SIC

Perfil

De segunda a sábado

Resumo: 6º Episódio - 17 de setembro (sábado)

Manel descobre que o pai morreu; Clara fica desorientada quando percebe que quem morreu no assalto foi Carlos, pai do Manel e decide entregar-se à polícia

Victor Freitas\302\251

*OS RESUMOS DOS EPISÓDIOS ESTÃO SUJEITOS A MUDANÇAS EM FUNÇÃO DA EDIÇÃO DA NOVELA.

Lobo e os seus homens levam Garcia ferido para dentro do carro. Clara e Afonso ficam em choque ao saber que o polícia está morto. Ricardo quer voltar para trás para ajudar a pessoa que, supostamente, atingiu. Lobo fica furioso quando percebe que Ricardo perdeu um saco com peças roubadas, na fuga.

Marta pede ao pai para ir ver Clara e Afonso a casa de Diana mas este não autoriza.

Bárbara chega a casa de um encontro e Mafalda brinca com a situação por ver a irmã chegar tão cedo. Vicente repreende a filha e diz-lhe para deixar a irmã em paz. Mafalda aproveita o momento, a sós, com o pai para dizer que arranjou o número de Ricardo e que vai tentar encontrar-se com ele.

No armazém de Lobo, Clara e Afonso, assustados, querem entregar-se à polícia mas Ricardo implora à prima que não o faça. Para garantir que nenhum dos irmãos abre a boca, Lobo mostra o vídeo que fez onde estes aparecem a fazer parte do assalto. Irritada, Clara percebe que está de mãos e pés atados.

No local do crime, Pilar e Sebastião observam as operações com tristeza. Manel chega ao local sem saber que o pai está morto e quando lhe dizem que é melhor sair dali, este estranha e percebe que algo não está bem. Quando finalmente vê o corpo do pai, quebra e deixa-se cair de joelhos a chorar.

Já em casa de Diana, Clara e Afonso discutem sobre o que hão de fazer. Clara quer entregar-se mas quer, ao mesmo tempo, proteger o irmão.

Em São Tomé, Edite recebe a notícia da morte de Carlos. Decide, imediatamente, que irá a Portugal prestar apoio à família.

Em casa dos Paiva, Helena chora em silêncio e o ambiente é de grande tristeza. Quim chora abraçado a Manel quando Alex chega e percebe que algo grave aconteceu. Manel diz ao irmão, a chorar, que o o pai morreu.

Francisca vai a casa de Andreia e Jorge e envenena-os contra Clara e Afonso, dando a entender que estes saíram de casa porque estão metidos em confusões. Andreia fica alarmada e julga erradamente os filhos da sua grande amiga Laura. Clara reage muito mal à presença de Francisca ali e Andreia e Jorge interpretam isso como rebeldia e convidam-nos a sair lá de casa. Diana fica indignada com a posição dos pais.

Em Alfama, Dolores e Nelson dão os pêsames a Manel. Clara liga-lhe e marcam encontro. Ambos querem muito falar um com o outro. Depois de desligar o telefone, Clara dá de caras com Francisca que a provoca e afirma que lhe vai tirar tudo e fazer a sua família pagar por todo o mal que lhe fizeram.

Quando Clara chega ao pé de Manel, este diz-lhe, de imediato, que o pai foi morto a tiro num assalto ao museu onde Clara trabalha. Esta desata a chorar cheia de culpa e tenta controlar-se mas não consegue suportar e deixa Manel sozinho, alegando que precisa de ir ter com a avó.

Desorientada, Clara quase é atropelada. É Afonso quem salva a irmã. Esta conta ao irmão que o polícia morto é o pai de Manel, o seu namorado. Sente-se culpada e não pode esconder da pessoa que ama uma coisa tão grave. Sente-se a sufocar e Afonso pede-lhe por tudo que não conte nada a ninguém para não terem mais problemas.

Ricardo e Lobo receiam que Clara acabe por contar tudo ao namorado PJ.

Bárbara dá as boas vindas a Nelson, que começa a trabalhar no supermercado “Despertar”. Dolores, inconveniente, tenta fazer arranjinho entre a chefe e o filho, o que deixa Nelson muito envergonhado.

Liliana faz uma surpresa a Tomané, no ginásio, para se redimir e pede-o em casamento à frente de toda a gente. Este tem uma reação completamente machista e acha que está tudo ao contrário, deve ser o homem a fazer o pedido e não a mulher.

Afonso e Clara pedem abrigo à avó Teresa. Esta aceita recebê-los mas informa que terá de contar a Eduardo que os netos estão consigo.

Depois de prestar declarações, Joel pede desculpa a Manel por ter feito com que Carlos fosse ao local do crime. Pilar adverte Manel que não o deixará fazer parte das investigações.

Teresa vai à fábrica de azulejos e conta a Eduardo que os netos estão em sua casa. Este avisa a sogra que deve ter cuidado pois Afonso está metido em sarilhos com drogas e esta não quer acreditar nisso. Francisca acompanha a mãe à porta e avisa-a de que se mantiver Clara e Afonso em sua casa não a voltará a ver nem às outras netas, deixando a mãe muito angustiada.

Clara chega ao local do crime para prestar declarações e está determinada a contar tudo à tia.

nas redes

pesquisar