SIC

Perfil

32 º Episódio - 13 de outubro (terça-feira)

Henrique descobre que pode ser seropositivo e faz o teste!

Victor Freitas\302\251

Thomas protesta porque Rita está a demorar uma eternidade a vestir-se para o recital de ballet e troça ao ver a irmã aparecer com um casaco por cima do fato.

Henrique inteira-se dos pormenores sobre o roubo dos vestidos do desfile mas Sofia responde-lhe seca e friamente a tudo o que ele pergunta. Inês interrompe a conversa dos pais e revela desanimada que falta um tecido para poder fazer o vestido novo. No entanto, apesar de todas as contrariedades, Inês não se dá por vencida e faz com que a mãe contacte o fornecedor para que lhe arranje o material que falta. Depois de a filha sair, Henrique elogia-lhe a determinação e como Sofia continua a ignorá-lo, tenta fazer as pazes com ela mas a mulher argumenta que está a trabalhar e diz que falam mais tarde. Ele diz então que vai regressar à clínica, uma vez que vai reunir com William.

Catarina recebe a psicóloga e não esconde o seu desagrado pela situação. Sara explica-lhe como é que a terapia funciona, garantindo que tudo o que conversarem ali, ficará apenas entre elas. Catarina fica mais aliviada e inicia o seu jogo de manipulação, confessando que a mãe a obrigou a fazer as consultas porque acha que ela está deprimida por ter feito um aborto. Sara começa a registar tudo com muito interesse.

Célia pede a Zé que imprima a factura a um cliente da clínica e fica atrapalhada quando ele deixa tudo para trás e diz que vai lanchar, depois de tocar o alarme do seu relógio. A recepcionista pede desculpa ao cliente perante a perplexidade dele e começa a tratar da factura.

William fica desagradado e perplexo, quando Henrique comunica que o estudo do novo fármaco tem de recomeçar desde o início, devido a um erro ocorrido na farmácia, que compromete a investigação. O cunhado afirma que tem de reunir com administração da farmacêutica para a colocar a par da situação, duvidando que fique contente depois de ter investido tanto dinheiro. Entretanto, Henrique informa os investigadores de que o estudo vai ter de ser feito de novo pedindo-lhes um esforço redobrado, que será naturalmente compensado. Inácio fica esperançado de que pode vir a conseguir melhorar o medicamento mas Henrique recomenda-lhe que não perca tempo.

Catarina chega ao quiosque para ajudar a mãe e ela manda-a logo vestir a farda, insensível ao elogio que ela faz ao espaço. A filha inventa que tem de sair mais cedo da festa porque tem um encontro de advogados do escritório. Contrariada, Maria entrega-lhe uns folhetos publicitários para distribuir. Entretanto, Isabel recebe uma chamada de Patrícia a contar que o estudo do novo medicamento foi suspenso, sem que lhe tivessem explicado porquê. Isabel desliga o telefone e fica quase a chorar. Maria inteira-se da situação e promete saber na clínica o que se passou.

Na clínica, Patrícia reafirma a Pedro o desejo de voltar para casa, sem esperança de melhorar o seu estado de saúde e determinada a disfrutar o melhor que puder do tempo que tem de vida. Pedro fica a sentir-se muito culpado por achar que ela está assim por sua causa.

Joana observa Duarte e avalia como é que ele está, depois do acidente. Ao auscultá-lo, gera-se uma maior intimidade que ambos sentem com intensidade. O momento é interrompido pela chagada de Pedro e Joana conta-lhe que o pai está muito melhor. Duarte abraça o filho e acrescenta que está quase pronto para outra.

Vítor regressa a casa de muletas e culpa Leandro por lhe ter acabado com a carreira de futebolista. Ruben troça e comenta que a carreira já não ia longe. Leandro faz-lhe ver que talvez tenha sido melhor assim, mas sente-se culpado por lhe ter batido. Fernanda não tem dúvidas de que agora o marido vai poder focar-se no trabalho, que é o mais importante. Vítor amua, porque ninguém valoriza o seu drama.

Luís elogia Maria e diz que a Francesinha dela é provavelmente a melhor que já comeu na vida. Maria fica radiante e agradece a sua opinião, considerando-a bastante importante. O bom ambiente é estragado por Henrique, que está de passagem e fica curioso e não perde o a opostunidade de provocar, perguntando a Maria se é num quiosque que está esbanjar o dinheiro do pai dele. Ela controla a irritação e responde que é preferível a esbanjar. Ao ver Luís, Henrique ironiza que ele teve uma grande promoção de chef a ajudante de tasca e afasta-se. Maria descomprime finalmente e Luís vai buscar uma taça de champanhe para a acalmar. Catarina abeira-se da mãe para lhe fazer notar que aquela gente não merece consideração e que ele merecia uma lição. Maria responde que depois do que ela fez, não tem coragem de o atacar. A filha fica contrariada e diz que tem de se ir embora. Maria relembra-lhe que ao fim da noite tem trabalho no restaurante e avisa-a se que não se atreva a faltar.

