SIC

Perfil

De segunda a sábado

1º Episódio - 12 de setembro (segunda-feira)

Laura morre num acidente de avião encomendado por Francisca; Manel e Clara viajam para S.Tomé onde trocam o seu primeiro beijo; Francisca e Eduardo decidem casar-se

Paulo Goulart Photography

*OS RESUMOS DOS EPISÓDIOS ESTÃO SUJEITOS A MUDANÇAS EM FUNÇÃO DA EDIÇÃO DA NOVELA.

Clara chega atrasada à exposição do pai porque se vê no meio de Alfama, no meio de marchantes. No meio da confusão, conhece Manel que a salva de tropeçar e cair.

À entrada da exposição, Clara dá de caras com Francisca e estranha a presença da tia ali e teme a reação de Laura, que detesta a irmã. Cínica, Francisca alega estar ali pelo trabalho de Eduardo.

A exposição decorre com muitos convidados, jornalistas e fotógrafos a admirarem as esculturas de Eduardo e também Teresa reage com receio à presença da filha Francisca que está ali mesmo para provocar Laura.

Eduardo discursa e agradece ao cunhado Vicente tê-lo incentivado a usar os azulejos como matéria prima. Agradece também à mulher e aos filhos mas Laura não consegue apreciar o momento porque está de olhos postos na irmã, que odeia.

Francisca e Teresa ficam de fora nas fotografias de família e esta confronta a mãe com isso. De seguida, provoca a irmã e pede ao cunhado que lhe mostre tudo. Eduardo olha para a cunhada, apaixonado mas disfarça.

Aproveitando um momento em que Eduardo é entrevistado, Francisca pede a Laura para falarem a sós. Provocadora, conta à irmã que seduziu Eduardo e que vai ficar com tudo o que lhe pertence. Laura perde as estribeiras e dá-lhe um estalo. Clara assiste a tudo e leva a mãe dali, sem perceber o que realmente ali aconteceu.

Vicente critica Eduardo por ter convidado Francisca e Laura, irritada, comunica a todos que mandou a meia-irmã embora. Eduardo estranha a reação da mulher que está furiosa com ele. Ao vê-lo pegar no telefone para mandar mensagem à amante, Laura inventa uma desculpa para lhe ver o telemóvel. Encontra fotos de Francisca, em poses sensuais e uma selfie de ambos,abraçados. Tentando disfarçar, Laura abandona o local. Eduardo fica comprometido ao saber que a mulher discutiu com a cunhada.

Lobo entra dentro do recinto da festa e procura Ricardo que fica assustado, ao vê-lo ali. Este foge e Lobo segue-o, abrindo caminho entre os convidados. Ricardo passa por Diana e Clara e pede-lhes que não digam que o viram se alguém perguntar. Diana acompanha-o e quando Lobo aparece, Clara tenta disfarçar mas este repara nos copos e agarra Clara com força. Manel entra no jardim e vê, à distância, o que se está a passar e intervém, imediatamente. Perante a presença de Manel, Lobo afasta-se. Clara agradece-lhe, é a segunda vez que a salva no mesmo dia. Pega numa caneta e escreve o seu número de telemóvel. Sentem-se atraídos, como se mais nada importasse. Manel procura Pilar e fica a saber que Clara é sua sobrinha e Clara, por sua vez, descobre que Manel é inspetor da Polícia Judiciária.

Garcia, Cruz e Roger apanham Ricardo e Diana a fugir. Lobo manda os seus capangas levarem Diana e pressiona Ricardo com as peças que tem de lhe entregar. Este explica que os painéis de azulejos ainda estão a ser restaurados mas Lobo não pode esperar mais.

Já em casa, Laura arrasada manda os filhos dormirem para ficar a sós com Eduardo. Confronta-o com o caso que tem com a meia-irmã e apesar de Eduardo tentar desmentir, não tem como negar as fotos que tem no seu telemóvel. Derrotado, Eduardo tenta desculpar-se mas Laura nem o deixa aproximar-se. Laura decide ir para fora, para São Tomé.

No quarto das filhas, Laura abraça os filhos, em modo de despedida. Avisa-os ainda de que ficará fora mais tempo do que o previsto.

