SIC

Perfil

28º Episódio - 8 de outubro (quinta-feira)

Maria decide devolver todo o dinheiro que recebeu da herança!

O casamento de Vasco e Margarida está por um fio, agora que ela tem a proposta para integrar uma missão da Força Aérea no Mali. Ao jantar, ele permanece amuado e quando quebra o seu silêncio é para dizer que não é adivinho para prever se o casamento se aguenta ou não. Margarida fica enervada por não ver solução para o problema.

Sandra continua a tratar e a conversar com Jorge, presumindo que ele é gay. O chefe fica confuso porque não consegue atingir onde ela quer chegar.

Maria vai á campa de António e pede-lhe desculpa pelo que Catarina lhe fez. Os seus olhos estão rasos de lágrimas e é nesse estado que Teresa a encontra e a conforta, dizendo que o pai, esteja onde estiver, ficará satisfeito por ver que ela continua a gostar tanto dele. Maria tenta esboçar um sorriso, mas fica muito desconfortável com aquele encontro.

Pedro recusa-se a deixar a clínica sem ter notícias de Patrícia que está nos cuidados intensivos. Duarte que o foi buscar para o levar a casa da mãe, dispõe-se a ficar com ele até surgirem novidades.

Henrique presta informações a Isabel sobre o estado da filha e diz que ela teve uma paragem respiratória que levou a uma paragem cardíaca. A mulher estranha que o novo medicamento esteja a fazer pior em vez de melhorar. Henrique é evasivo e só pede a Isabel que confie neles. Entretanto promete deixá-la ver a filha logo que possível.

Beatriz pressiona muito irritada Duarte para que leve Pedro para casa, insensível ao facto de o filho estar alarmado com o estado em que Patrícia se encontra. Depois de desligar o telefone, Duarte diz ao filho que vai procurar o tio Henrique para saber notícias.

Jonas continua a sentir muitas dificuldades em relacionar-se com os miúdos a quem dá aulas e Teresa sugere que deixe de trabalhar temporariamente por não suportar vê-lo infeliz. O marido lembra que há contas para pagar e que por isso vai tentar adaptar-se à sua nova vida.

Já em casa, Henrique confessa a Sofia que chegou a temer pela vida de Patrícia mas a mulher também recorda que ele confirmou que ela não estava a tomar o medicamento que ainda não é seguro. Henrique acrescenta que o problema é que os outros doentes que estão em teste também não registam melhoras e ele não pode falsear os resultados nesta fase.

Pedro recebe autorização de Isabel para ir visitar Patrícia que já está no quarto e ouve com grande comprometimento o relato da aflição que ela viveu com falta de ar e que nunca se sentiu tão mal na vida. Depois, gera-se um clima de cumplicidade entre os dois, que é interrompido pela chegada de Isabel.

Maria regressa a casa e depois de a informar de que dispensou a empregada para conversarem à-vontade, questiona como é que ela foi capaz de assassinar António, que lhes fez tanto bem. Catarina mantém uma frieza quase desrespeitadora e argumenta que fez o que devia porque ele estava doente e iria morrer na mesma. Perante a indiferença da filha, Maria levanta a mão para a esbofetear outra vez, mas acaba por se deter. A filha continua a dizer que o matou por elas e para terem a vida a que têm direito e Maria desfere-lhe um poderoso golpe ao dizer que embora não tenha coragem para a denunciar e a enviar para a cadeia, vai devolver toda a herança, pois não merecem todo aquele dinheiro e património. Catarina fica em estado de choque.

Apesar dos protestos de Catarina, Maria mantém-se firme na decisão de renunciar à herança que António lhe deixou, ordenando à filha que comece a fazer as malas para deixarem a casa da Quinta, dizendo que o assunto não tem mais discussão. Catarina fica furiosa com a mãe, que lhe vira as costas.

Sofia confessa a Henrique que lhe custa ver Catarina e Maria enfiadas na clínica e ele responde que sente o mesmo. Inês ouve conversa dos pais e também assume que fica incomodada por perceber que Catarina nunca mais desaparece da sua vida.

Maria atende a chamada de Fernanda que lhe liga a pedir uma receita e nota logo que a sua voz está alterada. Maria conta que discutiu outra vez com Catarina e fica tentada a partilhar com Fernanda que a filha confessou ter assassinado António. No entanto, temendo as consequências que tal desabafo possa vir a ter, diz apenas que Catarina faz coisas que não deve sem o menor arrependimento. Fernanda diz que ela tem de se manter firme com a rapariga, senão ela fará dela o que quer. Maria convida Fernanda a passar pelo mercado para conversarem melhor e acaba a conversa a dizer que vai ver se consegue dormir.