Henrique entra em casa de ramo de flores na mão e oferece-o a Sofia dando-lhe um beijo, a que ela oferece a face. Assunção percebe que o clima entre a filha e o genro está difícil e leva o ramo para a empregada pôr na água. Sofia diz a Henrique que não é um ramo de flores que vai resolver o que aconteceu e censura-o por se envolver agora com mulheres com quem ela convive. Henrique reconhece durante a conversa que tem um problema de compulsão sexual e Sofia impõe como condição para ficarem bem, que ele se trate para conseguir mudar o seu comportamento. Sem outro remédio, Henrique aceita e o ambiente volta a melhorar consideravelmente quando Sofia recebe a chamada de Inês a dizer que o vestido está pronto e que vai poder participar no desfile de moda.

Rita regressa a casa chorosa e enfia-se no quarto. Teresa e Jonas estão preocupados com o sofrimento da filha, cuja actuação no recital de ballet se revelou um desastre. Thomas comenta em tom de troça que o mal foi da rapariga que ela atirou para fora do palco. Jonas repreende-o por estar a rir daquela maneira e assume que o comportamento dele o desiludiu mais do que a actuação desastrada de Rita.

Já presentes na sala onde vai decorrer o desfile Sofia e Henrique acompanham a felicidade de Inês por ter conseguido fazer um novo vestido em tempo record e o pai afirma que ela demonstrou que não cede sob pressão. Betty, uma das acompanhantes de luxo a quem Henrique costuma recorrer entra com outro homem e acena-lhe. Ele finge que não a vê. Sofia recebe uma mensagem de Teresa a dizer que não pode estar presente por causa de um amuo de Rita. Inês comenta que o tio Duarte também já tinha avisado que não ia. Entretanto, quando se prepara para conversar com os convidados, Inês avista João e vai ao seu encontro para o receber, agradecendo-lhe sorridente por ter podido ir.

Depois de se afastar de João, Inês esbarra em Catarina que justifica em tom de provocação, que tem convite para estar ali e que soube que ela tem um vestido no desfile e que está curiosa. Inês confirma que vai encerrar a apresentação e afasta-se, passando-lhe por momentos pela cabeça que ela poderá estar envolvida no desaparecimento dos vestidos.

Maria encerra a festa de inauguração do quiosque, lamentando apenas que Henrique lá tivesse passado. Fernanda repreende Vítor que não para de comer francesinhas e ele justifica que são as melhores que já comeu. Luís despede-se de Maria e Fernanda comenta com malícia que eles estão muito amigos. A amiga pergunta o que é que ela quer dizer com aquilo e Vítor dispara que ela e o chef fazem uma bela caldeirada.

O desfile de moda aproxima-se do fim e o ponto alto acontece quando entra na passerelle a manequim que veste o vestido desenhado por Inês. Os convidados aplaudem entusiasticamente, em contraste com Catarina que se transfigura de fúria, não aguentando permanecer ali, depois de ver Inês no palco a irradiar felicidade.

Terminado o desfile, Inês recebe as felicitações dos pais e de Benedita, mas é requisitada pelos jornalistas e leva a mãe consigo. Henrique fica sozinho e quando repara tem Betty a seu lado e diz-lhe que não se devia ter aproximado porque ele está com a mulher e a filha. A acompanhante de luxo deixa Henrique sem pinga de sangue, informando-o de que está doente e que é seropositiva.

Beatriz fala com Pedro ao telefone sobre a escola e o miúdo sossega-a e diz que o pai também o manda fazer os trabalhos de casa. Ardilosa, a mãe procura saber se Joana também está com eles mas Pedro confirma que estão sozinhos. Depois de o filho desligar a chamada, Duarte pede-lhe desculpa por ele ter de passar por aquilo mas Pedro responde que aguenta e pergunta-lhe se quer que fique com ele no dia seguinte. Duarte sorri e responde que não e que ele não se livra da escola tão facilmente, até porque quer ir à quinta para ver como andam as vindimas.

Joana dá um comprimido ao pai e Filipe confessa que tem tido muitas dores, lamentando não poder trabalhar. Sara brinca e diz que os barcos flutuam sem ele. Joana vai fazer chá e os pais ficam à conversa, deixando transparecer o carinho que têm um pelo outro.

Jonas e Teresa conversam com Rita e ela reconhece que não tem jeito para o ballet, preferindo descobrir uma outra actividade onde possa ser competente. Depois de conversar com os pais, inclina-se para aprender piano.

