SIC

Perfil

Veja aqui o último episódio

167º episódio – 29 de março (domingo)

Patrícia é referenciada como cúmplice de Xavier no rapto de Leonor e choca a família!

Antónia é abordada por um homem que conheceu numa das viagens que fez ao Brasil com a Fundação Queiroz e fica satisfeita por Vicente a convidar para se encontrarem de novo, depois de dizer que se está a iniciar a sério na pintura.

Patrícia manipula Francisco e deixa que ele a encontre em lágrimas depois da discussão que teve com Kika e de ter falhado a tentativa para a recuperar. Devastada por ter de sair de casa, sem emprego e sem dinheiro, insiste que só lhe apetece fugir para onde ninguém a encontre, embora tenha escassas economias para os dois. Frederico manda-a guardar o dinheiro e reafirma que é suficientemente rico para que nada lhes falte, mostrando-se determinado a encontrar com o advogado o destino que mais lhes convém e a forma de levar o dinheiro que possui. Patrícia abraça-o com carinho mas assim que ele deixa de lhe ver a cara, endurece a expressão.

Kika garante a Hugo que nunca perdoará a mãe por lhe ter batido. Sílvia deixa-lhes o jantar pronto antes de sair para a Lataria. Aproveitando o facto de estarem apenas os dois em casa, Hugo tenta avançar com Kika para além dos beijos mas ela mostra-se responsável e afasta-o, pedindo-lhe que deixe de se armar em parvo. Hugo acaba por se resignar.

Sílvia conta a Daniel em sussurro que já se inscreveu no curso de hotelaria e pede-lhe que não conte a ninguém. Diogo entra na Lataria com Maria Rita e acaba por ir jantar em casa, constrangido pelo reencontro com a ex-namorada. Messias entra no bar disposto a ajudar Beta, que não dá conta de tanta clientela e explica-lhe que não puderam ir ao mar.

 

Laurinda e Henrique conversam sobre o namoro de Eva com Nuno, aborrecidos por ela ainda não ter assumido a relação. Filipe aparece e diz ao pai que Eva não os deixou ir para o mar, por não terem encontrado um documento do barco. O armador fica indignado com o filho, porque ele não se lembrou de ir ao escritório buscar a cópia do certificado.

Joni anuncia que vai mudar o seu estado para comprometido. Bento desiste do passeio para ir ver os golfinhos com Cremilde quando Nuno diz que o bilhete é de 30 euros por pessoa.

Madalena não resiste e chora no colo de Laurinda o desgosto que sente por estar separada de Sebastião. A mãe comove-se ao vê-la tão triste.

Sebastião, por seu lado, continua a ler a versão impressa dos textos que Madalena escreveu no blogue e sorri com nostalgia ao constar como ela retratou o amor que viveram.

Leonor lamenta que não tenha jantado com Martim e com Carlota em sua casa, forçados a fazê-lo no hotel por causa das promessas que a filha fez a Amélia. Martim acalma-a e insiste para que passe a noite com ele. Leonor acaba por aceder.

Diogo e Maria Rita deixam-se desinibir pelo vinho que tomam e beijam-se com grande paixão.

Patrícia já tem as malas na mão e faz uma última tentativa para que Antónia reconsidere e a deixe continuar lá em casa. A sogra mantém-se irredutível e não altera a sua decisão. Frederico também intercede a favor da amante, mas acaba humilhado pela mulher, que se nega a dar-lhe satisfações sobre o que tenciona fazer com a gestão das empresas.

Patrícia põe as malas no carro e é alvo da chacota de Gonçalo. Furiosa, arranca com o carro, deixando Frederico incrédulo, por não saber onde ela foi. O filho troça e diz que se não sabe onde vai a amante, está a perder qualidades.

Escorraçada de casa por Antónia, Patrícia vai ter com André e finge-se só e abandonada no mundo para ganhar a sua simpatia. Inventa que Frederico a persegue e que já não sabe o que fazer para lhe escapar. Apesar do teatro, André garante-lhe que não acredita numa única palavra do que ela diz, atirando-lhe à cara o jornal que noticia que ela foi constituída arguida, suspeita de cumplicidade no rapto de Leonor.

