SIC

Perfil

Veja aqui o último episódio

Hoje em Mar Salgado Leonor põe os pontos nos is : "A mãe da Carlota sou eu!!!!"

Leonor quer pedir a guarda de Carlota em tribunal e pior: admite processar Martim e Amélia!

Jose Pinto Ribeiro

Sara telefona a Filipe quando ele está em reunião com João e Henrique, obrigando-o a ir para casa porque está no pico da ovulação e quer tentar engravidar naquele momento. Filipe fica envergonhado no restaurante e enervado em casa com a pressão da mulher.  

André despede-se de Patrícia, agradecendo por ficar por ele no Dubai a concluir os negócios que estão pendentes. De seguida telefona a Beatriz, pedindo que o vá buscar ao aeroporto mas ela desculpa-se com umas reuniões que tem em Aveiro e lembra com dureza que não são só as reuniões dele que são importantes. André fica frustrado e ela desliga, preparando-se para deixar o gabinete de Gonçalo, que tinha ido procurar. Ele chega nesse momento e fica satisfeito ao saber que ela vai ausentar-se para Aveiro.  

 

Farta de estar afastada de Carlota, Leonor vai ter com a filha e com Martim, que estão a almoçar no Hotel Salinas e deixa-os de boca aberta ao dizer que vai requerer a guarda de Carlota em tribunal, já que ela não quer ir viajar com ele e deseja continuar a morar consigo.   

Martim fica indignado com Leonor, sentindo-se ameaçado por ela garantir que vai pedir a guarda de Carlota em tribunal. Prevendo que a conversa vai transformar-se numa desagradável discussão, a mergulhadora pede à filha que os deixe a sós. Quando isso acontece, Martim reafirma que a filha está melhor com ele mas Leonor discorda, reagindo mal quando ele a acusa de não se preocupar com ela.  

Quando sai do restaurante, Leonor encontra Carlota muito preocupada mas apressa-se a tranquilizá-la, garantindo que apesar de ir requerer a sua guarda em tribunal, não tenciona denunciar Martim e Amélia. Carlota fica convencida e emociona a mãe ao dizer que quer muito ficar com ela.  

Amélia toma chá com Catarina e confessa que está com muita esperança de recuperar Martim, depois de se terem beijado. A amiga aconselha-a a não esperar que isso aconteça, para que não sofra mais uma desilusão mas Amélia não valoriza a opinião de Catarina, obcecada por recuperar a família que perdeu.  

Depois de Catarina sair, Amélia vai ter com Antónia à estufa e a mãe convence-a a não ir assistir ao seu julgamento a tribunal, para que ela não diga o que não deve, deixando que ela assuma por si a culpa por ter matado o pai. Amélia abraça Antónia com emoção, incapaz de contrariar Antónia.  

Gonçalo aproveita a presença nas instalações da fábrica de uma carrinha da medicina no trabalho para ter uma conversa com o enfermeiro de serviço. Sílvia entra no carro de Diogo e pergunta-lhe logo se Leonor não estranhou que ele tivesse passado a noite com ele. Diogo responde que a irmã quer é que ele esteja bem e ambos concordam que têm de repetir.  

Rute não esconde a sua preocupação com o facto de Messias poder ser condenado pelo tráfico de droga mas Idalina reafirma que ela é uma desencaminhadora sem vergonha e que ela não gosta do filho. Rute decide mudar de assunto e comenta a proximidade de Júlia e Daniel. Idalina acha que Júlia merece um homem decente que a trate bem e à filha.  

 

Bento insiste em reconciliar-se com Cremilde e exibe os arranhões que Maria lhe fez mas a peixeira não se comove e dispara que se ele se quer livrar da mulher, é melhor pagar-lhe o que deve. Bento atreve-se a pedir a Cremilde um empréstimo, mas ela quase lhe dá um banho com a mangueira. Entretanto, Tina retira surpreendida um saco com pó brando de dentro de um peixe, chamando à atenção da mãe. Quando ainda estão a tentar perceber do que se trata, Daniel aproxima-se das bancas com um cliente que também encontrou um saco igual dentro do peixe que comprou. A mercadoria é toda apreendida, por se suspeitar que os sacos estejam cheios de droga. Joni assiste a tudo e esforça-se por esconder o riso, observando a angustia de Tina e Cremilde quando Daniel diz que ninguém sai do mercado antes de a Polícia Judiciária chegar.  

Eva e Magalhães preparam-se para fazer mergulho e ele tenta perceber se ela ainda sente algo por Nuno. Eva garante que a relação que tiveram faz parte do passado e beija o oficial da marinha, desfazendo qualquer dúvida.  