Sofia e Inês regressam a casa eufóricas e dão conta a Assunção do sucesso que foi o desfile. Henrique vem em silêncio e muito pensativo e diz que vai para o escritório. Sofia percebe e segue-o, insistindo para que ele lhe conte o que é que o fez mudar de humor tão de repente. O médico ganha coragem e conta à mulher que foi avisado por uma acompanhante com quem dormiu que ela está infectada com o HIV e que, por isso, ele também pode estar. Sofia fica em estado de choque e gera um discussão em que acaba por ouvir o marido dizer que o facto de ela se esquivar a estar com ele, pode ter feito com que há uma ano não tenham sexo. Henrique tenta consertar mais este rombo que o seu casamento sofreu e diz que vai fazer o teste, para saber se também está infectado.

Catarina fala com Leandro através do computador e ambos estranham que Inês tenha apresentado o seu vestido no desfile. Ela adivinha que pode existir uma cópia e Leandro constata que se arriscaram por nada. Catarina corta a ligação assim que Maria chama por si mas a mãe percebe que ela estava a falar e quando fica a saber que se tratava de Leandro, diz que gosta dele. Catarina faz questão de sublinhar que são só amigos.

Maria pergunta então como é que correu a consulta com a psicóloga e a filha insiste que é um desperdício de dinheiro e desenvolve que sabe distinguir o certo do errado e que não há ninguém que seja rico que não tenha pecados. A mãe beija-a antes de ir dormir e diz convicta que um dia ela vai perceber que não vale tudo para ser rico. Catarina enerva-se e atira a almofada que tem consigo.

Maria passa pelo quarto de Catarina e coloca-lhe uma imagem de Nossa Senhora de Fátima debaixo do colchão.

Pedro e Duarte tomam o pequeno-almoço e desfrutam da vista no terraço quando a campainha da porta toca. Pedro vai abrir e anuncia que é a mãe. Sem se deter, Beatriz entra e elogia a casa a Duarte, justificando que sentiu saudades do filho e que por isso foi busca-lo para o levar à escola. Duarte repreende-a por não ter avisado e ela espera que Pedro vá buscar a mochila para lhe perguntar se também acha que ela foi a culpada do que lhe aconteceu na Quinta. Quando Beatriz leva a conversa para o que sentiu quando viu Joana, Duarte diz que está farto de que a investigadora e o divórcio sejam sempre os temas de que falam e aproveita para avisar que brevemente ela vai receber uma notificação do tribunal, por causa do divórcio. Beatriz pergunta já irritada se ele quer um divórcio litigioso mas o marido responde que isso já não existe, bastando que um assine o pedido, pois a guarda do filho e as questões patrimoniais correm á parte. Antes de sair, Beatriz lança-lhe um olhar rancoroso.

O professor Abel avisa Catarina de que Gustavo vai aguardar julgamento em liberdade e de que pode querer vingar-se por ela o ter denunciado. Catarina assegura que sabe tomar conta de si e duvida que o traficante saiba que foi ela quem o entregou.

Henrique pede a Marta que analise uma amostra de sangue, justificando que se trata de uma amigo que teve comportamentos de risco numa fase difícil da vida e quer saber se está infectado com o vírus da SIDA. A investigadora dispõe-se a fazer o teste tão rápido quanto possível e promete guardar segredo.

Henrique sai do laboratório e Maria interpela-o para saber porque é que ele suspendeu o ensaio clínico. O médico não gosta da ingerência dela e estranha tanto interesse. Maria justifica que quer saber tudo o que se passa na clínica, logo, quem vai integrar o grupo de pacientes para o próximo ensaio. Henrique vinga-se e entrega-lhe um dossier que lhe pede para avaliar e autorizar o que é pedido. Maria fica atrapalhada mas não dá parte de fraca, dizendo que precisa de tempo para estudar os documentos. Antes de sair, pede a Henrique que a avise se vai manter os mesmos doentes no ensaio clínico, pois a filha de uma pessoa que conhece já estava a fazer o tratamento.

Sofia tenta concentrar-se no trabalho mas a conversa que teve com Henrique sobre a possibilidade de ele estar infectado com o vírus HIV não lhe sai da cabeça. Beatriz liga nesse momento e Sofia não atende. A cunhada insiste que quer falar com ela e deixa-lhe uma mensagem no telemóvel. Ao ouvir a mensagem, Sofia fica ainda mais furiosa com a cunhada. Inês entra no gabinete da mãe e esta esforça-se por não demonstrar que não está bem, enquanto ela mostra as críticas positivas do lançamento da marca de roupa.

nas redes

pesquisar