SIC

Perfil

8º episódio - 15 de setembro (terça-feira)

Maria começa a conhecer a vida dura no interior de uma cadeia!

Jose Pinto Ribeiro

Maria deixa o tribunal e entra no carro celular, olhando para Catarina, balbuciando que vai ficar bem e que não se preocupe porque Fernanda cuidará dela. Já na cadeia, Maria vive com grande angústia os procedimentos a que qualquer recluso tem de se sujeitar e, depois de entrar na cela, recorda com angustia o dia feliz em que escalou o Pico com António.

Fernanda diz a Abel que pode dar a morada da sua casa como habitação de Maria, para que o advogado possa requerer da medida de coação que lhe foi aplicada, tentando que ela possa deixar a cadeia com pulseira electrónica. Catarina fica desconfortável com a conversa, pois sabe que a mãe está presa injustamente.

Henrique conversa com os irmãos e não disfarça o ódio que tem a Maria, ao mesmo tempo que insiste em que foi ela que matou o pai. Beatriz apoia o cunhado e vai mais longe ao insinuar que Maria e António pareciam mais do que amigos. Benedita afirma que nunca deu por nada mas não rejeita essa possibilidade. Teresa é a única que continua a defender a inocência da empregada.

Catarina vai ao quarto de António e relembra a forma como o asfixiou. Perturbada com a recordação do crime que cometeu, não tem coragem para entrar e fecha o quarto à chave. A rapariga decide deitar-se no sofá da sala para passar a noite, mas só consegue tentar adormecer depois de virar as fotografias de António para baixo.

Duarte faz conversa com Pedro ao pequeno-almoço para saber o que terá de fazer na escola. Aproveitando o momento, confessa que gosta muito dele e que ele é a pessoa mais importante da sua vida. O filho diz que ele está a ser lamechas e acha que deve ser por causa da morte do avô. Duarte fica desanimado e preocupado com a recepção de Pedro.

Beatriz insiste em escrever o artigo sobre a festa sexual, mas Benedita não autoriza o trabalho, argumentando que não pode comprometer alguns poderosos que estavam no palacete, pois corre o risco de perder investidores da a revista. Apesar disso, Beatriz não se convence e continua a fazer pesquisas sobre as festas.

Catarina visita Maria na prisão e esta assume que não vai ser fácil enfrentarem a acusação de que está a ser vítima e alerta a filha para a necessidade de ter de arranjar forma de se sustentar. Catarina fica desagradada com a conversa e Maria diz, tentando evitar chorar, que têm de se preparar para o pior.

Teresa conversa com Lúcia e tenta perceber o relacionamento que o pai tinha com Maria. A empregada confirma que eles eram muito amigos e confirma que nunca deu conta de que pudessem ser mais do que isso. Lúcia acrescenta que se foi Maria quem matou António, isso será uma surpresa, pois não a julga capaz de tal coisa. Duarte aparece nesse instante e fica surpreendido com a presença da irmã na quinta. Teresa vai com ele até à sala e conta que conversou com Lúcia e que a empregada garantiu que nada de anormal se passou no dia em que o pai morreu. Teresa e Duarte não escondem a inquietação que sentem porque, acreditando que Maria não cometeu o crime, quem assassinou António está à solta. Duarte comenta com a irmã que Catarina continua a viver ali em casa e Teresa assume que não será ela a mandá-la embora.

Henrique reúne com William, na presença de Inácio e Marta e apresenta-lhe o relatório falsificado das investigações sobre o novo medicamento contra HIV. William fica radiante com a possibilidade de se poder avançar para os testes em pacientes e informa que vai mandar desbloquear o dinheiro, acreditando que no espaço máximo de três anos o medicamento estará à venda. Henrique elogia a sua equipa e motiva sorrisos envergonhados em Marta e Inácio.

Entretanto, num dos gabinetes médicos, Isabel, mulher de parcos recursos, procura ajuda para curar a filha, que sofre de fibrose pulmonar. O médico recusa-se dar-lhe falsas esperanças devido à gravidade da doença mas garante que tudo vai fazer para admitir a rapariga na clínica.

Hélder encontra-se com Betty e compra o seu silêncio, para que não fale mais com Beatriz sobre as festas sexuais. A striper aceita ficar calada depois de o fotógrafo propor lançá-la no mundo da moda.

Benedita entrevista David, que se candidata a fazer um estágio profissional na revista. O rapaz demonstra uma grande vontade de garantir o lugar e ela fica muito satisfeita com a sua atitude.

Beatriz encontra Benedita à saída do seu gabinete e pede-lhe um dia de dispensa para fazer um fim-de-semana romântico com Duarte. Depois, liga a Teresa e pede à cunhada que fique com Pedro, enquanto ela e o marido estiverem fora.

