SIC

Perfil

Veja aqui o último episódio

203º episódio – 8 de maio (sexta-feira)

Beatriz revela que o seu pai matou a mãe e se suicidou por causa de Frederico 

Diogo conversa com Leonor quando recebe um e-mail de um potencial cliente no Dubai interessado em negociar uma aplicação que pode salvar a sobrevivência da empresa. Eufórico, Diogo confessa que se conseguir aquele novo cliente, não se sentirá tão mal com a crise que a morte de César provocou à empresa de André.

Júlia discute mais uma vez com Elsa, agora porque ela não atendeu o telemóvel e não chegou cedo como havia prometido. A filha argumenta que ela está a sufocá-la, que não a deixa estar com as amigas e que se está a comportar como o pai se comportava. Júlia cede aos desejos da filha e concorda em dar-lhe mais liberdade desde que ela diga com quem sai e onde está. Elsa abraça a mãe e quando fica sozinha, senta-se a admirar uns brincos novos que tira do bolso.

Cremilde, que continua desconfiada com a amnésia de Rogério, tenta apanhá-lo em falso e diz que tem ovas para o jantar. Ele reage fazendo uma careta e a cunhada diz que afinal se lembra de que não gosta daquela comida. Adelaide olha em grande tensão para o filho e ele disfarça, dizendo que aquilo de que não gosta é do tempero da salada.

João e Idalina consolam Messias que ficou desiludido por não poder treinar no seu Vitória de Setúbal. O filho reconhece que há pessoas a sofrerem mais do que ele, como é o caso de Rute que de tanto arrependimento até começou a ir à missa. João aconselha-o a não ser tolo e a não acreditar nas intenções dela.


Na Lataria, Rute recolhe discretamente as apostas para o jogo do peixe, enquanto Filipe faz o pedido para jantar a Vitória. Rute junta-se a ele assim que o vê e inicia o seu plano de sedução fazendo-se convidada para lhe fazer companhia e segura-lhe nas mãos enquanto conversam. Sem perder tempo começa a elogiá-lo por ter tantos barcos e mandar em tantas pessoas. Filipe confessa que o negócio é do pai, que não lhe dá grande margem para se afirmar. Quando Filipe desabafa que a mulher não compreende os seus sonhos e recusou a vivenda que ele quis comprar, Rute ataca dizendo que adorava ter um homem assim tão romântico.

Sebastião e Madalena jantam num ambiente de grande romantismo e ele incentiva-a a investir numa carreira de escritora, agora que está mais do que comprovado que tem qualidade para se aventurar num romance. Madalena confessa os seus receios e afirma que o escritor é ele. Sebastião revela que desde que perdeu a sua musa inspiradora, nunca mais conseguiu escrever uma linha. Ela responde que a musa agora não vai a lugar algum e beija-o apaixonada.

Carlota fica impaciente porque as notícias da televisão só falam da morte do avô. Martim, Leonor e Diogo são unânimes em considerar que o assédio dos jornalistas à família vai aumentar e Carlota pergunta se terá sido Patrícia ou Gonçalo quem matou Frederico. Leonor aconselha a filha a não procurar culpados, deixando esse trabalho para a polícia.

Martim conta que está a organizar a semana dos chefs de cozinha no hotel e Diogo sugere-lhe que convide Vitória para participar.

 

Patrícia aproveita a instabilidade emocional de Antónia para a convencer a nomeá-la como sua representante na gestão da fábrica, em nome do combate que têm de fazer a Gonçalo. Antónia avisa-a de que é a última oportunidade que lhe dá e ela pergunta se acha que Gonçalo seria capaz de matar o pai. A ex-sogra fica incomodada e dispara que nenhum dos filhos seria capaz de tal coisa. Patrícia irrita Antónia quando pergunta por André e ela responde seca que ele não deve querer dar-lhe satisfações da sua vida.

André faz tempo em casa de Nuno para ir para casa, confessando que não lhe apetece ter de conviver com Patrícia. O amigo confessa que ficou desalentado com o facto de Eva ter recusado o seu pedido de casamento e de ainda o ter multado.

Sílvia revê entre dentes a matéria que tem estudado e Rute diverte-se a atrapalhá-la. Idalina conta que os trabalhadores ficaram muito impressionados ao verem no jornal o corpo de Frederico dentro do saco de plástico. Rute diz que tem rezado pela alma do patrão e começa a cantar, para indignação de Idalina. Gonçalo chega nesse instante e agradece as manifestações de pesar pela morte do pai. Patrícia aparece logo depois e surpreende o ex-marido, dizendo que veio para a fábrica no lugar de Antónia, que não se estava a sentir bem. Ele sorri com cinismo e convida-a para conversarem no seu gabinete. Rute murmura que ela tem mais vidas do que um gato.

Gonçalo tenta a todo o custo evitar que Patrícia tenha um papel ativo na gestão da fábrica e volta a insinuar que ela roubou e matou o pai dele. Ela enfrenta-o negando tudo e afirma que tenciona ficar a representar a mãe dele, para que ele não possa tomar decisões sozinho, acrescentando que Beatriz apareceu numa boa hora.

 

André junta-se a Beatriz, que toma o pequeno-almoço no hotel e fica desagradada ao vê-lo. Apesar disso, aceita ouvir o que ele tem para dizer e reage com indignação quando André propõe que cheguem a um acordo para saldar a dívida que ela reclama. Ela deixa escapar um sorriso trocista, garantindo que não tenciona facilitar em nada a vida à família Queiroz, ameaçando ficar com as fábricas se não receber os 4 milhões que lhe devem. André não compreende a razão de tanto ódio e associa-o à morte dos pais, durante um assalto. Beatriz exalta-se e grita que eles não morreram durante um assalto, mas sim por causa de Frederico. André fica em choque ao ouvir o nome do pai.