Numa oficina suja, Francisca conversa com Telmo e dá-lhe um bilhete de avião para o mesmo voo onde Laura irá, no dia seguinte. Telmo ainda hesita em seguir as suas ordens mas Francisca quer tirar Laura do seu caminho, duma vez por todas. Telmo confessa que detesta imaginá-la com o cunhado e Francisca afirma que só está com ele para conseguir o que quer.

Já em São Tomé, Laura reúne-se com dois empresários parceiros e prepara-se para viajar para a ilha do Príncipe. Discretamente, Telmo tira fotografias ao que está a acontecer. Enquanto isso, os seus filhos preparam-se para ir para a escola. Clara fala ao telefone com a mãe e percebe que algo não está bem com a mãe, principalmente, quando esta se recusa a falar com Eduardo.

Laura embarca numa avioneta e, ao longe, Telmo assiste à descolagem. Augusto, um técnico, garante que o avião ficará sem motor dentro de algum tempo.

No atelier de Eduardo, este fica irritado quando vê Francisca chegar. Esta finge-se injustiçada e tenta explicar porque contou tudo a Laura e este acaba por ceder à sua manipulação.

O voo segue tranquilo quando, de repente, o piloto Herberto percebe que há uma falha no motor. Pede a Laura que ponha o cinto e tenta fazer uma aterragem de emergência. O avião despenha-se com violência no meio do mar.

À noite, em Portugal a família de Laura é informada da queda do avião. Clara abraça os irmãos mais novos, enquanto Pilar olha para eles sem saber como reagir. Eduardo chora de culpa e dor.

Francisca aparece, fingindo-se solidária e apoia Eduardo no que este precisar. Clara estranha a presença da tia ali e corta o abraço fingido que Francisca lhe dá. Agradece as suas condolências mas dá a entender que não a quer ali. Francisca finge-se perturbada e Eduardo repreende Clara, deixando Francisca ficar.

Clara decide ir para São Tomé para tentar perceber o que aconteceu. Apesar das recomendações do pai e da tia, Clara marca viagem. Nesse momento, Manel telefona-lhe para a convidar para jantar. Ao saber o que se está a passar, fica estarrecido mas oferece-se para a ajudar pois tem lá família.

No dia seguinte, já no avião, Clara é surpreendida por Manel que apanha o mesmo avião para a acompanhar a São Tomé. Clara fica confusa mas feliz por Manel estar ali.

Já em São Tomé, Manel e Clara são recebidos, calorosamente, pela família deste. Edite e Timóteo resmungam, carinhosos, pela ausência de Manel. Prontificam-se a ajudar Clara no que for preciso para tentar descobrir o que aconteceu com a sua mãe. Ainda não foram encontrados os corpos e Manel aproveita para mostrar a ilha a Clara. Esta agradece por tudo o que Manel está a fazer e este confessa que Clara não lhe sai da cabeça. Aproximam-se e beijam-se.

Na manhã seguinte, Timóteo comunica a Clara que encontraram os corpos e que a identificação será feita por ADN. Clara desaba a chorar e Timóteo oferece-se para a levar à praia onde encontraram os destroços da avioneta. Edite não acha boa ideia mas Clara quer ir na mesma.

Já na praia, Clara encontra o fio de Laura e bocados de roupa rasgada. Chora e relembra a última conversa que teve com a mãe. Tem de cumprir a promessa e proteger os irmãos, sempre.

Em Lisboa, os irmãos de Clara também desabam ao saber que o corpo de Laura foi encontrado. Marta ainda tinha esperanças de que a mãe estivesse viva. Afonso sente-se completamente perdido. Daniela rejeita Francisca e esta é agressiva com ela, deixando a sobrinha ainda mais fragilizada.

Clara e Manel assistem ao caixão de Laura a ser transportado para o avião. Esta chora, silenciosamente.

Dez meses depois, na quinta, Francisca experimenta um vestido de noiva. Clara aparece para ir buscar os irmãos que se recusam a assistir ao casamento do pai com a tia. Francisca ameaça Clara de maltratar as irmãs se esta as levar, na sua ausência. Francisca rasga o seu próprio véu e finge ter sido Clara a fazê-lo. Eduardo repreende a filha que lhe implora que não case com Francisca.

nas redes

pesquisar