Enquanto espera por Leonor no centro de mergulho, Gonçalo conversa com Júlia e garante que fará tudo para devolver encontrar o filho gémeo desaparecido. Júlia aproveita para lhe pedir que está preocupada com a segurança de Leonor, que foi agredida por uma das mães que procurou na tentativa de encontrar o seu filho. Gonçalo fica surpreendido e assegura que vai proteger Leonor. Quando esta chega, revela que decidiu pedir a guarda de Carlota e ele não se opõe. Gonçalo diz que têm de mudar de estratégia para encontrarem o filho, pois sabe que ela já foi agredida e conta que teve a ideia de promover, através da Fundação Queiroz, um rastreio às alergias para as crianças. O objetivo é que, com o sangue recolhido possam fazer os testes de ADN de que precisam. Leonor rejeita a proposta, pois não quer cometer uma ilegalidade.  

Carlota pressiona Martim para deixar que ela volte para casa de Leonor, prometendo que não vai desobedecer-lhes mais, nem correr riscos à procura do irmão. Martim fica dividido perante a insistência da filha.  

Idalina dá colo a Messias e não esconde que teme que ele vá preso. O filho desvaloriza a sua angústia e mostra-se convicto de que o juiz percebeu que ele é inocente. Enquanto a mãe vai preparar um bolo, Rute bate à porta e Messias não evita que ela se acomode, perguntando como é que correu o julgamento. Ele responde que no momento vale a palavra de Marafona contra a dele e Rute sugere que falem com o filho do traficante. João aparece e desabafa que Leonel é igual ao pai, com a diferença de que ainda não foi apanhado. Idalina regressa à sala e fica indignada com a presença de Rute, enquanto o mestre lhe abre a porta para que vá embora. Ela argumenta que ainda vão perceber que não há ninguém que goste mais de Messias do que ela.  

Adelaide arde de preocupação quando Cremilde e Tina entram em casa e explicam que estiveram retidas pela polícia no mercado, até ter ficado esclarecido que o pó que estava dentro dos peixes era farinha. Tina sai disparada para ir pedir satisfações a Joni, certa de que foi ele a fazer aquela partida. Bento entra nesse instante e Cremilde ralha com ele por não ter dito aos agentes que Joni tinha passado na padaria para comprar farinha e vai embora para a cozinha. Adelaide reafirma ao peixeiro que se vá embora e Bento, em tom ameaçador, assegura que quando se livrar de Maria e dos gatos, irá acertar contas com ela. 

 

Magalhães conta a Nuno que Eva o beijou e o amigo confessa que fica satisfeito por ela o ter escolhido para namorar. Entretanto, a conversa é interrompida pela chegada de Tina que vem furiosa à procura de Joni. Assim que o vê à porta da cozinha, agarra numa pagaia e tenta agredi-lo. Nuno e Magalhães impedem o pior, não sem que antes derrubem a água e comida dos gatos de Maria. Tina decide ir embora, depois de discutir com Joni e de o aconselhar a ter cuidado a andar na rua, pois há muita gente a ser atropelada.  

Eva conta a Madalena que beijou Magalhães e a irmã acha curioso que ela tenha beijado um homem de quem anda a dizer mal há dias. Henrique aparece nesse instante e fica desagradado ao ver Madalena. Esta diz que o chamou, porque queria falar com ele. Eva deixa-os a sós e Madalena conta ao pai que sabe que ele e a mãe se zangaram por sua causa e faz uma derradeira tentativa para que Henrique aceite a sua relação com Sebastião. O pai mantém a sua intransigência e Madalena assume que desiste dele, já que se não consegue estar com Sebastião, também não consegue estar com ela. Henrique fica perplexo a ver a filha ir embora.  

Rute combina um encontro com Leonel na Lataria e convence o filho de Marafona que é consumidora de drogas para lhe montar uma armadilha que permita inocentar Messias da acusação de tráfico. Rute grava a conversa no telemóvel e combina um novo encontro com ele para o dia seguinte, supostamente para lhe comprar a “mercadoria”.  

André vai passar a noite em casa da mãe para a apoiar na véspera do julgamento. Gonçalo lamenta que o caso não esteja já resolvido e o irmão repreende-o por não respeitar Antónia mas ele afirma que a mãe é que se quis dar como culpada. Amélia diz que Gonçalo, por vezes, parece um monstro sem coração. O irmão lembra-lhe que ela é que é a assassina e que vai permitir que a mãe vá presa em seu lugar. Todos ficam aflitos porque Kika aparece de surpresa, mas ela não ouve nada e entrega o telefone a André dizendo que é a mãe dela que lhe quer falar. Gonçalo dispara que quando Patrícia quer uma coisa só sossega quando a tem. Kika fica desconfiada a olhar para o tio André que fala ao telefone com Patrícia.  

nas redes

pesquisar