Beatriz revela a André, com um discurso carregado de ódio, que Frederico foi amante da mãe durante anos e que quando o pai descobriu que estava a ser traído pelo melhor amigo matou a mãe com um tiro, suicidando-se logo a seguir com um tiro na cabeça. André nem quer acreditar no que ouve mas faz notar que o pai já morreu e que por isso não poderá vingar-se dele. Beatriz, deixa claro que jurou destruir a família dele, tal como Frederico fez com a sua e avisa que ou pagam os 4 milhões de euros que devem ou lhes fica com as fábricas.

Gonçalo começa a contactar as instituições que podem eventualmente dar-lhe pistas sobre o local onde o filho está sepultado e é informado de que só a Segurança Social terá essa informação.

Leonor, por seu lado, procura o corpo do filho num cemitério mas também não tem sorte, já que não tem uma data precisa do funeral.

Vitória fica orgulhosa e muito feliz quando Martim a convida para ser um dos chefs de cozinha da semana gastronómica que está a organizar no hotel. Curiosa, fica a saber que foi Diogo quem a indicou, pois é fã da sua comida.

Sebastião prepara um pequeno-almoço divinal para Madalena, que lhe agradece o mimo, embora apressada para regressar a casa dos pais, preparada para uma discussão, pois tinha prometido dormir em casa e não fora. Sebastião recorda-lhe que já é adulta e que também espera que ela volte a morar com ele. Madalena promete conversar com os pais sobre o assunto e o namorado faz questão de estar a seu lado. Madalena fica feliz com a posição de Sebastião e combina com ele irem à noite a casa dos pais para comunicarem que estão de novo juntos.

 

André entra na empresa ao telefone e diz à mãe que têm de conversar pessoalmente porque a conversa com Beatriz não correu bem. Assim que desliga, Diogo fala-lhe com grande entusiasmo e afirma que nem tudo são más notícias, pois foram convidados por uma empresa do Dubai que pode tornar-se sua cliente. André recupera o ânimo e atira-se ao trabalho.

Aurora aproveita um momento em que Rogério está sozinho em casa para o seduzir. Ele continua a fingir que não se lembra de nada, mas resiste pouco e faz amor com ela.

Laurinda avisa Mateus que atendeu um telefonema estranho de um cliente dele e desconfia que ele se meteu de novo em apuros. O filho desvaloriza o assunto e parece seguro de que está a trabalhar bem. Henrique aparece também para o pequeno-almoço e critica o filho por ainda estar de pijama. Sem perder tempo pergunta por Madalena e ao perceber que ela não dormiu em casa, afirma que ela só voltará a ser sua filha quando deixar de viver com o velho. Laurinda não aprova a intransigência do marido e diz que ele está a ser casmurro, pois também não aceita trocar o bilhete de avião que comprou à filha, por outros que lhes permitam viajar os dois.

Entretanto, Laurinda ouve um barulho vindo da sala e vê que se trata de mais uma discussão entre Sara e Filipe, em que ela o censura por ter andado a noite inteira nos copos. Ele contrapõe que ela esteve a jantar com uma amiga e nem sequer o avisou. Sara, diz que o essencial é que ele voltou a tomar decisões sem a consultar, como a compra de uma casa nova. Filipe reafirma que pretendeu apenas fazer-lhe uma surpresa, mas a mulher fica ainda mais magoada e deixa-o sozinho. Laurinda revela a sua presença e não esconde que ouviu tudo, colocando-se do lado da nora. Filipe fica desanimado por nem a mãe ficar do seu lado.

Bento acompanha Cremilde ao bar de Vitória e ela desabafa com ele, depois de ter ido à polícia prestar depoimento sobre a morte de Frederico. A peixeira conta que os agentes quiseram perceber porque é que ela ameaçou o empresário na noite em que ele morreu, mas que se fartaram de fazer também perguntas sobre Patrícia. Bento revela outra vez a sua falta de sensibilidade e tenta beijar Cremilde e arrastá-la para casa, insinuando que estarão mais à-vontade para namorarem. Ela zanga-se e diz que vai para casa sozinha.

 

Beatriz conversa ao telefone com Catarina e combina encontrar-se com ela. Ao avistar Leonor no bar, aproxima-se e mete conversa com ela e mostra-se convencida que as suas desavenças com a família Queiroz têm algo de semelhante e que, por isso, talvez seja ela quem melhor a compreende e ao seu desejo de justiça. Leonor discorda e explica que, apesar das mágoas, o reencontro com a filha a fez preocupar-se em construir com ela o futuro, em vez de alimentar mais ódios e aconselha Beatriz a fazer o mesmo. Beatriz fica frustrada.

Gonçalo conta com a ajuda da amiga que tem na Segurança Social para encontrar a campa onde supostamente o filho estará enterrado. Lídia entrega-lhe a certidão de óbito e o processo relativo ao recém-nascido. Gonçalo estranha quando ela conta que foi recebido um donativo para pagar o enterro, convencida de que o padre da paróquia pode saber quem o fez.

Antónia fica chocada quando André lhe conta que o pai a traiu com Rosarinho, mãe de Beatriz e que quando o pai desta descobriu, matou a mãe, suicidando-se de seguida. Antónia fica horrorizada com a traição do marido e diz que têm de impedir Beatriz de lhes ficar com as fábricas, pois foi Frederico quem lhe destruiu a família e ele agora está morto. André lembra à mãe que ou arranjam dinheiro para pagar ou Beatriz toma conta das Conservas do Sado.

nas redes

pesquisar