Maria encaminha-se para o seu quarto e Catarina fica a rezar para que a mãe não entre no seu, pois está ainda furiosa com ela e sem disposição para mais conversas. Quando percebe que a mãe se foi mesmo deitar, Catarina suspira de alívio.

Sofia fica com mais um problema para resolver que é ter de arranjar uma pessoa para tomar conta da sua mãe, que com o mau feitio que tem fez com que a senhora anterior se fosse embora. Inês ainda manda um beijo à avó e depois sai para a fábrica. Sofia pede a Henrique que veja se tem alguma enfermeira disponível que trate da mãe. O marido brinca e dispara que não tem coragem de entregar alguém ao mau feitio da sogra. Sofia sorri e pede-lhe que não seja cruel. Henrique conta que vai para a Quinta, pois combinou encontrar-se lá com o fotógrafo chantagista.

Catarina conversa por momentos com a enfermeira Dina e sente uma forte pontada na zona do útero. A enfermeira recomenda-lhe que vá às urgências mas ela responde que não é caso para tanto.

Maria acaba por passar na bomba de gasolina e toma um café com Fernanda, que pede para ser avisada se Vítor estiver a fazer ronha com as obras do quiosque. Maria afiança que está tudo a correr bem mas faz com que Fernanda fique desconfiada ao deixar dúvidas de que o quiosque venha a abrir, sem explicar o seu palpite. Entretanto, Sandra chama a atenção de Fernanda para as fotos em que Jéssica aparece na revista mas quem se antecipa é Vítor que ”começa a recolher todos exemplares expostos, pois não quer que a filha seja motivo de falatório no Porto.

Bruno digere a custo as fotos ousadas que Jéssica tirou para uma revista mas acaba por aceitar o argumento da namorada de que não tem razões para ter ciúmes. Jéssica despede-se de Bruno e Filipa aproxima-se dele, dizendo que vai para casa descansar um pouco, porque continua com fortes dores na zona lombar.

Enquanto caminha por entre as vinhas da Quinta, Duarte liga a Joana e convence-a a correrem juntos ao final da tarde.

Noutro ponto da vinha, Henrique faz uma visita guiada a Hélder, que vai tirando fotografias a pensar que está a trabalhar para uma campanha promocional da Quinta. Quando chegam à sala de provas, Henrique fecha a porta à chave sem que o fotógrafo se apercebe e, depois de lhe oferecer um copo de vinho para provar e de o deixar mais à-vontade, aponta-lhe uma caçadeira, avisando-o de que se volta a chantageá-lo, sofrerá um acidente. Hélder fica em pânico e acede em apagar as fotos que tirou a Henrique para o chantagear. O fotógrafo foge da sala de provas assim que pode. Henrique solta uma gargalhada.

Catarina recolhe a correspondência na recepção e Zé, que está a seu lado, diz sem lhe fixar o olhar que ela tem febre porque cheira a febre. Catarina ouve o pressentimento do rapaz com algum desprezo e quando decide ir embora para a sua sala sente mais uma forte dor. Zé apercebe-se da situação mas não diz nada. Já Célia pergunta se ela se sente bem e Catarina confessa que tem andado o dia todo com aquelas dores e que tem de ir às urgências. Acaba por não conseguir lá chegar porque quando caminha no corredor tem uma dor mais forte e percebe que está com uma hemorragia. A enfermeira Dina vai em seu auxílio e ela desmaia nos seus braços.

Maria conversa no restaurante com Leandro sobre as suas impressões sobre o primeiro dia de trabalho no restaurante. Luís aparece entretanto e ela pede para falarem no escritório. Nesse instante, recebe uma chamada da clínica a avisar que Catarina se sentiu mal e desmaiou. Leandro quer ir com ela mas Maria não permite e diz que depois dá notícias.

Francisca conta a João que está a pensar seguir o conselho de Sara e arranjar uma ocupação, um trabalho em part-time. O filho apoia-a mas ela receia a reacção de Miguel. João lembra que a vida é dela e quando a mãe lhe pergunta o que vai fazer, agora que acabou o mestrado, responde que ainda está a pensar no assunto mas que gostava de fazer algo que não envolvesse a cunha do pai. Francisca lembra que Miguel gostaria que ele fosse juiz mas João enfatiza que não é ele quem decide a sua vida. Francisca fica mais tensa com esta resposta.

Henrique conversa com Miguel e conta que amedrontou Hélder para que não volte a chantageá-lo, convencido de que o fotógrafo não o vai fazer. O amigo lembra que ele nunca mais foi às festas e Henrique justifica que não pode expor-se a um escândalo publico, pois não quer perder Sofia a troco de nada. Miguel faz uma piada e diz que no seu caso não teve tanta sorte porque escolheu mal a mulher. O telefone de Henrique toca e ele é avisado de que Catarina está a entrar para o bloco para ser operada de urgência. Miguel interroga se existirá alguma complicação por causa do aborto mas o amigo acha que o assunto ficou resolvido.

