Bernardo, que até ali se manteve em silêncio, entra na conversa dando razão a Teresa e dispõe-se a dar o apoio jurídico que for necessário. Gui começa a ceder e Teresa pede-lhe que não conte nada a Duarte, porque o irmão está sempre em desacordo com ela.

Duarte liga a Carminho na tentativa de descobrir alguma pista sobre o paradeiro de Inês. A massagista é apanhada de surpresa pela fuga da sobrinha e confessa que já tinha tentado falar com ela, esbarrando sempre no telefone desligado. Carminho fica muito preocupada.

Artur e Jorge conversam sobre o sucesso que a Blondie está a ter em Portugal e concordam que a produção fotográfica de Mariana ajudou a aumentar as vendas. Artur pergunta se Júlia chegou a receber a revista e Jorge confirma que sim e que ela ficou maravilhada com as fotos da filha. Ao conferir que não recebeu qualquer chamada de Júlia, Artur sorri e promete ligar-lhe se ela não o fizer. Jorge também sorri, abanando a cabeça.

Raquel, muito fragilizada, conta a Júlia que o tumor que lhe extraíram do peito era maligno e que vai ter de fazer radioterapia. A irmã encoraja-a a encarar o tratamento com a fé de que vai se vai curar mas Raquel não está tão otimista, convencida de que está a pagar por todo o mal que fez. Júlia troca um abraço emocionado com a irmã.

Sónia fica desconfiada com o desinteresse que Miguel revela, agora que ela está a aprender as danças eróticas com Cátia. A prima chega nesse instante e conta que conseguiu que o dono do clube onde atua as deixe ensaiar no espaço. Sónia fica eufórica e Cátia aproveita para comprometer Miguel, dizendo que ele seria o espetador ideal e que tem ar de quem já assistiu a muitos espetáculos de striptease. Miguel fica desagradado com a conversa e diz que não acha bem que ela esteja a desviar a prima para esse tipo de danças. Sónia protesta com o namorado e afirma que ele é o principal beneficiado se ela aprender a dançar. Miguel sente que começa a correr perigo e vai embora. Sónia desconfia das palavras que ele trocou com Cátia e diz à prima que escusava de o provocar.

Isabel e Urbano contam a Nicole que estão esperançados que o processo para adotarem uma criança se conclua rapidamente, uma vez que não colocaram qualquer condição. A manicura oferece-se para dar as melhores referências de Isabel, se as assistentes sociais assim o desejarem.

Miguel aparece na loja de Luísa e começa a seduzi-la, argumentando que ela tem de deixar para trás a tristeza pela morte de Emília. A decoradora concorda e confessa que até está com calor depois de Miguel dizer que lhe apetece beijá-la com sofreguidão.

Bruno estranha o ar ansioso com que Áurea anda na sala, de um lado para o outro. A mãe esconde-lhe que Inês desapareceu para parte incerta e, para não aprofundar a conversa, é salva pela chegada de Lourenço. O namorado diz a Bruno que vá preparar a consola, que ele já vai ter com ele para jogarem. A sós com Áurea, Lourenço esforça-se por tranquilizá-la, convencido de que Inês está a tentar pressionar o marido e que, se calhar, nem saiu de Lisboa. Áurea confessa que não está preparada para perder a filha para sempre, mas muda de assunto e pede a Lourenço para arranjar emprego a Sebastião no navio onde trabalha. Lourenço compromete-se a falar com o comandante e ela agradece.

Sebastião queixa-se a Vera de que está muito cansado por ter andado o dia todo a recolher tabuleiros nos restaurantes do shopping. O rapaz mostra-se incomodado por ficar a dever um favor a Lourenço se este lhe arranjar trabalho no navio. Vera adivinha que deve ser divertido trabalhar num navio, mas reconhece que, no caso de Áurea, ela sofre com as saudades quando Lourenço embarca. Sebastião começa a falar num tom mais doce e pergunta se ela ficaria afetada com a sua ausência. Vera responde que não, porque o que interessa é que ele arranje trabalho. Sebastião fica desiludido.

Ester desabafa com Amélia e diz que Inês não pode estar boa da cabeça por ter desaparecido, calculando que o casamento de Inês deve estar mesmo a correr muito mal para ela ter tomado tal atitude. A empregada comenta que os jovens de hoje não são capazes de fazer quaisquer sacrifícios. Paulo regressa da escola e conta que veio a pé. Alberto entra em casa todo satisfeito e surpreende a mulher, a empregada e o miúdo, vestido como traje académico que foi comprar para tocar na tuna. Amélia, em tom de provocação, pergunta que instrumento é que ele vai tocar. Alberto saca de uma harmónica e começa a tocar de maneira descontrolada. Todos fazem uma careta num claro sinal de desagrado. Ester diz de seguida ao marido que tem péssimas novidades sobre Inês.

nas redes

pesquisar