SIC

Perfil

173º Episódio - 29 de março (terça-feira)

Henrique é alvo de um ataque pessoal relembrando que o médico é culpado pela morte de uma paciente; Joana descobre que Manel a traiu com Raquel

(c).RuiCarlosMateus.1954

Joana regressa a casa e não resiste a procurar a mensagem de Raquel que autentica o quadro que ofereceu a Manel. Joana fica estupefacta quando aponta a luz negra ao quadro e lê “O amor não se vê, sente-se”.

Joana desaba a chorar depois de ver a mensagem que Raquel escreveu a Manel no quadro que lhe ofereceu. Filipe telefona-lhe naquele momento e ela é forçada a disfarçar a sua tristeza.

Teresa desabafa com Duarte e conta-lhe que bateu em Thomas e que está muito arrependida do que fez. O irmão faz-lhe ver que o filho também não se portou bem e quando ele regressa da escola sugere-lhe que converse com a mãe. Thomas pede desculpa ao tio por rejeitar a sua ideia e vai para o quarto. Teresa fica ainda mais aborrecida com a situação.

Henrique é alvo de uma campanha pessoal, quando alguém distribui pelos carros que estão estacionados na clínica, folhas A4 que recordam a sua responsabilidade pela morte de uma paciente. O médico fica furioso e apoia-se em William, que acaba de chegar.

Maria e Fernanda elogiam o enorme coração que Leandro tem pela dedicação que tem demonstrado para com Catarina. No entanto, Maria diz que tem de confirmar se ele sempre foi com ela à consulta no IPO, ou se a filha voltou a mentir.

Henrique cruza-se com Catarina na clínica e ao vê-la com uma das folhas em que é visado pela morte de uma paciente dispara que pode avisar a mãe de que aquela calúnia não o vai prejudicar. Catarina troça e garante que nem ela nem a mãe são responsáveis por aquilo, lembrando-lhe que tem mais inimigos. O médico quer reagir e encontrar os culpados mas, para seu desagrado, William decide que o melhor é esquecer o incidente para não criar um escândalo. Nesse mesmo instante, Célia vai avisar Henrique de que as suas consultas acabam de ser canceladas. William não gosta do que ouve.

Benedita tenta fazer com que Beatriz desista da investigação sobre as festas sexuais e a morte das prostitutas mas ela mantém-se irredutível, mesmo quando a ex-cunhada a põe a par das ameaças que Laura sofreu.

O inspetor corrupto, que ajudava Miguel nos seus esquemas, propõe a Laura que abandone a publicação das notícias sobre os homens importantes que frequentam as festas com prostitutas e em troca garante-lhe que não será acusada de tráfico de droga e ainda lhe arranjará emprego. Laura fica interessada na conversa e o agente concretiza que ela poderá trabalhar num gabinete de comunicação que apoia políticos importantes, incluindo o doutor Lemos.

Joana conta ao irmão que descobriu que Manel não só a traiu com Laura, como também desconfia que o fez com Raquel. Vasco relativiza o assunto e faz-lhe ver que Manel está morto e que ela está bem com Duarte.

Sofia vai ter com Henrique à clínica e confessa-lhe que não está com vontade de ir para casa depois de ter discutido com Assunção e a mãe ter decidido ir embora. Henrique diz-lhe que não deve sentir-se culpada porque foi a mãe que a obrigou a escolher entre ela e ele. Entretanto, Henrique recebe uma mensagem de Maria Helena a avisar que vai cobrar em breve o convite para almoçar e esconde-a da mulher. Quando vai para sair com Sofia da clínica, Henrique fica furioso ao encontrar na receção mais uma folha A4 com a acusação de que está a exercer outra vez, apesar de ser responsável pela morte de uma pessoa.

