SIC

Perfil

27º Episódio - 7 de outubro (quarta-feira)

Maria dá uma surra a Catarina ao descobrir que foi ela quem matou António!

(c).RuiCarlosMateus.1954

David está desesperado por não conseguir acabar o artigo que tem de entregar. Hélder anuncia que vai sair para tratar de uns assuntos e ele pede para ir com ele. Beatriz ouve a conversa e pergunta ao fotógrafo se Benedita sabe que ele anda a tratar de assuntos pessoais nas horas de serviço. Hélder responde que pelo menos ele nunca se baldou a uma entrevista e que ela não tem moral para mandar bocas. David dispara que ele tem razão e Beatriz aconselha o estagiário a não se meter com ela. Hélder vai à sua vida e David resigna-se a ter de ficar a trabalhar na revista.

Henrique coloca num cacifo da estação o dinheiro que o chantagista lhe exigiu e deixa o local. Como da primeira vez, um cúmplice retira a mala e vai a uma casa de banho pública e ocupa uma das cabines. O detective entra igualmente no WC e pouco depois surge Hélder que entra na cabine ao lado do cúmplice que lhe passa a mala com o dinheiro. Quando Hélder sai, o detective tira-lhe uma foto sem que ele dê conta.

Duarte vai buscar Pedro à clínica e acaba por se cruzar com Joana, que elogia muito o miúdo pelo trabalho de voluntariado que está a fazer. O pai confessa o orgulho que tem nele e Pedro fica envergonhado. A conversa entre Joana e Duarte corre de forma muito mais descontraída e deixam no ar a possibilidade de voltarem a correr juntos. Depois de se despedirem, Pedro pergunta maliciosamente ao pai se lhe quer contar alguma coisa. Ele sorri e questiona se ele acha mal que faça exercício. O filho afirma divertido que não tem mesmo nada contra.

Joana vai ao laboratório convidar Inácio para jantar mas ele recusa alegando que tem de ficar a trabalhar mais tempo do que o previsto. Entretanto, o amigo estranha que ela não tenha medo de estar sozinha, depois do ataque que Beatriz lhe fez. Joana responde que a questão se vai resolver em tribunal, confirmando que nunca mais a viu. Joana despede-se e vinca que ele vai ficar a dever-lhe um jantar.

Quando sai do laboratório, Joana esbarra o seu olhar no de Beatriz que entrou na clínica nesse momento e percebe com grande irritação que Henrique ainda não a despediu. Beatriz vai disparada para o balcão e pede a Célia para falar com Henrique. A rececionista confirma que ele já saiu e Beatriz agarra-se ao telefone, com cara de poucos amigos.

Benedita refugia-se numa esplanada a olhar a fotografia já antiga de um recém-nascido e atende contrariada a chamada de William, avisando o marido que está quase a chegar à igreja para a missa em memória do pai. Sobre a reunião na clínica é evasiva e limita-se a dizer que correu bem porque Henrique esclareceu todas as dúvidas e que estão novamente em paz.

Duarte conta a Teresa que já falou com Maria e que ela jurou que nunca teve nada com António. Henrique mete-se na conversa e fica enervado quando o irmão lhe conta que Catarina queria fazer um teste de ADN, pois está convencida de que é da família. O padre dá início à missa e Maria surge nesse momento, acompanhada por Catarina. Sofia segura Henrique pelo braço, evitando que ele vá tirar desforço,

Vítor cria mais inimizades com os jogadores da sua equipa porque decidiu retirar-lhes o passe que o clube pagava e os fatos de treino que lhes atribuiu, como castigo por terem perdido mais um jogo. Os jogadores protestam mas esbarram na intransigência do treinador que ameaça aplicar mais sanções se continuarem a perder. Leandro observa o desânimo dos colegas e sente-se culpado por não estar a ajudar.

Beatriz pergunta a Pedro em tom de censura porque é que não a avisou de que o pai o tinha ido buscar mas ele responde prontamente que já lhe tinha dito. A mãe cai em si e tenta emendar o erro dizendo que deve ter feito confusão. Entretanto, fica irritada por não a terem avisado que havia missa em memória do sogro e pergunta se a amiguinha do pai também foi. Pedro pede-lhe incomodado para não recomeçar e Beatriz decide ligar de novo a Henrique.