Catarina rouba algumas peças de valor que estão expostas na sala da quinta e coloca-as na mala. Quando se prepara para sair, dá de caras com Duarte e assusta-se. Ele não se apercebe de nada e faz notar que ela continua a morar na quinta. Catarina diz esperar que não a mande embora, pois não tem onde ficar. Duarte não se compromete e responde que terá de falar com os irmãos.

Maria é interpelada em tom ameaçador por uma reclusa, que lhe pede tabaco. A guarda prisional que assiste à cena intervém e afasta a mulher de Maria, avisando-a que aquela é perigosa. Maria, por seu lado, manifesta o desejo de trabalhar na cadeia para passar melhor o tempo mas a guarda esclarece que como ela está a aguardar julgamento não pode ter esse “privilégio”. Quando a guarda se afasta, Maria trava conhecimento com Cristina, uma reclusa que está grávida e que foi presa por ter envenenado o marido, que lhe batia. Maria, por seu lado, conta que foi presa por suspeita de ter matado o patrão, mas clama a sua inocência e também a preocupação por não fazer ideia de quem terá cometido o crime.

Catarina tenta vender as peças que roubou na quinta mas como o dinheiro que lhe é oferecido não a satisfaz, desiste do negócio, não escondendo que está irritada com a situação.

Beatriz chega a casa e entrega a Duarte o voucher da reserva que fez para o fim-de-semana que idealizou para os dois. O marido é apanhado de surpresa mas aproveita a ocasião para assumir que não quer continuar casado com ela e que vai sair de casa. Beatriz fica em estado de choque.

Hélder assegura a Benedita que já não têm de se preocupar com Betty, pois conseguiu “comprar” o seu silêncio sobre as festas sexuais, depois de se comprometer a lançá-la no mundo da moda. A directora agradece-lhe e assume que fica em dívida para com ele. Hélder brinca e diz que tem de ir ao Porto mais vezes, esperando que ela lhe pague todas as despesas. Benedita avisa que não quer abusos. William interrompe a conversa e anuncia que acabou de chegar do Porto e que passou ali para a levar a jantar, pois recebeu boas notícias de Henrique, sobre a investigação do novo medicamento. Benedita confessa que preferia ter ficado no Porto para decidir com os irmãos o que fazer com Catarina, se a mandam embora ou permitem que continue a morar na quinta.

Henrique não espera pela conversa com os irmãos e expulsa Catarina da quinta. Ela ainda tenta argumentar que não tem para onde ir mas de nada serve. Resignada, pede a Alberto que a leve ao Porto mas o motorista prefere dar-lhe dinheiro para o táxi, temendo a reacção do patrão.

Henrique entra em casa de Teresa e informa-a de que expulsou Catarina da quinta. Teresa não esconde que não gosta da forma ligeira como ele tratou do assunto. Já Duarte vinca que o irmão não devia ter agido à revelia de todos os outros, mas também reconhece que tem mais problemas com que se preocupar e Teresa confessa que Beatriz lhe ligou a dizer que ele vai sair de casa. Henrique fica espantado com o divórcio do irmão e diz que ele podia ter uma aventura sem acabar com o casamento. Duarte fica incomodado e dispara que não é igual a ele. Teresa mostra-se preocupada com Pedro mas Duarte assegura que vai falar com o filho ainda nesse mesmo dia e que não é insensível ao sofrimento da mulher.

Beatriz está a chorar quando Pedro entra em casa. O miúdo percebe que a mãe não está bem, apesar de ela tentar disfarçar. No entanto, acaba por revelar que o pai saiu de casa e Pedro pergunta se vão separar-se. Beatriz tenta esconder a verdade e responde que o pai está apenas a passar por uma fase difícil com a morte do avô.

Vasco examina o cão de Isabel e depois de constatar que está tudo bem com o animal pergunta-lhe porque quer abandoná-lo. Isabel fica ofendida e explica que devido à doença da filha não tem condições para ter o Pipoca consigo. O veterinário fica sensibilizado, pede desculpa por ter sido injusto e dispõe-se a ajudá-la. Depois de Isabel ir embora, deixando-lhe o cão, Vasco atende o telefonema de Margarida que confessa estar com saudades dele, acrescentando que apesar disso só voltará para casa no dia seguinte, uma vez que tem um exercício de pilotagem. Vasco despede-se da sua coronel e diz que se calhar vai passar por casa da irmã, para ver como ela está.

Duarte faz uma visita a Joana, que continua triste por ter perdido Manuel e tenta atenuar o seu sofrimento oferecendo-lhe um caderno que comprou. Joana recomeça a chorar e Duarte limpa-lhe as lágrimas do rosto, não resistindo a beijá-la. Joana é apanhada de surpresa e mostra-se muito indignada, expulsando-o de casa, ao mesmo tempo que ainda incrédula, pede desculpa a Manuel pelo que aconteceu.

nas redes

pesquisar