SIC

Perfil

11º Episódio - 18 de setembro (sexta-feira)

Catarina droga João e faz amor com ele!

Maria mente a Catarina e diz que caiu para justificar as marcas com que ficou depois de a guarda prisional lhe ter batido. No entanto, Maria fica tensa quando a filha sugere que procurem ajuda junto de familiares que possam ter, nomeadamente a família do lado do pai. Perante a ideia de Catarina, é obrigada a dizer que o mais certo é que já tenham morrido todos. A filha também lhe continua a esconder que foi ela quem matou António.

Beatriz volta a tentar demover Duarte de pedir o divórcio mas o marido mantém a sua decisão. Beatriz muda o tom de súplica para o tom de ameaça e exige ficar com metade de tudo o que ele tem e avisa que vai pedir a guarda total do filho. Duarte aceita partilhar os bens, mas impões partilhar a tutela de Pedro. Beatriz, cheia de raiva, decreta que isso não vai ter e que se quer ficar sozinho, é mesmo sozinho que vai ficar.

Joana conta a Vasco que Henrique falsificou os resultados da investigação que estão a fazer no laboratório e que pondera pedir a demissão e ir trabalhar para Londres. O irmão estranha o comportamento de Henrique e convida a irmã para correr com ele, certo de que depois de fazer a corrida decidirá melhor o que fazer.

Catarina conversa com Fernanda e diz-lhe que gostava de procurar a família, agora que está a passar por um momento muito delicado, com a mãe na cadeia, injustamente acusada de homicídio. Fernanda esforça-se por desinteressá-la do assunto, preocupada com o facto de ela poder vir a descobrir que Henrique é seu pai. Catarina continua contudo a acreditar que a mãe vai sair em liberdade, pois está inocente.

Ruben tenta consolar Adriana, que está convencida que a audição que realizou não correu bem. Com a sua falta de tacto, Ruben diz que até será mais vantajoso se arranjar uma banda para os concertos de Verão nas aldeias do País. Adriana, ainda mais desanimada, assegura que não andou doze anos a estudar piano para acabar a tocar em festas pimba. Ruben olha as horas e desaparece para ir fazer flexões.

Ao almoço, Miguel conta a Henrique que já tratou do tal assunto, referindo-se ao apertão que prometeu mandar dar em Maria. Henrique sorri maliciosamente mas perde a boa disposição quando Miguel revela que contra Maria apenas existem indícios de que pode ter matado o pai dele, mas nenhuma prova que sustente a acusação. Henrique desabafa com ódio que tem de arranjar forma de a fazer confessar.

Joana e Duarte encontram-se por acaso na loja de desporto de Ruben e desfazem equívocos quanto ao beijo que ele lhe deu. Duarte pede desculpa mas acrescenta que deixou a mulher. Joana espera que não tenha sido por sua causa e reforça que ambos estão a passar por um momento difícil e que não devem baralhar tudo. A conversa muda para a corrida e Duarte aconselha-a a comprar determinados ténis para que possa acompanhar o irmão, com maior conforto.

Sem provas que garantam que Maria matou António, Henrique vai à cadeia, não para a visitar, mas sim para lhe propor um negócio. Se ela confessar que matou o pai dele, Henrique promete ajudar Catarina enquanto ela estiver a cumprir pena, pagando-lhe o mestrado e colocando-a a trabalhar num bom escritório de advogados. Promete até arranjar uma casa á filha. Maria fica incrédula a olhar para ele.

Catarina observa Gustavo a traficar droga na biblioteca da faculdade e faz chantagem com ele, obrigando-o a envolvê-la no negócio para não o denunciar.

Maria resiste à pressão de Henrique e recusa-se a confessar que matou António. Quando regressa à cela, sofre a primeira represália pela sua atitude. As guardas descobrem um telemóvel dentro da caixa que lhe foi confiada por Cristina e como ela insiste em dizer que o telefone não é seu, vai parar à solitária.

Joana vai determinada ao gabinete de Henrique e pede a demissão, reconhecendo que é incapaz de pactuar com a falsificação dos resultados experimentais do novo medicamento. Ele reaje com rapidez e oferece-lhe a liderança de outra investigação à sua escolha, garantindo que não está disposto a perdê-la. Joana fica indecisa sobre a resposta a dar, pois Henrique garante que não está a querer comprar o seu silêncio com aquela proposta de trabalho.

