SIC

Perfil

De segunda a sábado

Resumo: 4º Episódio - 15 de setembro (quinta-feira)

Clara pede a Manel que ajude Afonso; Clara aceita colaborar com Lobo depois deste ameaçar Afonso com uma arma

(c).RuiCarlosMateus.1954

*OS RESUMOS DOS EPISÓDIOS ESTÃO SUJEITOS A MUDANÇAS EM FUNÇÃO DA EDIÇÃO DA NOVELA.

No interior do autocarro, Marta vê Clara e bate no vidro. Ao ver a irmã, Clara coloca-se à frente do autocarro, obrigando-o a parar. Telmo foge pela traseira do autocarro enquanto Marta e Daniela se abraçam a Clara. Explicam-lhe que iam ter com ela a Madrid com o seu professor e esta não percebe nada do que se está a passar. Daniela denuncia que o dito professor fugiu quando o autocarro parou. Eduardo chega ao pé das filhas e afasta as filhas mais novas de Clara. Francisca acusa-a de querer fugir com as irmãs para Madrid. Clara fica incrédula quando vê o recibo dos bilhetes comprado com o seu cartão de crédito e nega ter alguma coisa a ver com isso. Marta tenta defender a irmã e diz ao pai que Francisca lhe bateu. Pilar pede às sobrinhas que lhe descrevam o homem em questão e vai investigar de quem se trata. Clara percebe que foi Francisca quem comprou os bilhetes e acusa-a mas Eduardo não deixa a filha falar. Quando Francisca afirma que não a deixará aproximar-se das irmãs, Clara explode e quase a agride. É Pilar quem a segura e a chama à razão. Eduardo proíbe Clara de se aproximar da casa da família, deixando Marta e Daniela a chorar.

No armazém de Lobo, Afonso interrompe uma conversa do marginal com um intermediário. Está revoltado porque Filipa desapareceu e Lobo não lhe diz onde esta se encontra. Só o dirá quando Afonso convencer Clara a deixá-los entrar no museu.

Manel conversa com Amália que reage bem à notícia do seu casamento com Clara. Carlos chega e confronta Manel com o que acabou de acontecer com Clara e as irmãs. Está convencido de que a noiva do filho é completamente destrambelhada e repreende o filho por não ter contado a verdade sobre esta ter sido expulsa de casa.

Amália conversa com Joel e este conta que o seu filho está para chegar. Dolores e Armando aparecem e esta entra sem ser convidada. Ao ouvir a conversa sobre Nuno, Dolores, venenosa, faz julgamento sobre o filho de Joel que é motorista e teve um acidente que matou várias pessoas.

Armando leva Dolores dali e, já na rua, repreende a mulher por estar a falar da vida dos outros. Aproveitam a boleia de tuk tuk de Tomané para Dolores ir ao hostel dizer a Alice que os seus hóspedes fizeram muito barulho e que, numa próxima vez, chama a polícia.

Já a sós, Tomané mostra a Alice o anel de noivado que vai dar a Liliana. Esta sorri perante o seu entusiasmo e acredita que Lili vai dizer logo que sim. Para que Tomané faça o pedido de casamento, Alice comunica a Liliana que estará de folga, nessa noite.

De noite, Pilar conversa com Francisca e explica que não conseguiu apurar quem é o homem que quase raptou Marta e Daniela. Apesar de Clara ter negado tudo, Pilar admite que a sobrinha está descontrolada e Francisca alerta-a para o facto de Afonso estar metido em sarilhos com Ricardo. Vicente e Pilar ficam apreensivos.

Eduardo entrega o telefone de Marta à filha e diz que o encontrou na sala caído. Apesar de a filha negar, acusa-a de ter combinado com Clara no terminal. Afonso responde irritado ao pai que se recusa a ver o que Francisca está a fazer e que foi ela quem armou aquilo tudo. Eduardo ainda tenta perceber porque é que o filho tem uma dívida mas, sem uma explicação concreta, recusa-se a dar-lhe dinheiro.

Clara encontra-se com Manel e explica que não teve nada a ver com a compra dos bilhetes e que aquilo foi tudo armado por Francisca. Tem receio de que a madrasta faça algum mal às irmãs. Manel tranquiliza-a e informa-a de que vai ver uma casa. Clara assente, feliz e depois introduz o tema de Afonso estar envolvido com marginais. Manel ouve com atenção e fica de conversar com Afonso para saber mais pormenores.

Liliana caminha pelo hostel e vê pétalas de rosa espalhadas pelo corredor e quando chega à cozinha, encontra várias jarras com rosas e velas acesas e pensa que aquilo é uma supresa para outra pessoa. Tomané aparece e coloca um joelho no chão para a pedir em casamento e Lili fica perplexa quando percebe que aquilo tudo é para ela. Fica em silêncio e não tem a reação que Tomané esperava. Para ela basta juntar-se com ele e não faz questão de grandes festas.

No dia seguinte, depois de Eduardo e Francisca saírem de casa, Clara entra para visitar os irmãos. Olímpia, a empregada faz de conta que não a vê mas avisa-a para não se demorar. De seguida, Clara vai com Afonso encontrar-se com Ricardo. Este tenta convencer os primos a serem cúmplices do assalto ao museu e explica que está demasiado envolvido com Lobo para se recusar a trabalhar para ele.

Francisca encontra-se com Telmo e este dá-lhe um saco de cocaína. Despedem-se logo de seguida.

Na casa de chá, Irene é entrevistada por Raul que se insinua a ela. Enquanto isso, Miranda serve, irritada, um café a Gisela que destrata a prima, insinuando que esta se devia cuidar mais ou corre o risco de o marido olhar para outras.

No supermercado, Quim trata uma cliente de forma injusta pois, por excesso de zelo, pensa que esta está a roubar. Bárbara desculpa-se perante a cliente e repreende Quim.

Francisca conhece Manel no ginásio e olha para ele interessada. Sebastião repara nisso mas Manel não lhe dá ouvidos.

Clara e Afonso conversam no museu quando Ricardo e Lobo entram. Afonso, indignado, reclama com o primo. Lobo observa algumas peças que lhe interessam e Clara manda-os embora dali. Lobo ameaça-a, alegando que sabe tudo sobre ela e pede-lhe que o acompanhe à rua.

Nas traseiras do museu, Lobo encosta uma arma à cabeça de Afonso para mostrar a Clara que não está a brincar. Perante isso, esta aceita colaborar com ele.

nas redes

pesquisar