SIC

Perfil

SIC e Real Companhia Velha lança vinho "Coração d’Ouro"

Os vinhos "Coração d'Ouro" vão estar à venda em super e hipermercados

A partir de hoje, Coração d’Ouro – título daquela que é a novela preferida dos portugueses, emitida em horário nobre na SIC – vai saltar do ecrã para a “boca” dos portugueses. Numa aposta conjunta e com o cunho de qualidade das duas empresas, a SIC e da Real Companhia Velha lançam dois vinhos com Denominação de Origem Controlada (DOC) Douro, um branco e um tinto com a marca ‘Coração d’Ouro’ e produzidos com uvas das quintas da Companhia.

Estes néctares estão à venda em garrafeiras, super e hipermercados e, no que toca à restauração, vão também estar um pouco por todo o país.

Uma iniciativa materializada em dois produtos que vão dar ainda mais vida ao grande sucesso que está a ser a novela exibida pela SIC: um drama familiar em torno de uma Quinta produtora de vinhos na região do Douro; precisamente a Quinta das Carvalhas, uma das propriedades da Real Companhia Velha – empresa fundada em 1756 por Alvará Régio do Marquês de Pombal e a mais antiga de Portugal, com 259 anos de existência e actividade ininterrupta.

Os vinhos ‘Coração d’Ouro’ representam o espírito das gentes e das tradições do Douro, a mais antiga região demarcada do Mundo. Nos rótulos pode ler-se a seguinte inscrição: “A demarcação da Região do Douro foi efectuada entre 1756 e 1761 pela administração da então Majestática Real Companhia Velha”. São dois DOC Douro cheios de carácter, que resultam de uma rigorosa seleção elaborada pela Real Companhia Velha e ilustram a tipicidade das nobres castas durienses, pondo em evidência a generosidade das suas terras, dispostas em impressionantes socalcos de muros de xisto, resultado de um árduo e empenhado trabalho de várias gerações.

De aroma intenso, delicado e complexo, ‘Coração d’Ouro branco 2014’ é um blend das castas Viosinho, Gouveio, Moscatel, Arinto, Fernão Pires, Rabigato e Verdelho. No nariz, a intensidade floral casa na perfeição com aromas a fruta branca, que são por sua vez refrescados por notas cítricas. Na boca é envolvente e muito fresco. Destaca-se a sua polivalência, podendo ser bebido como aperitivo ou a acompanhar refeições diversas: pratos de peixe, mariscos, saladas, pastas, carnes brancas ou até mesmo um churrasco no Verão.

Quatro castas típicas da região do Douro dão corpo ao ‘Coração d’Ouro tinto 2014’: Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz e Tinta Barroca. Deste casamento resulta um vinho jovem, brilhante, de cor rubi profundo. No aroma destacam-se notas de frutos vermelhos bem maduros, com nuances vegetais. O palato é muito equilibrado, cheio de sabores frutados típicos do Douro. Redondo na boca, com excelente estrutura, proporciona um final de boca frutado e persistente. Para que se possa desfrutar do seu máximo esplendor deve ser servido à temperatura 16-18.ºC, acompanhando preferencialmente carnes, massas e queijos.

Com um preço de venda ao público recomendado de €3,99 cada garrafa, os vinhos "Coração d'Ouro" estão à venda em garrafeiras, super e hipermercados. No que toca à restauração, vão também estar um pouco por todo o país.

Quinta das Carvalhas: propriedade da Real Companhia Velha é palco da novela Coração d’Ouro

A Quinta das Carvalhas é um dos “palcos” da novela Coração d’Ouro. Com uma localização e uma beleza ímpares é o local ideal para mostrar o Douro no seu esplendor, onde as paisagens vitivinícolas se cruzam com o soberbo rio que dá nome à região.

Situada em pleno coração do Douro Vinhateiro, no concelho de São João da Pesqueira, mas mesmo em frente à vila do Pinhão, ocupa três quilómetros da margem esquerda do rio Douro e toda a encosta até ao topo da montanha. A Quinta das Carvalhas cobre toda a colina e ocupa também uma parte da encosta superior da margem direita do rio Torto. É assim uma propriedade em forma de “cone”, onde a vinha com cerca de 120 hectares está distribuída em diferentes altitudes e exposições, representando assim um local complexo de produção vitícola. O ponto mais alto – onde está a “Casa Redonda” – está a 550 metros de altitude e é o local ideal desfrutar de uma paisagem a 360 graus. É, sem dúvida, o ponto de "excelência" para a observação da propriedade (e do Douro).

Visitar a Quinta das Carvalhas é ver o Douro por dentro – com os trabalhos da vinha (como a poda, a escava ou a vindima), a apanha da azeitona ou a reconstrução dos tradicionais muros de xisto – e os melhores ângulos da sua paisagem. É ver vinhas com mais de 90 anos e encostas com 70 graus de declive; é admirar os rios Douro e Torto; é desfrutar de fauna e da flora em simbiose: pela Quinta das Carvalhas, para além de vinha, estão espalhadas zonas de mata, floresta, olival e jardins, construídos com pedras de granito antigas e esteiros de xisto e onde foram plantadas várias espécies de flores, plantas e ervas aromáticas.

Uma propriedade de enorme beleza e espectacularidade cuja referência escrita mais antiga que se conhece data de 1759, embora tenha sido mais recente a sua expansão para os actuais 500 hectares, através da aquisição e posterior emparcelamento de diversas propriedades subjacentes.

nas redes

pesquisar