SIC

Perfil

Teste de ADN - Como funciona?

Descubra como se descobre se existe relação familiar entre dois individuos.

SIC MULTIMEDIA

A Catarina queria saber se faz ou não parte da família Castro de Aguiar. Para isso, usou o famoso método do teste de ADN mas, como funciona este teste?

Reveja alguns momentos deste processo:

- Duarte aceita fazer teste de ADN com Catarina

- Maria entrega caneca utilizada por Catarina a Henrique

- Henrique altera o resultado do teste de ADN

Antes de mais, é preciso saber o que é o ADN.

ADN: O ácido desoxirribonucleico, mais conhecido por ADN, é o conjunto de moléculas que contem informações genéticas. O ADN está presente em todas as células do corpo (dentro dos cromossomas) e regulam o funcionamento do organismo. Cada espécie tem o seu ADN característico e cada indivíduo, tem o seu próprio ADN, não havendo, por isso, dois indivíduos com o mesmo perfil genético.

Então, como é feito o teste de paternidade com base no ADN?

1ª Parte: Recolha de ADN

Para fazer o teste é necessário recolher ADN - Onde é que podemos recolher ADN? Uma vez que existe ADN em todas as células do corpo, a recolha pode ser feita através do sangue, urina, saliva, sémen, cabelos, pelos e até mesmo, através da pele, sendo que, os mais utilizados são o sangue e a saliva.

Caso haja algum impedimento para a recolha de ADN do pai, o teste pode ainda ser feito através de amostras de familiares próximos, como avós e tios, que irão ajudar a construir o perfil genético do pai e assim, será possível fazer-se a comparação com a criança.

Os testes podem ser feitos ainda antes da criança nascer, desde que tenha 9 semanas de gestação ou, a partir do segundo dia após o nascimento.

2ª Parte: Indeitificação dos componentes e comparação

Quando um bebé é gerado, o seu ADN é composto por: metade do ADN da mãe e outra metade, do do pai. Ou seja, para fazer a comparação, é necessário perceber qual é a parte proveniente do pai e qual é a parte da mãe. Quando ambos os progenitores participam no estudo com a sua amostra de ADN, a comparação torna-se mais fácil porque se exclui logo os elementos herdados da mãe.

No entanto, se a mãe não participar no teste, também é possível a certificação ou não da paternidade, apesar de haver maior amostra para análise e comparação (dado que, não se procede à exclusão imediata dos elementos da mãe).

3ª Parte: Cálculo da paternidade

Comparado o ADN, é preciso fazer uma análise estatística através de uma fórmula específica, que vai calcular a possibilidade de o indivíduo que está a fazer o teste, ser o pai biológico. Este cálculo é feito individualmente para cada componente do ADN e pretende apresentar a probabilidade de haver outros indivíduos com o mesmo elemento no seu perfil genético.

Analisados todos os componentes vindos do pai, e como é desejável que este tenha todos os elementos em comum com o filho, são ainda realizados cálculos de probabilidade de paternidade, que indicam qual a percentagem de fiabilidade do teste.

nas redes

pesquisar