Depois de ser operada, Catarina repousa no quarto e a obstetra de serviço informa-a que sofreu de uma infecção rara nos casos pós-aborto, mas confirma que isso não a vai impedir de ter filhos. Maria mostra interesse em falar com o doutor Barroso por ter sido quem fez o aborto à filha. Para seu espanto e de Catarina, a médica responde que ele não está de turno naquele dia.

Henrique chega à clínica e a recepcionista tranquiliza-o ao informar que o problema de Catarina já foi resolvido. Por outro lado, avisa que agora o problema é outro e está dentro do gabinete dele. Henrique começa a encaminhar-se para lá e é interpelado por Inácio que o tenta convencer de que é melhor suspender o ensaio clínico porque a paciente que teve a paragem cardíaca pode voltar a sofrer outra. Henrique nem lhe dá atenção e fecha-lhe a porta do gabinete na cara. Já lá dentro, depara-se com Barroso deitado no sofá e com notórios sinais de embriaguez. O médico tenta justificar-se e queixa-se de que o chefe da especialidade quer propor o seu despedimento. Henrique lembra-lhe que ele tem sido negligente e Barroso que fez o aborto a Catarina sem que o feto tivesse qualquer problema. Henrique dá a sua última palavra e diz que não o pode continuar a ter ali, dispondo-se no entanto a ajudá-lo a tratar-se. Barroso deixa o gabinete muito zangado a dizer que ele só se preocupa consigo próprio.

Catarina tenta aproveitar-se do seu problema de saúde e manipular a mãe, para que ela desista de devolver o que herdou de António. Maria percebe as suas intenções e reafirma que não vai voltar atrás, deixando-a sozinha.

Vasco confidencia a Joana que o facto de Margarida poder partir numa missão ao Mali pode degradar ainda mais o casamento, a ponto de ele não resistir. A angustia do veterinário contrasta com a satisfação da irmã que confessa estar de novo mais perto de Duarte, pois aceitou ir correr com ele nessa tarde. Joana nega que se queira envolver com ele, mas reconhece que também não quer dar a imagem de que se intimidou com o ataque de Beatriz.

Beatriz sofre mais um revés porque a pessoa que ia entrevistar desmarca a entrevista por ter de ir viajar. Hélder regressa cabisbaixo à revista e com pouca vontade de falar sobre o trabalho que foi fazer à quinta. A sua atitude causa estranheza a Benedita que, pouco depois, fica desagradada com mais um falhanço de Beatriz que perdeu a entrevista que tinha marcado. Beatriz volta a misturar os assuntos de trabalho com os familiares e Benedita dá-lhe um raspanete. A cunhada percebe que se excedeu e promete que o artigo vai sair na mesma.

Despeitado por ter sido despedido por Henrique, Barroso procura Maria no restaurante e confessa que provocou o aborto a Catarina porque Henrique o obrigou, acrescentando que o feto era perfeitamente saudável. Maria fica estarrecida com o que ouve.

Sofia e Henrique regressam a casa em amena cavaqueira e ele revela que Teresa está muito contente por estar a ministrar tratamentos de acupunctura na clínica e antecipa que pode conseguir controlar Duarte, a confirmar-se que ele e Joana têm um caso. Para além deste trunfo, Henrique conta que já se ofereceu ao irmão para ajudar nas vindimas da Quinta.

Barroso explica a Maria porque é que fez o aborto a Catarina a mando de Henrique, mesmo sabendo que o feto estava bem. Maria fica com o olhar carregado de ódio e garante que Henrique vai pagar pelo que fez.

Joana e Duarte tomam uma bebida no terraço da casa nova e ele confessa que é ali que gosta mais de estar, preferência também partilhada por Pedro. Ao falar no filho, Duarte reconhece que ele está a sofrer com a separação, pois Beatriz está permanentemente a virá-lo contra si. Joana disfarça o desconforto ao ouvir falar de Beatriz e quando Duarte ensaia uma forma de dizer que é com ela que se sente bem, a investigador atalha o assunto e ele sinaliza que não quer forçar nada e que está bem assim como amigo. A conversa é interrompida porque Joana recebe uma chamada da mãe, que acaba por rejeitar.

Na clínica, Filipe sofre com dores, à espera de ser atendido. Célia pede a Zé que vá buscar uma cadeira para o paciente e como o rapaz é lento a reagir, chama a atenção de Sara, que fica ainda mais interessada nele depois de Célia confidenciar que o rapaz sofre da síndrome de Asperger.

Benedita esforça-se por disfarçar o nervosismo quando William decide acompanhá-la ao Porto, justificando que assim aproveita para passar na clínica e conferir com Henrique como está a decorrer o ensaio clinico que estão a fazer.

nas redes

pesquisar