SIC

Perfil

3º Episódio - 9 de setembro (quarta-feira)

Catarina desconfia da relação de Maria com António! Ela questiona porque a mãe fugiu daquela casa antes de ela nascer, ameaçando perguntar diretamente a António!

Henrique afasta Maria bruscamente do corpo inanimado de António e depois de lhe sentir os sinais vitais, pede para que alguém informe o comandante e chame o INEM. João vai informar Bruno do que aconteceu e o comandante toma de imediato as providências necessárias para socorrer António.

Pouco a pouco, António começa a despertar, perante a preocupação de toda a família. Henrique diz-lhe que tem de ir para a clínica imediatamente mas o pai resiste pois não quer estragar a sua própria festa de aniversário. Os filhos insistem que tem de ir fazer exames médicos e ele acaba por concordar quando Maria lhe dá indicação com o olhar de que é a atitude mais correcta.

Depois de realizados os exames a António, Henrique revela que o pai tem uma anemia e enumera a medicação que ele terá de fazer. O pai quer ir embora para casa e fica impaciente quando Henrique lhe diz que tem de permanecer mais algumas horas na clínica, como medida de precaução.

Duarte diz a Benedita, António e Henrique que vai buscar um café, mas na realidade procura o laboratório, na esperança de encontrar Joana. Quando entra na sala, depara-se com Inácio e explica-lhe que anda à procura de Joana, pois precisa de falar com ela sobre o acidente mortal que vitimou o marido, uma vez que assistiu a tudo. Inácio procura a morada de Joana e entrega-a a Duarte.

Catarina volta a tratar António por velho quando se refere a ele dizendo que o mais certo é não voltar da clínica. Maria repreende-a e proíbe-a de tratar o patrão daquela forma. Catarina tenta então convencer a mãe a ir embora da quinta e a aceitar a oferta que Henrique lhes fez. Maria reaje com indignação e recusa-se a ceder a tal chantagem. Catarina irrita-se e afirma que ela vai acabar os seus dias enfiada numa cozinha. Maria fica furiosa com o desrespeito da filha.

Ao jantar, Henrique conta a Sofia que os resultados da investigação que estão a desenvolver na clínica estão aquém do esperado e que corre o risco de perder o financiamento. Sofia, que ainda tem menos escrúpulos do que o marido, sugere-lhe que pressione os assistentes e que se for preciso falsifique o relatório dos estudos para que William fique contente com o que ler. Henrique fica atónito com a proposta da mulher e diz que não consegue esconder uma falsificação das pessoas que trabalham a seu lado. Sofia vai ainda mais fundo e diz que tem de os tornar seus cúmplices, fazendo-lhes ver que os seus empregos estão em risco. O marido também teme que o INFARMED descubra o logro e ela insiste que ele tem de contornar o obstáculo. Inês surge entretanto e diz que vai ter com João. Os pais calam-se por segundos, acusando o comprometimento que sentem pela conversa que estavam a ter. Depois de a filha sair, Sofia conta que nem teve tempo de falar com Francisca por causa do desmaio de António. Henrique comenta que pelo que Miguel tem dito, a mulher está cada vez pior.

Francisca recebe uma chamada a dizer que o tailleur que mandou limpar está pronto e pede a João que lhe faça o favor de o ir buscar. Ele prefere que o façam juntos e que seja a mãe a levar o carro até à lavandaria. Francisca deixa perceber o pavor que tem de bater com o carro e da reacção que Miguel teria se isso acontecesse. João defende que ela não devia ligar tanto ao que o pai diz, sem entender o medo que ela tem dele. Nesse momento, Miguel vem do escritório e Francisca diz que vai mandar servir o jantar. João lembra que vai ter com Inês e o pai informa que vai sair. Francisca fica mais uma vez sozinha.

Maria conversa com António sobre o susto que pregou a toda a gente quando desmaiou e sugere-lhe que aceite fazer quimioterapia em vez de tomar apenas comprimidos. O patrão confessa ter receio de que o tratamento o enfraqueça e o impeça de cumprir as suas últimas vontades. Ela promete-lhe que não vai deixar nada por fazer, nem que tenha de o carregar às costas para saltar de pára-quedas. António afirma que se já a convenceu a andar num avião, vai convencê-la a saltar de outro.

Adriana faz contas com Vítor e acaba por pagar mais do que inicialmente estava combinado pelas obras que ele fez na loja. Ela fica desagradada quando ainda tem de fazer por ele as contas do IVA porque quer factura. Ruben aparece entretanto e elogia a obra, lançando um piropo a Adriana ao dizer que agora o espaço condiz com a dona. Ela ignora e Ruben volta à carga convidando-a para um café. Adriana recusa, mas Vítor “pendura-se” e aproveita para beber uma mini à conta do filho.

Duarte volta para casa e encontra o filho algo desanimado. Pedro esclarece que esteve a fazer um trabalho de português, lamentando que a mãe não esteja ali para lho mostrar. Duarte fica preocupado com o estado de espírito do filho e decide ajudá-lo, justificando que a mãe teve de ir de urgência até à revista. O miúdo pergunta-lhe como é que está o avô e Duarte explica que a situação é delicada e que vão ter de se ir preparando para o pior.

Na revista o ambiente é de grande tensão, com Benedita, Beatriz e Hélder à procura da melhor solução, pois vão ter de rever toda a edição que tinham preparado, devido a uma notícia bombástica de última hora.