Inês passa pelo restaurante e detém-se alguns minutos à conversa com João. Luís fica desagradado ao vê-los juntos e chama a atenção de João para o facto de ter deixado o trabalho a meio na cozinha. O azedume do chef aumenta quando João lhe pede compreensão, pois tem de se ausentar para levar a mulher a casa.

Rúben e Sandra fazem compras juntos como se fossem um casal e não escondem a cumplicidade que os envolve.

Joana está destroçada e desabafa com Duarte a sua mágoa por ter descoberto que Manel a traiu por mais do que uma vez e que Raquel foi a última das suas conquistas. Duarte apoia a mulher e ela pede desculpa por estar a aborrecê-lo com aquela conversa, perguntando se ele nunca a irá trair. Duarte fica constrangido e depois de uma pausa responde que não.

Raquel olha os quadros que Maria Helena lhe deu e a mãe pensa que ela os vai restaurar. Raquel afirma que não lhes pegará tão cedo mas aceita fazer companhia à mãe durante o jantar, deixando-a muito satisfeita. Maria Helena já não fica tão feliz quando Raquel conta que vai recusar uma proposta para pintar os cenários para um grupo de teatro.

Já Inês, conta a Sofia que decidiu aceitar fazer o guarda-roupa para uma peça de teatro, apesar de nunca ter feito algo assim. A conversa acaba por se situar em Assunção e no facto de ter saído de casa. Inês lamenta que a avó tenha ido embora mas a mãe assume que foi melhor assim para todas.

Luís fala com a máxima franqueza com João e diz que na sua cozinha não pode funcionar ninguém em part time e faz-lhe ver que tem de estar comprometido com aquele projeto, ou então desistir. João entende a mensagem e garante que é ali que quer estar.

David janta no Sirga com um entrevistado que o vai ajudar a escrever o artigo sobre automóveis.

Rúben escreve o seu livro de auto-ajuda e pede ajuda a Fernanda para escrever uma palavra difícil. Ela chama-lhe burro mas Vítor, por seu lado, aproveita a veia do filho para as frases e pede-lhe que vá fazer uma palestra aos miúdos da sua equipa do Cedofeita. Rúben fica entusiasmado e aceita a tarefa, desde que o pai o apresente como professor.

Leandro mostra a Catarina que ficou desiludido com ela por não o ter avisado para ir com ela à consulta. Catarina inventa uma desculpa e é salva pela chegada de Maria. Leandro deixa-as sozinhas e Maria pergunta como correu a consulta. A filha mente e responde que vai continuar a fazer quimioterapia e a viver um dia de cada vez. Maria acaba por lhe contar que discutiu violentamente com Henrique e Catarina fica agastada por ela não lhe ter dito nada, mas disfarça, aproveitando para contar à mãe que Henrique está a braços com outro escândalo, agora acusado através de panfletos pela morte de uma paciente. Maria nega que tenha sido ela e Catarina também.

Duarte confronta Raquel com o seu relacionamento com Manel e ela reconhece que se envolveu com ele uma vez mas que o seu amor não era correspondido, aconselhando-o a dizer a Joana para não dar importância ao caso.

Inácio, Marta e os outros investigadores fazem uma festa surpresa a Joana para festejarem o avanço da investigação que ela coordena. Quando vê o bolo que lhe compraram, Joana tem um ataque de fúria e atira-o ao chão. Quando cai em si, Joana pede desculpa e explica a Inácio que aquele bolo é igual ao que comprou para o seu aniversário no dia em que Manel morreu. Sem se deter, conta ao amigo que descobriu que o ex-marido e Raquel eram mais do que amigos porque a pintora lhe escreveu no quadro que lhe ofereceu, uma mensagem de amor.

Vítor lê as frases motivacionais de Rúben e fica maravilhado. No entanto, não perde a oportunidade para o convencer a entrar como seu sócio na aquisição de um prédio na baixa, com esperança de o rentabilizar. Desta vez, Rúben não vacila e diz-lhe que não, com todas as letras.

nas redes

pesquisar