SIC

Perfil

163º Episódio - 17 de março (quinta-feira)

Diogo agride William depois de ele assumir a direção; Diogo morre estrangulado por Cristina!

(c).RuiCarlosMateus.1954

Catarina implora por água e comida a Cristina. A assassina aproveita para a torturar e senta-se à sua frente a comer e beber, aconselhando-a a escrever e assinar a carta que Diogo lhe exigiu. Catarina resiste.

Diogo é demitido e William ocupa o seu lugar como diretor da clínica, informando-o que os investidores chineses que compraram a farmacêutica estão a estudar o seu futuro. Diogo não se conforma e como se sente atraiçoado agride William a murro, provocando um sururu entre médicos e enfermeiros que assistem à cena.

Inês confessa a Sofia o seu contentamento por já ter conseguido mexer um dedo, o que indicia que poderá recuperar e voltar a andar. A mãe também deixa escapar que o jantar com Afonso correu muito bem, embora sem assumir o interesse pelo antigo namorado.

Rúben conversa em voz baixa com Sandra e pede-lhe uma nova oportunidade, depois de ter falhado quando fizeram amor. Ela também se mostra incomodada com a situação, confessando que o incidente também a fez sentir menos mulher.

Fernanda insiste com Leandro para que lhe diga o que se passa entre ele e Catarina. O filho volta a dizer que está apenas preocupado com o seu desaparecimento e que quer ajudar a encontrá-la, já que a polícia nada fez.

Diogo fica incomodado por Cristina ter voltado a sua casa. Ela diz que quer receber o dinheiro que ele lhe prometeu quando lhe pediu que matasse Catarina mas Diogo reafirma que só o fará quando ela conseguir que a mulher assine a carta de despedida.

Joana despede-se do irmão, depois de alguns dias bem passados junto dele nos Açores. Ele assume que não quer andar depressa demais na reconciliação com Margarida.

William instala-se com orgulho no gabinete que pertencia a Diogo na clínica e telefona a Benedita para partilhar o momento com ela.

Hélder repreende Beatriz por ela não o ter avisado que avançaram para a divulgação nas redes sociais da reportagem sobre as festas sexuais. O fotógrafo receia vir a sofrer represálias.

Cristina insiste com Catarina para que ela assine a carta que Diogo quer mas ela reafirma com determinação e raiva que nunca fará o que eles querem. Cristina sorri perante a capacidade de Catarina para resistir à fome e à sede e quando Diogo lhe liga diz-lhe que já está farta daquela situação, aconselhando-o a tratar ele do assunto. Depois de desligar diz a Catarina que parece que o seu tempo acabou.

Luís passa pelo posto de combustível e fica agradavelmente surpreendido por encontrar Maria. Aproveita para lhe perguntar se sabe alguma coisa de Catarina e ela responde que não sabe nem quer saber.

Diogo perde a paciência e perante mais uma recusa de Catarina de assinar a carta de despedida que ele lhe exige, encosta-lhe a arma à cabeça para a matar. Cristina intervém e ataca-o pelas costas, colocando-lhe à volta do pescoço as cordas que prendiam Catarina e estrangulando-o até à morte.

Depois de confirmarem que Diogo está morto, Catarina e Cristina combinam criar um cenário de suicídio para escaparem da justiça. Cristina lembra que quer o dinheiro que Catarina lhe prometeu sob pena de a matar também. A advogada tranquiliza-a, garantindo que cumprirá o acordo.

Inês dá os parabéns a William por ser o novo administrador da clínica e aproveita para lhe pedir que readmita o pai, justificando que apesar de estar zangada com ele, acha que ele é bom no que faz. O tio lembra-lhe os problemas que Henrique teve quando dirigia a clínica mas promete fazer o que puder para o ajudar.

Assunção incentiva Sofia a dar uma oportunidade ao amor e a Afonso, depois de ela não atender um telefonema dele. A filha confessa que gostou de rever o antigo namorado mas também que não está preparada para ter alguém a seu lado.

nas redes

pesquisar