SIC

Perfil

10º episódio - 17 de setembro (quinta-feira)

Maria é agredida na prisão a mando de Henrique!

Jose Pinto Ribeiro

Miguel, para ficar bem visto perante Henrique mas, sobretudo, perante Sofia, oferece-se para pedir aos contactos que tem na cadeia onde Maria está para lhe darem um apertão. Por outro lado, compromete-se a saber informações sobre o processo. Sofia sorri agradada e Henrique também agradece ao amigo. Nesse instante, recebe a chamada de um vizinho que o avisa que o seu carro está a arder. Henrique precipita-se para a rua.

Lá fora, Catarina e Leandro vão-se afastando do carro em chamas e ela exclama que Henrique merece muito mais do que aquilo. Henrique chega perto do automóvel e fica incrédulo a vê-lo arder. Miguel alvitra que se trata de fogo posto e ele mostra-se convencido que Maria foi quem mandou incendiar o carro. Sofia olha horrorizada para aquele cenário de destruição. Os bombeiros chegam entretanto e começam a extinguir o fogo.

Fernanda estranha a demora de Catarina e Leandro mas a rapariga desculpa-se com o facto de estar a trabalhar na biblioteca. A amiga comenta com o marido que têm de andar atentos àqueles dois, para não terem surpresas. Vítor acha que os devem deixar namorar à-vontade e Ruben diz que é uma boa maneira de o irmão ganhar experiência. Fernanda fica desagradada e diz que não quer ouvir mais nada.

Catarina agradece a Leandro por tê-la ajudado a vingar-se de Henrique e ele prepara-se para a beijar. No entanto, ela trava-lhe o movimento, dizendo que são como irmãos e amigos desde pequenos. Leandro retrai-se e Fernanda corre para salvar o assado que está a queimar.

A polícia informa Henrique que o seu carro foi incendiado e ele direcciona imediatamente a culpa para Maria.

Joana regressa ao trabalho na clínica e é recebida por uma colega enfermeira, confessando que está na expectativa de perceber como se vai aguentar. Entretanto, vai para o laboratório e cumprimenta Inácio, estranhando que ele não lhe entregue logo os diários de pesquisa do novo medicamento, preferindo que ela deixe essa leitura para mais tarde.

Duarte chega à quinta e pede a Lúcia e Alberto que lhe ponham as malas no quarto, pois tenciona passar ali uma temporada. Depois telefona a Teresa, informando-a de que já saiu de casa e que vai ligar a Benedita e Henrique para lhes dar uma satisfação por ter ido viver na casa que é de todos, não vá o irmão pensar que ele se está a querer apossar da propriedade.

Entretanto, Benedita fala com Beatriz através do skype e fica a saber que Duarte fez as malas e saiu de casa. Benedita tenta animar a cunhada e até lhe propõe que trabalhe em Lisboa para se distrair mas ela rejeita. Hélder leva algumas fotografias para a directora ver e deixa-a agastada com um comentário machista que faz.

Maria oferece-se para bordar o enxoval do bebé que Cristina espera e ela confia-lhe a caixa onde tem as peças guardadas, pois tem uma colega de cela que não é de confiança.

Catarina é procurada por agentes da Polícia Judiciária que querem saber onde ela esteve na noite anterior. Apreensiva mas sem vacilar, a rapariga afirma que esteve em casa, depois de Leandro a ter ido buscar à faculdade. Fernanda percebe que algo de errado aconteceu mas corrobora a história de Catarina e ainda acrescenta que ela até ajudou a fazer o jantar. Os agentes acabam por ir embora e, perante as perguntas de Fernanda, Catarina acaba por confessar que ela e Leandro incendiaram o carro de Henrique, mas certa de que não serão descobertos. Fernanda faz-lhe ver que a situação de Maria na cadeia se pode complicar ainda mais e diz que têm de falar com o resto da família para não se contradizerem caso a polícia volte e fazer perguntas.

Ruben interrompe Adriana quando esta toca piano e interrompe com palmas a peça que ela está a executar. Adriana conta que vai ter uma audição para tentar ingressar numa orquestra e Ruben oferece-lhe uns batidos novos que recebeu, dizendo que são mesmo o que ela precisa para se concentrar melhor e ter mais energia. A rapariga agradece e recomeça o ensaio. Ruben está de saída e atende uma chamada de Fernanda.

Maria fica irritada e ao mesmo tempo desconfiada quando Alberto a visita na prisão, acusando-a de ter morto o patrão e desejando que ela nunca mais saia da cadeia.

Joana fica chocada e muito apreensiva quando Henrique revela que falsificaram os relatórios sobre as investigações para o novo medicamento que estão a criar, pois era a única maneira de receberem o financiamento acordado.

Uma guarda prisional diz a Maria que tem de ir com ela à enfermaria da prisão para fazer análises de rotina. Depois de entrarem no elevador, a guarda agride Maria com o cassetete.

Beatriz vai ter com Sofia à fábrica para combinar a reportagem que vai fazer. Entretanto, é inevitável falarem da separação e Beatriz confessa que nunca esperou que o marido saísse de casa para ir viver na quinta. Sofia tenta ajudá-la e dá o seu exemplo com Henrique. Sofia explica a sua teoria, assumindo que o amor já não existe e que o que sobra é a amizade, a cumplicidade e os objectivos comuns de vida. Beatriz, ainda muito magoada, confessa que ainda ama o marido.

Catarina conversa com Inês enquanto arruma os livros na biblioteca da faculdade, revoltada por ter de fazer aquilo em vez de estar a estudar. A amiga aproveita para dizer que reparou que ela ficou incomodada quando lhe disse que reatou com João mas Catarina finge que não é nada consigo e disfarça o ciúme. Depois de se despedirem, Catarina fica a observar dois jovens que transaccionam um frasco de anfetaminas. Calculista, fica a observá-los.

Maria é assistida na enfermaria aos ferimentos que sofreu, agredida pela guarda no elevador. Uma outra guarda pergunta o que se passou e Maria ironiza, respondendo que na versão da colega dela, tentou atacá-la mas que, na verdade, a guarda a agrediu sem que ela tenha feito nada. A enfermeira diz que não sabe o que se passou.

William conta a Henrique que foi ao laboratório para acompanhar um pouco da investigação do novo medicamento e que não foi muito bem recebido pelos investigadores. Henrique desvaloriza e William revela que já tem ordem para lhe entregar o dinheiro para continuar o trabalho, deixando a porta aberta para futuras colaborações. Henrique fica radiante.

Isabel mima Patrícia na clínica, pois a filha está muito desanimada e sem esperança de superar a doença. A mãe assegura-lhe que agora vai ser muito bem tratada mas Patrícia pergunta-lhe, ansiosa, como é que vai pagar o tratamento. Isabel abraça-a e impede que a emoção de instale.

Joana pressiona Inácio para que lhe explique como é que aceitaram falsificar o resultado das investigações que estão a fazer. O colega revela que Henrique ameaçou despedir toda a gente, argumentando que se não conseguissem o financiamento, não poderiam conservar os empregos. Joana sossega Inácio, dizendo que não vai denunciar a situação mas acrescenta que não sabe se consegue colaborar naquela farsa.

nas redes

pesquisar