Catarina continua a minar a relação de Inês e desta vez insinua que Vera, uma colega de faculdade com má reputação, anda atrás de João. Inês desvaloriza mas sente-se cada vez mais insegura. João chega nesse momento e pergunta se ela já está pronta para sair. Enquanto a namorada se vai despedir do avô, João fica com Catarina, que lhe sorri.

Jorge ralha com Vítor, que está encostado a ler o jornal, sem o comprar. Fernanda sai em defesa do marido, argumentando que todos os clientes fazem o mesmo. O patrão dispara que se fazem, não deviam. Depois de Jorge se afastar, Fernanda obriga Vítor a ir à quinta arranjar a torneira de que Maria lhe tinha falado. Ele tenta esquivar-se mas não consegue.

Entretanto, João paga a Sandra a gasolina que acabou de pôr e lembra-se de levar um chupa a Inês que espera por ele. Sandra deixa-o encavacado ao desejar ter um namorado assim, que lhe desse chupas. Ao chegar ao carro, João percebe com estranheza que Inês está agarrada ao seu telemóvel. A namorada fica atrapalhada e desculpa-se dizendo que o telefone acusou a chegada de uma mensagem e duas chamadas. Ele verifica que se trata da mãe e promete ligar-lhe mais tarde, pois deve estar em crise. No entanto, fica desconfiado com o nervosismo de Inês. Depois de lhe oferecer o chupa, ela sorri.

Sara está numa esplanada com Joana e Filipe e tem de atender a chamada de Francisca que está desesperada com a situação do seu casamento com Miguel e pede uma consulta de urgência. A psicóloga marca para o dia seguinte mas não consegue escapar a ouvir alguns desabafos da paciente. Enquanto a conversa decorre, Filipe tenta fazer ver a Joana que a morte do marido ainda é demasiado recente para ficar sozinha mas ela assegura que quer voltar para casa e que só ficará mais uma noite em casa da mãe.

Duarte passa de carro com Pedro no local em que se deu o acidente que vitimou Manuel e não consegue disfarçar que está perturbado.

Inês continua a cair na estratégia de Catarina para a separar de João e a dar crédito às insinuações de que o namorado pode estar a traí-la. Henrique aparece nesse momento e Catarina cumprimenta-o normalmente, sem mostrar qualquer receio. Ele pergunta à filha pelo avô e sai com ela de casa. Já no exterior, Henrique censura Inês por ter feito amizade com Catarina e por lhe ter perdoado as mentiras que ela contou, avisando-a de que já vai tendo idade para ser menos ingénua.

Vítor acaba de arranjar a torneira da cozinha da quinta e Maria paga-lhe o trabalho, esclarecendo que o patrão lhe dá dinheiro todas as semanas para as despesas da casa. O canalizador estranha que ela se tenha tornado tão amiga do doutor António, depois da maneira como saiu lá de casa. Catarina vai para entrar na cozinha e estaca a ouvir a conversa, ficando muito intrigada ao ouvir a mãe dizer que o patrão não teve culpa de nada.

Leandro farta-se de falhar golos durante o treino orientado por Vítor e o pai não o convoca para o jogo seguinte. O rapaz protesta e Vítor impõe o respeito, frisando que ali é treinador e nada mais. Os jogadores fazem chacota quando um deles diz que ele manda ali mas em casa quem manda é a dona Fernanda.

António elogia o trabalho de Duarte na internacionalização do vinho que ganhou o concurso em Bruxelas, mas o filho devolve-lhe os louros por essa conquista. António confessa que quando morrer será descansado, pois sabe que a quinta ficará em boas mãos. Entretanto, Lúcia interrompe-os para entregar uma encomenda ao patrão. António fica radiante ao perceber que se trata do curso de italiano que encomendou. De imediato, coloca o primeiro CD na aparelhagem e começa a repetir as instruções que lhe são dadas. Duarte ri ao ver o pai e Maria acaba com a diversão, chamando-os para almoçar.

Duarte aproveita à refeição para confessar ao pai quanto gosta dele e lamentar que não o tenha dito mais cedo. António retribuiu o carinho e tenta desdramatizar o seu precário estado de saúde.

Henrique fica furioso quando Inácio lhe comunica que o resultado das investigações para o novo medicamento contra o HIV ainda não são os esperados e pressiona os investigadores para que se apressem a obtê-los.

Maria serve um chá a António, realçando o bem que os frutos vermelhos lhe podem fazer. Ele desconversa com grande sentido de humor e prefere admirar a chuva que começou a cair, colocando um disco no gira discos, encaminhando-se para fora de casa. Maria segue-o perplexa e quando menos espera já foi convencida pelo patrão a dançar com ele à chuva. Catarina, que entretanto regressa das aulas, é atraída pelo barulho da música e ainda os apanha a dançar, ficando muito intrigada.

Duarte vai a casa de Joana e é recebido por Sara, a quem conta que pretende falar com a filha dela, pois presenciou o acidente que roubou a vida de Manuel, depois de o ter conhecido no voo de regresso a Portugal. Sara assente em chamar a filha e quando Joana entra na sala fica tão surpreendida quanto Duarte, por perceberem que já se viram antes.

Depois de dançarem à chuva, António e Maria reentram em casa agradecendo mutuamente o momento que proporcionaram um ao outro. O patrão recolhe-se para tomar um banho e mudar de roupa, enquanto Maria acusa o constrangimento ao encontrar Catarina a ler e adivinhando que ela assistiu a toda a cena. A filha bombardeia-a com perguntas a que ela se vai esquivando até que exige que ela lhe responda apenas porque é que fugiu daquela casa antes de ela nascer, ameaçando perguntar directamente ao velho se ela não a esclarecer.

nas redes

pesquisar