Henrique conversa com Sofia e não atende a chamada de Beatriz. Conta à mulher que quem o está a chantagear é um tal Hélder, fotógrafo da revista de Benedita, mostrando a fotografia que o detetive lhe tirou na estação. Henrique mostra-se convencido de que a irmã não sabe de nada.

Catarina janta com Maria em casa e ainda num ambiente de guerrilha, censurando a mãe por não querer ir mais vezes comer ao restaurante, apesar de ser seu. Ela justifica que não ficava bem, com Luís a trabalhar na cozinha e ela sentada à mesa. A filha dispara que assim será sempre vista como a empregada que pede licença para entrar na sala.

Adriana prova mais um prato feito pelo pai e diz que é melhor que a lasanha congelada que tem em casa. Luís acha que essas comidas só lhe fazem mal e que ela devia convidar um amigo, já que não tem paciência de cozinhar só para si. Adriana regista que o pai está mais descontraído e feliz desde que Maria passou a ser sócia do restaurante. Luís confessa que se está a dar melhor com ela.

Jéssica conta à família que pousou de fato de banho para uma revista e tal como temia a reação não é a melhor. Principalmente de Bruno que não esconde os ciúmes que sente.

Henrique chama Maria à clínica e dá conta de que não gostou de saber que Catarina anda a dizer que é da sua família. Maria fica incomodada e assegura que já lhe tirou essas ideias da cabeça. Henrique e Maria começam a trocar acusações e faz notar que se ela quer que as tréguas se mantenham, tem de controlar a filha.

Maria sai do gabinete de Henrique e encontra Isabel a chorar, confessando quando a vê que a filha não está a ficar melhor, apesar do tratamento. Maria oferece-lhe boleia para o mercado.

Beatriz consegue falar com Henrique e exige-lhe que se livre de Joana pois têm um acordo e ela já cumpriu a sua parte. Henrique tenta desdramatizar e explicar que não pode despedir Joana sem motivo, mas a cunhada só quer que ele resolva o problema.

Zé leva alguns processos a Henrique e este tenta manter com ele uma conversa mas percebe que não consegue ir longe.

Maria e Isabel trocam as suas experiencias de vida, vidas marcadas pelas dificuldades. A conversa serve para se apoiarem uma à outra.

Benedita vai à clínica, não resistindo a observar o filho que abandonou. Célia, que não sabe de nada, apresenta Zé e incentiva-o a cumprimentar a doutora. Ele pergunta qual é a sua especialidade e ela, meio atordoada, responde que é jornalista e que trabalha numa revista. Henrique interrompe a conversa e leva a irmã para o seu gabinete, pois precisa de lhe falar. Henrique, cínico, acha bem que ela tenha ido ver o filho e ela responde que ele não sabe o mal que lhe está a fazer. Mudando de assunto, Henrique diz que está a pensar fazer umas fotos de qualidade da Quinta e pergunta-lhe de o fotógrafo da revista pode fazer o trabalho. Benedita responde que não vê inconveniente, ficando de falar com ele.

Catarina desconcentra-se quando fala com Maria sobre o dia da morte de António e denuncia-se como sua assassina. A mãe fica em estado de choque e, quando Catarina assume que fez aquilo que ela não teve coragem para fazer, desfere-lhe um estalo com grande violência, batendo-lhe mais e mais, cada vez mais descontrolada. Catarina tenta defender-se mas acaba por ser projectada para o chão. Maria chora e garante-lhe que irá pagar pelo que fez.

Catarina entra enlameada em casa a chamar pela mãe mas já não consegue falar com ela porque Maria sai de carro muito perturbada por tê-la ouvido confessar que matou António. Catarina fica muito ansiosa e sem saber o que fazer.

Miguel estranha que Henrique tenha permitido que Catarina estagie na clínica mas o médico justifica que se controlar a filha, mais facilmente controlará a mãe. O juiz confidencia entretanto que o seu processo para ser nomeado para o Supremo Tribunal de Justiça está muito bem encaminhado porque o colega que levou Benedita, Beatriz e a revista a tribunal se mexeu muito bem.