André não se compadece com a vitimização que Patrícia faz clamando pela sua inocência e prefere acreditar na notícia do jornal. Antes e sair da hAPPy, Patrícia deixa claro a André que não vai descansar enquanto não se vingar da família dele e de tudo o que lhe está a fazer.

Gonçalo pede à mãe que lhe dê uma oportunidade de se reaproximar de Kika e tem a ideia de levar Cremilde e Tina para a visitar, já que ela gosta tanto da outra avó e da tia. Antónia acaba por ceder ao pedido do filho, embora não confie nele. Gonçalo ainda tenta convencê-la a ficar em casa a instalar-se, em vez de assumir o controlo das empresas mas a mãe mantém-se irredutível e pede-lhe que a leve para a fábrica.

 

Leonor comenta com Júlia o facto de Patrícia ter sido constituída arguida e ter de ir a tribunal, suspeita de ter ajudado Xavier a raptá-la. Júlia sente-se culpada pelo que o marido fez à amiga e penaliza-se por tê-la traído com André, perdendo assim a amizade que tinha com ela. Leonor não resiste às lágrimas de Júlia e, embora não consiga dizer que a perdoa, tenta aliviar a tensão com que a tem tratado desde que soube que ela se envolveu com André.

Diogo e Maria Rita pedem desculpa a André por chegarem atrasados ao trabalho mas ele está demasiado concentrado e não valoriza o assunto. Depois de ele sair, empenhado em conquistar mais um cliente importante, Maria Rita seduz Diogo mas ele esquiva-se da investida, lembrando-lhe que estão no local de trabalho. Ela não desiste e deixa-o embaraçado ao dizer que vai esperar pelo almoço para o beijar.

Sílvia conta a Idalina que se inscreveu num curso de hotelaria, alertando para o facto de passar a usufruir das regalias que a empresa oferece a quem estuda em pós-laboral, pedindo-lhe que guarde segredo por não querer que Rute saiba que ela voltou a estudar. Rute chega entretanto e conta que Patrícia foi constituída arguida, suspeita de cumplicidade no rapto de Leonor e trata de renegar a proximidade que tinha com a patroa, insinuando que se trata de uma criminosa. Idalina muda de assunto e pergunta-lhe o que é que fez a Messias para o filho andar tão triste. Rute confessa que ela a desiludiu porque lhe prometeu um carro descapotável e agora quer dar-lhe um familiar. Idalina confessa que está a perder a paciência com ela. A conversa é interrompida pela chegada de Antónia, que vem acompanhada de Gonçalo e dá contra de que a partir de agora vai estar mais presente na fábrica e que tenciona reunir com todas as chefes de secção. Idalina coloca-se ao dispor para o que a patroa precisar. Rute balbucia que a madame pôs os patins ao velho e que agora vai mandar ali.

Gonçalo tenta convencer Antónia a deixá-lo gerir a fábrica mas a mãe insiste em começar a controlar tudo, aceitando no entanto que ele seja o seu braço direito. Entretanto, Antónia recebe a chamada de Vicente, aceitando tomar um café com ele e dar-lhe alguns conselhos sobre como organizar a sua carreira de pintor. Gonçalo mostra-se apreensivo e recomenda à mãe que tenha cuidado com o que faz, numa insinuação ao caso que ela teve com Samuel. Antónia agradece que ele não se meta na sua vida.

Sebastião vai ao Hotel Salinas e confronta Madalena com a entrevista que a amiga dela publicou numa revista cor-de-rosa sobre a sua relação com uma bloguer com metade da idade dele. Madalena ainda tenta defender-se mas a fúria de Sebastião é superior e leva-o a dizer que a culpa também é sua porque nunca se devia ter envolvido com uma miúda irresponsável. Madalena fica em lágrimas a folhear a revista, enquanto ao longe, Vicente assiste à cena e toma notas num bloco.

nas redes

pesquisar