SIC

Perfil

Malária - Mitos, prevenção e formas de transmissão

Conheça aqui como se transmite a malária e como se pode prevenir

A doença que atingiu Jonas em Moçambique é bastante comum nos países com climas tropicais, subtropicais e equatoriais . Esta doença transmite-se com uma simples picada de um mosquito e, apesar de não existir uma vacina, a malária não é incurável e existem formas de a prevenir. Fique a conhecer melhor esta doença.


Como se transmite a malária?

Antes de mais, a malária é uma doença infecciosa que é causada por micro-organismos que invadem e se propagam no sistema sanguíneo. A doença é, geralmente, transmitidas através da picada da fêmea de uma espécie de mosquitos chamada Anopheles. O mosquito ao picar um indivíduo infetado torna-se hospedeiro dos micro-organismos e transmite-os a outro paciente através da sua saliva.

Estes mosquitos são muitas vezes associados a águas estagnadas e temperaturas altas e não é em vão porque estes fatores permitem uma melhor reprodução da espécie.

De que forma os micro-organismos atacam o corpo humano?

Os micro-organismos, uma vez no corpo humano, depositam-se no fígado onde crescem e se reproduzem. Conforme o tipo de malária, o processo de maturação pode variar. Por exemplo o tipo de malária mais comum em Moçambique, onde esteve Jonas, demora entre 7 a 14 dias a entrar no sangue.

Uma vez no sangue, os micro-organismos invadem os glóbulos vermelhos e crescem até que as células rebentem. Ao rebentarem, as células libertam os micro-organismos no sangue e estes vão atacar mais células saudáveis. São também lançadas para o sangue toxinas que são as responsáveis pelos sintomas da doença.

Quais os sintomas?

Os sintomas de malária manifestam-se entre 8 e 25 dias após a infeção, um período que pode aumentar caso o paciente tenha tomado medicação de prevenção.

Os sintomas são:

- Dores de cabeça
- Febres
- Calafrios
- Dores nas articulações
- Vómitos
- Anemia hemolítica (falta de glóbulos vermelhos no sangue)
- Icterícia (sintoma que consiste na alteração da cor da pele para amarelo)
- Sangue na urina
- Lesões na retina
- Convulsões

A malária é muitas vezes confundida com a gripe pois ambas as doenças apresentam sintomas muito semelhantes.


Quando é que a malária é considerada grave?

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) a malária tem duas classificações: "grave" ou "não complicada". Alguns dos sintomas para atingir a classificação "grave" são:

- O paciente entrar em coma
- Fraqueza tal que a pessoa se torne incapaz de caminhar
- Incapacidade de se alimentar
- Terem ocorrido mais de dois episódios de convulsões em menos de 24 horas
- Pressão arterial baixa
- Respiração profunda
- Insuficiência renal
- Hemorragia espontânea

Ou seja, o estado de Jonas é considerado "grave".


Como fazer prevenção?

Ainda não existem vacinas para prevenir a malária mas há formas de evitar a propagação da doença:

Controlo de mosquitos - através de repelentes de insetos e redes mosquiteiras
Medicação específica


Alguns mitos sobre a malária:

- A malária pode ser transmitida pela água?

Não, a transmissão é feita através da picada do mosquito. A associação à água apenas é feita porque é em ambientes de águas estagnadas que os mosquitos encontram as melhores condições para se reproduzirem

- Chás e plantas medicinais podem curar a malária?

Não, uma vez diagnosticada a malária deverá haver um acompanhamento médico e o tratamento deve ser feito com medicamentos e, caso o paciente interrompa o tratamento, a doença poderá voltar mais grave.

- É preciso sentir todos os sintomas?

Não, caso sinta um ou dois dos sintmoas a cima mencionados e tenha estado num dos países de maior risco deverá fazer o exame.

- Mulheres grávidas não podem fazer o tratamento?

Podem, existe um tratamento diferenciado para mulheres grávidas. A paciente deverá procurar junto dos serviços de saúde o tratamento adequado.

nas redes

pesquisar