Inês trabalha um tecido e a mãe sugere-lhe que faça um vestido para usar numa saída com João. A filha confessa que está outra vez de bem com o namorado, depois de terem atravessado uma fase complicada e pergunta se ela confia no pai. Sofia responde que não têm segredos. Entretanto, o telemóvel de Inês dá sinal de chamada de João, mas ela não ouve porque tem o telefone no silêncio.

João estranha que Inês não o atenda e Catarina aproveita logo para o convidar para sair com ela e outros amigos. Ele aceita a proposta mas avisa que tem de falar primeiro com a namorada. Catarina finge desinteresse e diz que depois diz onde é que se devem encontrar.

Jonas ensaia o seu novo espectáculo e lesiona-se ao tentar amparar uma das bailarinas.

Joana faz alongamentos depois do treino com o irmão e desabafa com o irmão, confessando que até durante a corrida não parou de ver Manuel e Duarte, sentindo isso como um sinal de culpa por estar a trair o marido. Vasco insiste com a irmã de que não deve sentir-se mal por seguir em frente com a sua vida, apesar de o marido ter morrido há poucos dias.

Pedro passeia com o pai pela quinta e conta que já conheceu a clínica e as pessoas que lá trabalham. Duarte certifica-se se ele está seguro de que quer fazer voluntariado, alertando-o para as dificuldades que vai enfrentar. Pedro confirma que é o que vai fazer e muda de assunto, perguntando se vai ter de escolher com quem vai viver depois dos pais se separarem. Duarte defende que o ideal é que ele passe uma semana com cada um.

João sugere a Inês que passem a noite juntos em sua casa, já que os pais não estão porque vão viajar. Ela lamenta não poder corresponder ao convite, por ter de terminar um trabalho para a faculdade. Confiante, sugere ao namorado que vá sair com amigos. e ele diz que depois decidirá o que fazer.

Fernanda vai ver Maria à prisão e fica muito preocupada porque a informam que ela deixou de ter visitas e que está de castigo. Fernanda informa Catarina imediatamente e a rapariga fica de telefonar ao advogado para que ele esclareça o que se passa. Quando desliga o telefone, Catarina é surpreendida por Gustavo, que lhe entrega o material para ela começar a traficar a droga, explicando-lhe como deve proceder. Sem temer nada nem ninguém, Catarina apreende tudo com muita atenção. Terminada a conversa, liga ao professor Abel e conta-lhe que a mãe está proibida de receber visitas na cadeia.

Entretanto, na prisão, Maria é levada à presença do director do estabelecimento prisional e fica a perceber que foi enganada e incriminada por Cristina que, afinal, está a cumprir pena de homicídio por ter morto o marido, cúmplice do amante, pai do bebé que carrega na barriga. Quando chega ao recreio, Maria dirige-se a Cristina e diz-lhe na cara que não se vai deixar enganar segunda vez. A guarda prisional que assiste à conversa aprova a posição de Maria.

Ruben arrasta a asa por Sandra mas ela dá-lhe para trás, com a ajuda de Fernanda, que não defende o filho, pois sabe que ele é um mulherengo. Jorge aparece muito zangado e insiste que continuam a desaparecer garrafas de vinho do armazém do posto de combustível. Fernanda e Sandra reafirmam que não roubaram nada e confessam que se pudessem já se tinham despedido.

Fred não quer deixar Jéssica ir arranjar-se para irem jantar fora mas ela acaba por conseguir ir tomar banho. O seu telemóvel dá sinal de chamada e Fred grita que Zézinha lhe está a ligar. A namorada salta da casa-de-banho e leva o telemóvel dizendo que já liga, pois aquela amiga é uma chata e nunca mais se cala. Assim que fica de novo a sós, Jéssica envia uma mensagem a Bruno a dizer que já lhe liga. Ele fica satisfeito e conversa no barco com Filipe, avisando o patrão que talvez precise de uns dias para visitar a namorada de surpresa em Lisboa e pedi-la em casamento.

nas redes

pesquisar