Francisca continua com a sua autoestima muito em baixo e Sara aconselha-a a arranjar um emprego. Ela diz à psicóloga que o marido nunca iria aprovar e que ela também não sabe fazer nada porque nunca trabalhou. Sara reforça que ter independência económica ia fazer-lhe bem e Francisca fica a pensar no assunto.

Margarida aparece no consultório de Vasco e conta-lhe que foi convidada para participar numa missão da Força Aérea pelas Nações Unidas no Mali. Vasco não gosta da ideia e, apesar de a mulher pedir o seu apoio, diz para ela decidir o que quiser. Entretanto, Vasco atende uma chamada do pai a desmarcar o jantar que tinham combinado e Margarida olha muito desapontada para ele.

Filipe pede desculpa a Vasco por estar a desmarcar o jantar, justificando que está adoentado. Depois de desligar o telefone, conta a Bruno que anda a sentir uma dor estranha. Entretanto, Jéssica procura Bruno no ancoradouro para lhe dizer que a revista com as suas fotografias já saiu e, um pouco a medo, que usaram algumas mais ousadas. O namorado não esconde que sente ciúmes. Entretanto, o telefone dela começa a tocar e ela rejeita a chamada por se tratar de Fred e desvaloriza o amuo de Bruno convidando-o para comer um gelado.

Maria tenta recompor-se à beira do Douro do choque de saber pela própria filha que foi ela quem matou o patrão. Com os olhos vermelhos de tanto chorar e agarra no lenço que António lhe deu, bordado com o seu nome, quando estiveram nos Açores. Angustiada, recorda esse momento e a confissão de António, que se sentia responsável pela vida de dificuldades que ela teve para criar a filha sozinha.

Sem saber o que fazer, Maria vai até à casa de Fernanda para desabafar com a amiga mas quando está quase a revelar que Catarina confessou ter assassinado António, diz apenas que discutiram e que acabou por lhe bater, porque perdeu a cabeça.

Na Quinta, Catarina olha com preocupação e frieza a fotografia de António mas quando ouve bater à porta, pousa-a fora do lugar. Duarte entra na sala e Olga pergunta de ela quer que coloque a moldura onde estava. Catarina responde que a arruma depois mas Duarte pergunta de imediato se ela ainda acha que são irmãos. Catarina mantém a sua ideia e Duarte reafirma que o pai nunca seria capaz de cometar semelhante traição para com a mãe.

Maria continua o seu desabafo com Fernanda e confessa que já não reconhece a filha, embora esconda que ela se transformou numa assassina ao matar António. A amiga aconselha-a a tratar Catarina e acabar com a sua mania das grandezas ou arrisca-se a ficar sem dinheiro em três tempos.

Luís dá a Leandro as últimas instruções sobre como deve trabalhar no restaurante e incentiva-o a ter uma experiencia no estrageiro quando puder. O rapaz agradece a oportunidade de trabalhar no Sirga e despede-se de Luís para ler uma mensagem que Vítor lhe envia a dizer para não se esquecer de ir ao treino.

Patrícia tem nova crise de falta de ar e Pedro fica paralisado sem saber o que fazer. De repente cai em si e chama a enfermeira, que acorrer prontamente. O médico de serviço também entra no quarto e abeira-se da rapariga que continua a respirar com muita dificuldade. Isabel chega nesse momento e fica muito alarmada com o que vê, começando a descontrolar-se. A enfermeira faz com que ela e Pedro saiam do quarto e Isabel procura sem sucesso saber o que aconteceu para Patrícia estar naquele estado.

Dina, outra das enfermeiras da clínica vai entregar alguns papéis para Henrique assinar, desviando-lhe as atenções do email que Hélder enviou a chantageá-lo. Henrique e a enfermeira começam a envolver-se em beijos mas são interrompidos porque o avisam de que há uma paciente que está a passar muito mal.

Sofia troca impressões com Inês e alerta para as dificuldades inerentes ao lançamento de novas marcas de roupa. A filha não se deixa intimidar e mostra grande confiança no seu trabalho. Sofia aprecia o entusiasmo dela e assegura que a sua colecção vai mesmo para a frente.

Hélder é apanhado de surpresa quando Benedita o convida para fazer umas fotografias com que Henrique quer promover a Quinta. Num primeiro instante tenta esquivar-se mas, perante a insistência da directora, acaba por aceitar, ainda que contrariado.

nas redes

pesquisar